Fisioterapia e complicações físico-funcionais após tratamento cirúrgico do câncer de mama

Autores

  • Adriane Pires Batiston Universidade Católica Dom Bosco
  • Silvia Maria Santiago Universidade Estadual de Campinas

DOI:

https://doi.org/10.1590/fpusp.v12i3.76623

Palavras-chave:

neoplasias mamárias/cirurgia, neoplasias mamárias/ complicações, técnicas de fisioterapia, neoplasias.

Resumo

Sabe-se que o tratamento cirúrgico do câncer de mama (CM) pode propiciar o surgimento de complicações físico-funcionais no braço homolateral, devido à dissecção dos linfonodos axilares. O objetivo deste
estudo foi verificar a relação entre a freqüência de tais complicações e o
momento do encaminhamento para programa de recuperação fisioterápica. Foram estudadas as fichas de avaliação fisioterapêutica de 160 pacientes encaminhadas ao Setor de Fisioterapia pelo Serviço de Oncologia do Hospital Universitário da UFMS entre janeiro de 1998 e dezembro de 2001, verificando-se o momento do encaminhamento ao fisioterapeuta e sua relação com as complicações observadas; os dados foram submetidos a estatística descritiva, com significância de 5%. As complicações observadas foram: limitação do movimento do ombro (61,9%), dor (32,5%), linfedema (29,4%), aderência cicatricial (3,1%) e alterações sensitivas (2,5%); 19,4% das mulheres não apresentavam complicações. Os encaminhamentos médicos foram em maioria para tratamento de complicações instaladas (76,9%), mais do que para prevenção (23,1%). A associação entre complicação e encaminhamento tardio foi significativa para limitação do movimento, dor e linfedema. Entre as mulheres encaminhadas precocemente, a maioria não apresentava complicação. Embora sejam sabidos os riscos de complicações em decorrência da cirurgia para o tratamento do CM, muitas mulheres só são encaminhadas à fisioterapia quando já apresentam complicação instalada, diminuindo as possibilidades de uma completa recuperação fisico-funcional.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Adriane Pires Batiston, Universidade Católica Dom Bosco

Fisioterapeuta; Mestre em Saúde Coletiva pela Unicamp; Professora do Curso de Fisioterapia da Universidade Católica Dom Bosco (UCDB).

Silvia Maria Santiago, Universidade Estadual de Campinas

Professora Droutoa do Departamento de Medicina Preventiva e Social da Faculdade de Ciências Médicas (FCM) da Universidade Estadual de Campinas (Unicamp).

Downloads

Publicado

2005-12-31

Como Citar

Batiston, A. P., & Santiago, S. M. (2005). Fisioterapia e complicações físico-funcionais após tratamento cirúrgico do câncer de mama. Fisioterapia E Pesquisa, 12(3), 30-35. https://doi.org/10.1590/fpusp.v12i3.76623

Edição

Seção

Pesquisa Original