Síndrome de Burnout

realidade dos fisioterapeutas intensivistas?

  • Rafaela Araújo Dias da Silva
  • Bruna Araújo
  • Caio César Araújo Morais
  • Shirley Lima Campos
  • Armèle Dornelas de Andrade
  • Daniellaella Cunha Brandão
Palavras-chave: Estresse Psicológico, Fisioterapeutas, Unidades de Terapia Intensiva

Resumo

O objetivo deste trabalho foi avaliar o perfil e a prevalência da síndrome de Burnout em fisioterapeutas intensivistas das redes públicas da cidade do Recife, comparando-os entre unidades adultas, pediátricas e neonatais. Realizou-se um estudo descritivo de corte transversal em cinco hospitais públicos portadores de Unidade de Terapia Intensiva, por meio de um questionário sociodemográfico para fatores estressantes e do Maslach Burnout Inventory (MIB) para avaliar a prevalência da síndrome. Os resultados indicaram um percentual de 48,72% de Burnout para profissionais de UTI de cuidado adulto e 47,06% para unidades pediátricas e neonatais, considerando-se nível grave em apenas uma dimensão. Foram encontrados escores elevados nos indicadores de exaustão emocional, com 56,42% em UTI adulto e 64,71% em unidades pediátricas e neonatais. O indicador despersonalização apresentou 12,82% em UTI adulto e 29,41% nas demais. Já realização profissional obteve valores de 17,65% em UTI pediátricas e neonatais e de 33,33% em cuidado adulto. A prevalência da síndrome de Burnout se mostrou elevada entre os fisioterapeutas avaliados. Diante disso, observa-se a necessidade do desenvolvimento de medidas preventivas e modelos de intervenção para que tal efeito seja minimizado.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Rafaela Araújo Dias da Silva

Graduada em Fisioterapia pela Universidade Federal de Pernambuco

Bruna Araújo

Mestre em Fisioterapia pelo Programa de Pós-Graduação em Fisioterapia da Universidade Federal de Pernambuco

Caio César Araújo Morais

Mestre em Fisioterapia pelo Programa de Pós-Graduação em Fisioterapia da Universidade Federal de Pernambuco

Shirley Lima Campos

Doutora do Departamento de Fisioterapia da Universidade Federal de Pernambuco

Armèle Dornelas de Andrade

Doutora do Departamento de Fisioterapia da Universidade Federal de Pernambuco

Daniellaella Cunha Brandão

Doutora do Departamento de Fisioterapia da Universidade Federal de Pernambuco

Publicado
2018-12-17
Como Citar
Silva, R., Araújo, B., Morais, C. C., Campos, S., Andrade, A., & Brandão, D. (2018). Síndrome de Burnout. Fisioterapia E Pesquisa, 25(4), 388-394. Recuperado de http://www.revistas.usp.br/fpusp/article/view/152858
Seção
Pesquisa Original