Influência da massa corporal na frequência de linfedema e outras complicações depois de cirurgia para câncer de mama

Autores

  • Riza Rute Oliveira Centro Universitário Adventista de São Paulo
  • Simony Lira Nascimento Universidade Federal do Ceará
  • Maria Teresa Pace do Amaral Universidade Federal de São Paulo
  • Marcela Ponzio Pinto e Silva Universidade Estadual de Campinas
  • Mariana Maia Freire Oliveira Universidade Estadual de Campinas

DOI:

https://doi.org/10.1590/1809-2950/14743623012016

Resumo

Avaliou-se a influência do índice de massa corporal (IMC) pré-operatória na ocorrência de linfedema, aderência cicatricial, dor e peso no membro superior nos primeiros dois anos após cirurgia para câncer de mama. O estudo é uma análise retrospectiva, secundária de 631 prontuários de mulheres submetidas à cirurgia para câncer de mama e encaminhadas ao Programa de Fisioterapia do Hospital Professor Dr. José Aristodemo Pinotti do Centro de Atenção Integral à Saúde da Mulher, CAISM /UNICAMP, entre janeiro de 2006 e dezembro de 2007. Eram mulheres com idade média de 56,5 anos (±13,7 anos), a maioria (55%) com sobrepeso ou obesa. Os estádios clínicos II e III foram encontrados em 63% das mulheres. Mastectomia radical foi a cirurgia mais frequente (54,4%), seguida por quadrantectomia (32,1%). No primeiro ano após a cirurgia não houve associação significativa entre as categorias do índice de massa corporal e incidência de aderência cicatricial, dor, peso e linfedema. No segundo ano, mulheres com sobrepeso e obesidade apresentaram maiores taxas de peso no membro superior e linfedema. Para linfedema houve diferença significativa entre as categorias de índice de massa corporal (p=0,0268). Mulheres obesas têm 3,6 vezes mais chance de desenvolver linfedema no segundo ano após a cirurgia (odds ratio 3,61 95% IC 1,36-9,41). Concluiu-se que IMC ≥25kg/m2 anterior ao tratamento para câncer de mama pode ser considerado fator de risco para desenvolvimento do linfedema dois anos após a cirurgia. Não houve associação entre IMC e outras complicações.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

2016-03-01

Como Citar

Oliveira, R. R., Nascimento, S. L., Amaral, M. T. P. do, Silva, M. P. P. e, & Oliveira, M. M. F. (2016). Influência da massa corporal na frequência de linfedema e outras complicações depois de cirurgia para câncer de mama . Fisioterapia E Pesquisa, 23(1), 84-90. https://doi.org/10.1590/1809-2950/14743623012016

Edição

Seção

Pesquisa Original