A percepção de qualidade de vida de pessoas com deficiência motora

diferenças entre cadeirantes e deambuladores

  • Fabiola Hermes Chesani Universidade do Vale do Itajaí
  • Tatiana Mezadri Universidade do Vale do Itajaí
  • Leo Lynce Valle de Lacerda Universidade do Vale do Itajaí
  • Anne Mandy
  • Francielly Nalin Universidade do Vale do Itajaí
Palavras-chave: Qualidade de Vida, Pessoas com Deficiência, Tecnologia Biomédica, Cadeiras de Rodas

Resumo

A rotina das pessoas com deficiência física inclui o uso de diferentes recursos de tecnologia assistiva, que podem auxiliar em seu desenvolvimento físico e intelectual, afetando diretamente sua qualidade de vida. O objetivo deste estudo foi avaliar a percepção da qualidade de vida de pessoas cadeirantes e deambuladoras com deficiência física no município de Itajaí, Santa Catarina. Trata-se de uma pesquisa descritiva de corte transversal e caráter exploratório quantitativo, cuja. amostra foi constituída por 163 participantes (91 cadeirantes e 72 deambuladores), que responderam a um questionário estruturado com informações socioeconômicas e de saúde e ao instrumento do World Health Organization Quality of Life Instruments (WHOQOL-bref), para mensurar a qualidade de vida. Na avaliação dos domínios físico e psicológico não foram observadas diferenças significativas entre os dois grupos, portanto a percepção da qualidade de vida não foi afetada pela utilização da cadeira de rodas. No entanto, examinando-se o domínio de relações sociais e meio ambiente, a percepção da qualidade de vida foi significativamente menor para cadeirantes com paresias, em relação às plegias e à amputação.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Fabiola Hermes Chesani, Universidade do Vale do Itajaí

Professor doutor do curso de Mestrado Profissional em Saúde e Gestão do Trabalho da Universidade do Vale do Itajaí (Univali)

Tatiana Mezadri, Universidade do Vale do Itajaí

Professor doutor do curso de Mestrado Profissional em Saúde e Gestão do Trabalho da Universidade do Vale do Itajaí (Univali)

Leo Lynce Valle de Lacerda, Universidade do Vale do Itajaí

Professor doutor do curso de Mestrado Profissional em Saúde e Gestão do Trabalho da Universidade do Vale do Itajaí (Univali)

Anne Mandy

Professora do Centro de Ciências da Saúde da Universidade de Brighton

Francielly Nalin, Universidade do Vale do Itajaí

Acadêmica de Fisioterapia pela Universidade do Vale do Itajaí

Publicado
2018-12-17
Como Citar
Chesani, F., Mezadri, T., Lacerda, L., Mandy, A., & Nalin, F. (2018). A percepção de qualidade de vida de pessoas com deficiência motora. Fisioterapia E Pesquisa, 25(4), 418-424. Recuperado de http://www.revistas.usp.br/fpusp/article/view/152875
Seção
Pesquisa Original