A Rosa de Hiroshima na voz e no corpo de Ney Matogrosso

Autores

DOI:

https://doi.org/10.11606/issn.2594-9632.geoliterart.2020.157134

Palavras-chave:

Ney Matogrosso, Performance, Rosa de Hiroshima

Resumo

O presente trabalho analisa duas realizações de montagens performáticas de Ney Matogrosso distintas entre si da mesma canção, A Rosa de Hiroshima, composta a partir do poema de Vinícius de Moraes. Aborda-se a trajetória artística de Ney Matogrosso a partir da construção de sua autonomia enquanto artista em dois momentos: no grupo Secos e Molhados e após, em sua carreira solo, no show Olhos de Farol, no período de 1973 e 1999, momentos em que realiza sua composição em performance do poema A Rosa de Hiroshima. Observam-se traços peculiares de sua identidade artística em um diálogo entre alguns prismas teóricos sobre a performance e o contexto das suas duas composições, buscando analisar as nuances do movimento do corpo, e sua influência na ressignificação do poema, em cada uma das versões compostas pelo artista.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Victor Medeiros, Cesmac

Graduado pela Faculdade de Direito de Maceió (FADIMA-CESMAC) em 2012. Pós-graduado em Direito Tributário em 2016, pela Faculdade Damásio de Jesus. Pós-graduado em Direito Constitucional Aplicado em 2018, pela Faculdade IBMEC São Paulo e Instituto Damásio de Jesus. Atualmente, Pós-graduando em Direito Público com ênfase em Gestão Pública, pelo Instituto Damásio de Jesus. Professor de Direitos Humanos e Direito do Trabalho. Advogado. Foi Membro da Comissão de Estudos Constitucionais da Ordem dos Advogados do Brasil seccional Alagoas, gestão 2016/2018. É Vice-Presidente da Comissão de Estudos Constitucionais da Ordem dos Advogado do Brasil seccional Alagoas, gestão 2019/2021.

Kamilla Medeiros, Universidade Federal de Alagoas

Graduada em Letras - Português pela Universidade Federal de Alagoas em 2018. Foi membro, entre 2012 e 2014, do Programa Institucional de Bolsa de Iniciação a Docência (PIBID/Letras/Capes/UFAL), que tem como objetivo promover a inserção dos estudantes da universidade no contexto das escolas públicas do Estado desde o início da sua formação acadêmica. 
Foi membro do Programa de Educação Tutorial (PET/Letras/Mec/UFAL), 2014 a 2016, que tem como objetivo formular estratégias de desenvolvimento e modernização do ensino superior no país, estimulando a fixação de valores que reforcem a cidadania e a consciência social de todos os participantes. Professora de Redação.

Referências

"A PRIMEIRA vez que o meu pai me viu actuar tomou um remédio para o coração". Reportagem publicada em 02 mai.2014 no jornal iSapo on line. Disponível em: <https://ionline.sapo.pt/263734>. Acesso em: 1 jan. 2018.

BANDEIRA, Manuel. “Coisa Alóvena, Ebaente”. In Vinicius de Moraes: poesia completa e prosa. Org. Eucanaã Ferraz. Rio de Janeiro: Nova Aguilar, 2004, pp. 87-89.

CANDIDO, Antonio. “Um poema de Vinicius de Moraes”. In: Teoria e debate, n. 49. São Paulo: Fundação Perseu Abramo, out-dez. 2001, pp. 70-71. Poemas, sonetos e baladas e Pátria minha. São Paulo: Companhia das Letras, 2008. p. 159-162.

CANDIDO, Antonio. [Vinicius de Moraes]. In: FERRAZ, Eucanaã (org.). Vinicius de Moraes: poesia completa e prosa. Rio de Janeiro: Nova Aguilar, 2004. p. 120-122.

FERNANDES, Ciane. O corpo em movimento: o sistema Laban/Bartenieff na formação e pesquisa em artes cênicas. São Paulo: Annablume Editora, 2006.

GLUSBERG, Jorge.1932- . A arte da performance.[tradução Renato Cohen]. São Paulo: Perspectiva, 2011.

MATOGROSSO, Ney. Trajetória. 2016. Disponível em: <http://www2.uol.com.br/neymatogrosso/depoim07.html>. Acesso em: 27 jul. 2016.

MATOGROSSO, NEY. Beijo bandido. DVD. Canal Brasil e EMI, 2010.

NEY Matogrosso - Rosa de Hiroshima – 25 set.2011. (2m40s). Disponível em: https://www.youtube.com/watch?v=sR1gC4GsFGM. . Acesso em 10 mai.2019.

MILLER, Jussara. A escuta do corpo: sistematização da Técnica Klauss Vianna. São Paulo: Summus, 2007.

MORAES, Vinícius de. Antologia Poética. 1ª ed. São Paulo: Companhia das Letras, 2009.

MORAES, Vinícius de. Vida e obra. 1987. Disponível em: <http://www.viniciusdemoraes.com.br/pt-br/vida.> Acesso em: 25 set. 2016.

NOGUEIRA, Fernanda. Metamorfose ambulante. A desidentificação carnavalesca de Ney Matogrosso na militadura brasileira. ETD - Educação Temática Digital, Campinas, SP, v. 18, n. 4, p. 769-788, nov. 2016. ISSN 1676-2592. Disponível em: http://dx.doi.org/10.20396/etd.v18i4.8646425>.Acesso em: 16 nov. 2016.

RANGEL, Valéria. O amor entre o vão momento e o infinito: os sonetos de Vinícius de Moraes. 2007. Dissertação (Mestrado em Teoria Literária e Literatura Comparada). Faculdade de Filosofia, Ciências e Letras Humanas - Universidade de São Paulo, 2007.

SECOS e Molhados - Rosa de Hiroshima – 03 out.2012. (2m03s). Disponível em: https://www.youtube.com/watch?v=DwVc0G3IKU4. Acesso em 10 mai.2019.

SILVA, Vitória Angela Serdeira Honorato Silva. A performance de Ney Matogrosso: inovação na canção midiática em dois momentos. São Caetano do Sul: USCS.Campus II, 2013.

ZAN, José Roberto. “Secos e Molhados: metáfora, ambivalência e performance”. ArtCultura, Uberlândia, v. 15, n. 27, p. 7-27, jul.-dez., 2013.

ZUMTHOR, Paul. Escritura e nomadismo: entrevistas e ensaios-Cotia, SP: Ateliê Editorial, 2005.

ZUMTHOR, Paul. Performance, Recepção, Leitura. São Paulo: Educ, 2000.

Downloads

Publicado

2020-10-15

Como Citar

Barbosa, J. V. M. ., & Barbosa, K. M. M. . (2020). A Rosa de Hiroshima na voz e no corpo de Ney Matogrosso. Revista Geografia, Literatura E Arte, 2(1), 125-140. https://doi.org/10.11606/issn.2594-9632.geoliterart.2020.157134

Edição

Seção

Artigos