Relação entre a dor lombar crônica não específica com a incapacidade, a postura estática e a flexibilidade

  • Rafael Paiva Ribeiro Universidade Federal do Rio Grande do Sul
  • Juliana Adami Sedrez Universidade Federal do Rio Grande do Sul
  • Cláudia Tarragô Candotti Universidade Federal do Rio Grande do Sul
  • Adriane Vieira Universidade Federal do Rio Grande do Sul
Palavras-chave: Dor Lombar, Postura, Dor Crônica, Fisioterapia

Resumo

Dentre as dores musculoesqueléticas crônicas, um dos sintomas mais comuns, com uma prevalência de 84% durante a vida, é a dor lombar. Apesar de sua elevada incidência, suas causas e fatores de risco são pouco conhecidos. O objetivo deste trabalho foi: (1) comparar a flexibilidade e as características da postura estática entre indivíduos com e sem dor lombar crônica não específica; e (2) verificar se existe relação entre a presença e intensidade da dor lombar crônica não específica com a incapacidade, a flexibilidade e as características da postura estática. Participaram do estudo 104 indivíduos adultos, com idade entre 18 e 60 anos. A amostra foi dividida em dois grupos: grupo com dor lombar crônica não específica (GCD; n=52) e grupo sem dor lombar (GSD; n=52). A coleta de dados consistiu em quatro etapas: (1) anamnese; (2) avaliação postural estática por fotogrametria, utilizando o protocolo do software Digital Imaged Postural Assessment (DIPA©); (3) testes especiais de flexibilidade corporal; e (4) aplicação do questionário Oswestry Disability Index (ODI). A intensidade da dor apresentou correlação significativa com o índice de incapacidade (r=0,42; p=0,00) e com o banco de Wells (r=–0,32; p=0,02). Não houve correlação entre a presença de dor e postura estática e flexibilidade, como também não houve diferença entre os grupos. Indivíduos com maior intensidade de dor lombar crônica não específica apresentaram maior incapacidade e menores resultados no teste do banco de Wells.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Rafael Paiva Ribeiro, Universidade Federal do Rio Grande do Sul

Fisioterapeuta e Mestrando em Ciências do Movimento Humano pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul

Juliana Adami Sedrez, Universidade Federal do Rio Grande do Sul

Fisioterapeuta e Doutora em Ciências do Movimento Humano pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul

Cláudia Tarragô Candotti, Universidade Federal do Rio Grande do Sul

Doutora em Ciências do Movimento Humano e Professora de Fisioterapia e Educação Física da Universidade Federal do Rio Grande do Sul

Adriane Vieira, Universidade Federal do Rio Grande do Sul

Doutora em Ciências do Movimento Humano e Professora de Fisioterapia e Educação Física da Universidade Federal do Rio Grande do Sul

Publicado
2018-12-17
Como Citar
Ribeiro, R., Sedrez, J., Candotti, C., & Vieira, A. (2018). Relação entre a dor lombar crônica não específica com a incapacidade, a postura estática e a flexibilidade. Fisioterapia E Pesquisa, 25(4), 425-431. Recuperado de http://www.revistas.usp.br/fpusp/article/view/152880
Seção
Pesquisa Original