A Cartilha Deserto Verde no Rio de Janeiro como recurso didático no ensino de Geografia e Literatura

Autores

  • Thiago Lucas Alves da Silva Universidade Federal Fluminense
  • Débora Ventura Klayn Nascimento Universidade Federal do Rio de Janeiro

DOI:

https://doi.org/10.11606/issn.2594-9632.geoliterart.2020.167454

Palavras-chave:

interdisciplinaridade, Deserto Verde, Narrativa

Resumo

Este trabalho é um esforço interdisciplinar de desenvolver, a partir da ligação entre Geografia e Literatura, uma cartilha baseada em uma narrativa com a temática da monocultura do eucalipto, denominada politicamente pelos movimentos sociais como Deserto Verde. A criação e o uso de uma cartilha como recurso pedagógico na educação básica têm como intuito valorizar o tema da monocultura do eucalipto, que tem sido palco de disputas e debates, além de facilitar o aprendizado de conceitos e conteúdos associados à Geografia e à Literatura. Essa opção metodológica busca possibilitar a abordagem do tema, por meio de uma linguagem mais próxima à realidade dos alunos, contribuindo para a apropriação e ressignificação da temática, por meio da linguagem literária.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Thiago Lucas Alves da Silva, Universidade Federal Fluminense

Possui Licenciatura plena em Geografia pela Faculdade de Formação de Professores da Universidade do Estado do Rio de Janeiro - UERJ\FFP, possui especialização em Políticas Territoriais no Estado do Rio de Janeiro, Mestrado em Ciências Sociais - Desenvolvimento, Sociedade e Agricultura - pelo CPDA/UFRRJ e Doutorado em Geografia pela UFF. É professor - colaborador no Grupo de Ensino, Pesquisa e Extensão em Geografia Agrária da FFP (coord. Prof. Dr. Paulo Alentejano) e membro do Grupo de Estudos, Produção, Extensão e Formação de Professores de Mesquita-RJ (GEPEF) e do Grupo de Trabalho em Assuntos Agrários da Associação dos Geógrafos Brasileiros (AGB), Seção Local Rio-Niterói. Participou do Núcleo de Estudos sobre Territorialidade, Ações Coletivas e Justiça (NETAJ\UFF - coord. Prof. Dr. Valter do Carmo Cruz) e do Laboratório de Estudos de Movimentos Sociais e Territorialidades (LEMTO\UFF - Coord. Prof. Dr. Carlos Walter Porto-Gonçalves). Possui experiências nas áreas de Geografia, Geografia Agrária, Ensino de Geografia, Educação do Campo, Educação Ambiental, Questão Agrária, Movimentos Sociais e Cartografia Social.

Débora Ventura Klayn Nascimento, Universidade Federal do Rio de Janeiro

Membro do Grupo de Pesquisa PLELL - Práticas de Letramentos na Ensinagem de Línguas e Literaturas. Finalizando Doutorado pelo Programa Interdisciplinar de Linguística Aplicada da Universidade Federal do Rio de Janeiro (Pesquisa sobre Leitura literária no livro didático). Mestre em Letras pelo Programa de Mestrado Profissional em Letras PROFLETRAS - UFRJ (2016). Possui Especialização em Ensino de Leitura e Produção Textual pela Universidade Federal Fluminense (2013) e em Educação Especial com Ênfase em Surdez pela Fundação Educacional Duque de Caxias (2005). Graduada em Letras - Português/Inglês pela Fundação Educacional Duque de Caxias (2004). Foi professora na Secretaria Estadual de Educação do Rio de Janeiro (SEEDUC), no período de 2005 a 2019. É professora da Secretaria Municipal de Educação de Mesquita - RJ (desde 2006) e professora substituta de Didática Especial e Prática de Ensino de Português/Literaturas, na Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ).

Referências

ALENTEJANO, Paulo Roberto Raposo. A evolução do espaço agrário fluminense. In: Geographia. Niterói, v. 13, p. 49-70, 2005.

BARTHES, Roland. Aula: aula inaugural da cadeira de semiologia literária do Colégio de França, pronunciada dia 07 de janeiro de 1977. São Paulo: Cultrix, 2007.

BRASIL. Secretaria de Educação Fundamental. Parâmetros curriculares nacionais: Geografia. Brasília: MEC/SEF, 1998. 435 p.

CANDIDO, Antonio. O direito à literatura. In: CANDIDO, A. Vários escritos. 4. ed. São Paulo: Duas cidades; Rio de Janeiro: Ouro sobre Azul, [1970] 2011. p. 171-193.

CASTELLAR, Sonia Maria Vanzella. Ensino de geografia. São Paulo: Cengage Learning, 2011 – (Coleção ideias em ação / coordenadora Anna Maria Pessoa de Carvalho).161 p.

CAVALCANTI, Lana de Souza. Geografia, escola e construção de conhecimento. Campinas: Papirus, 1998. 198 p.

FREIRE, Paulo. A Importância do Ato de Ler: em três artigos que se completam. 42.ed. São Paulo: Cortez - Questões da nossa época, 13 - [1988] 2001. 49 p.

GUERRA, Antonio José Teixeira; MARÇAL, Mônica dos Santos. (Org.). Geomorfologia ambiental. 3ª. ed. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil, 2010. 189 p

HARVEY, David. Espaços de Esperança. (Título original: Spaces of Hope) Tradução: Adail Ubirajara Sobral e Maria Stela Gonçalves, São Paulo: edições Loyola, 2004. 1 ed.

_________. O novo imperialismo. São Paulo: edições Loyola, 2005.

_________. Os limites do capital. São Paulo: Boitempo, 2013. 1 ed.

MOREIRA, Ruy. O Discurso do avesso (para a crítica da Geografia que se ensina). 1ª ed. Editora Dois Pontos: Rio de Janeiro, 1987.

RABELO, Amanda Oliveira. A importância da investigação narrativa na educação. Educação & Sociedade, vol. 32, núm. 114, enero-marzo, 2011, p. 171-188.

PAULINO, Maria das Graças; COSSON, Rildo. Letramento literário: para viver a literatura dentro e fora da escola. In: ZILBERMAN, Regina; ROSLING, Tânia. (Orgs.). Escola e leitura: velhas crises, novas alternativas. São Paulo: Global, 2009, p. 61-79.

SMITH, Neil. Desenvolvimento desigual: natureza, capital e a produção de espaço. 1 ed. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil, 1988.

Downloads

Publicado

2020-10-15 — Atualizado em 2020-10-15

Como Citar

Silva, T. L. A. da, & Nascimento, D. V. K. (2020). A Cartilha Deserto Verde no Rio de Janeiro como recurso didático no ensino de Geografia e Literatura. Revista Geografia, Literatura E Arte, 2(1), 22-35. https://doi.org/10.11606/issn.2594-9632.geoliterart.2020.167454

Edição

Seção

Artigos