Linguagens em (in)tens(ç)ões

ciência e arte no ensino de Geografia

Autores

  • Flaviana Gasparotti Nunes Universidade Federal da Grande Dourados https://orcid.org/0000-0002-7512-453X
  • Cláudio Bento O. Ferraz Universidade Estadual Paulista (UNESP), campus Presidente Prudente

DOI:

https://doi.org/10.11606/issn.2594-9632.geoliterart.2018.174356

Palavras-chave:

Linguagens, Ciência, Geografia, Arte

Resumo

A crise do conhecimento científico indica a necessidade de repensarmos o modelo uniforme de seu discurso na direção da abertura ao diálogo com outras linguagens e instâncias do saber humano, como a filosofia e, principalmente, as artes. Partindo desse pressuposto, faremos uso de alguns trechos do livro gráfico Do Inferno para analisarmos as possibilidades de geografias tensionarem o discurso hegemônico dessa ciência. Neste sentido, destacamos o potencial da arte em apresentar outros sentidos para o conhecimento geográfico, fazendo a linguagem científica derivar em novas possibilidades. 

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Flaviana Gasparotti Nunes, Universidade Federal da Grande Dourados

Doutora em Geografia pela UNESP – Presidente Prudente. Professora do Programa de Pós-Graduação em Geografia da Universidade Federal da Grande Dourados (UFGD). Membro do Grupo de Pesquisa Linguagens Geográficas e da Rede Imagens Geografias e Educação.

Cláudio Bento O. Ferraz, Universidade Estadual Paulista (UNESP), campus Presidente Prudente

Professor do Departamento de Educação da FCT/UNESP de Presidente Prudente (SP) e do Programa de Pós-Graduação em Geografia da UFGD (MS). Coordenador do Grupo de Pesquisa Linguagens Geográficas. Membro da Rede Imagens, Geografias e Educação.

Referências

DELEUZE, Gilles; GUATTARI, Félix. O que é Filosofia? Rio de Janeiro: ed. 34, 1992.

DESCARTES, René. Discurso do Método. Os Pensadores. São Paulo, Nova Cultural, 1996.

FERRAZ, Cláudio Benito O. Literatura e Espaço: aproximações possíveis entre arte e geografia. In: SOUZA, Adauto O. [et. al.]. Transfazer o espaço: ensaios de como a literatura vira espaço e vice versa. Dourados (MS): Editora da UFGD, 2011, p. 11-58.

HORKHEIMER, Max. Teoria Tradicional e Teoria Crítica. Os Pensadores. São Paulo, Abril Cultural, 1983.

MOORE, Alan. Do Inferno. São Paulo, Via Lettera, 2000.

PRIGOGINE, Ilya. Ilya Prigogine, arquiteto das "estruturas dissipativas". In: PESSIS-PASTERNAK, Guita. Do Caos à inteligência artificial - entrevistas de Guita Pessis-Pasterk. São Paulo, Ed. Unesp, 1993.

TELLES, Ignácio S. Vivência e Reflexão - o esvaziado coração dos homens. São Paulo, I. S. Telles, 1997.

Downloads

Publicado

2018-12-21

Como Citar

Nunes, F. G., & Ferraz, C. B. O. (2018). Linguagens em (in)tens(ç)ões: ciência e arte no ensino de Geografia. Revista Geografia, Literatura E Arte, 1(2), 35-51. https://doi.org/10.11606/issn.2594-9632.geoliterart.2018.174356

Edição

Seção

Artigos