Força muscular respiratória e mobilidade toracoabdominal em idosos e adultos sedentários e praticantes de voleibol adaptado: estudo-piloto

Autores

  • Letícia Baltieri Universidade Estadual de Campinas
  • Laisa Antonela dos Santos UNIMEP
  • Gustavo Nazato Furlan Centro Cultural e Recreativo Cristóvão Colombo de Piracicaba
  • Marlene Aparecida Moreno UNIMEP

DOI:

https://doi.org/10.590/1809-2950/12463321042014

Resumo

Uma série de modificações acompanham o processo de envelhecimento, incluindo mudanças no sistema respiratório. No entanto, atividade física regular pode ser uma maneira eficaz de prevenir estas alterações. O objetivo deste estudo foi avaliar e comparar a mobilidade toracoabdominal e a força muscular respiratória em sedentários e praticantes de voleibol adaptado. Foram incluídos indivíduos entre 50 e 80 anos de idade, que praticam voleibol adaptado há pelo menos um ano, e sedentários não tabagistas e sem doenças pulmonares, cardiovasculares ou musculoesqueléticas. Foram avaliadas a mobilidade toracoabdominal, por meio da cirtometria axilar (CAx), xifoideana (CX) e abdominal (CAb), e a força muscular respiratória por meio das medidas de pressões respiratórias (PI máxima e PE máxima). O grupo ativo apresentou valores de cirtometria maiores em relação ao sedentário (56,4% maior na CAx, 83,4% na CX e 63,5% na CAb), bem como maiores valores da PE máxima (41,3% maior na PE máxima absoluta e 39,5% da PE máxima em % predita). A PI máxima (cmH2O e % predita) não mostrou diferença entre os grupos. Concluiu-se que a prática de voleibol adaptado pode ter contribuído para a manutenção da mobilidade toracoabdominal e força muscular expiratória nestes idosos e adultos.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Publicado

2014-12-01

Como Citar

Baltieri, L., Santos, L. A. dos, Furlan, G. N., & Moreno, M. A. (2014). Força muscular respiratória e mobilidade toracoabdominal em idosos e adultos sedentários e praticantes de voleibol adaptado: estudo-piloto . Fisioterapia E Pesquisa, 21(4), 314-319. https://doi.org/10.590/1809-2950/12463321042014

Edição

Seção

Pesquisa Original