Portal da USP Portal da USP Portal da USP

Avaliação intermunicipal dos riscos de desastres naturais associados à dinâmica climática no estado do Ceará

João Luís Sampaio Olímpio, Maria Elisa Zanella

Resumo


Os desastres naturais associados à dinâmica climática são fenômenos que compõem a própria história do estado do Ceará, na medida em que a escassez e os excessos hídricos desencadearam situações de crise, sobretudo nos pontos mais vulneráveis. Nesse sentido, esta investigação buscou determinar o nível de risco de desastres naturais entre os municípios cearenses. Levantaram-se registros de desastres produzidos por estiagens/secas e inundações entre 2003 e 2012, assim como dados censitários que expressam a vulnerabilidade municipal. Também se elaborou uma proposta metodológica para avaliar os riscos naturais a partir da integração de variáveis que indicam a vulnerabilidade e os perigos existentes na área de estudo, seguida da construção de um índice de risco denominado Irden. Os resultados foram espacializados por meio de um sistema de informação geográfica. A metodologia mostrou-se eficiente ao representar a verdade observada em campo e por ser de facilmente aplicável a outros contextos geográficos.


Palavras-chave


Risco. Desastre. Vulnerabilidade. Seca. Inundação.

Texto completo:

PDF

Referências


ALMEIDA, L. Q. Vulnerabilidade socioambiental dos rios urbanos: bacia hidrográfica do rio Maranguapinho, Região Metropolitana de Fortaleza, Ceará. Tese (Doutorado em Geografia) – Instituto de Geociências e Ciências Exatas, Universidade Estadual Paulista, Rio Claro, 2010.

BRASIL. Instrução Normativa n. 1, 24 de agosto de 2012. Estabelece procedimentos e critérios para a decretação de situação de emergência ou estado de calamidade pública pelos Municípios, Estados e pelo Distrito Federal, e para o reconhecimento federal das situações de anormalidade decretadas pelos entes federativos e dá outras providências. Diário Oficial da União, Brasília, DF, 30 ago. 2012. Seção 1, p. 30-39.

FERREIRA, A. G.; MELLO, N. G. S. Principais sistemas atmosféricos atuantes sobre a região Nordeste do Brasil e a influência dos oceanos Pacífico e Atlântico no clima da região. Revista Brasileira de Climatologia, Curitiba, PR, v. 1, n. 1, p. 15-28, 2005.

HÉTU, B. Uma geomorfologia socialmente útil: os riscos naturais em evidência. Revista Mercator, Fortaleza, v. 2, n. 3, p. 83-98, 2003.

IBGE. INSTITUTO BRASILEIRO DE GEOGRAFIA E ESTATÍSTICA. Sistema IBGE de Recuperação Automática: Sidra, 2016. Disponível em: www.sidra.ibge.gov.br/cd/cd2010RgaAdAgsn.asp. Acesso em: 28 jul. 2016.

______. INSTITUTO BRASILEIRO DE GEOGRAFIA E ESTATÍSTICA. Censo demográfico de 2010. Disponível em: www.sidra.ibge.gov.br/cd/cd2010agsub.asp?o=8&i=P. Acesso em: 25 ago. 2016.

IPEA. INSTITUTO DE PESQUISA ECONÔMICA APLICADA. Atlas da vulnerabilidade social nos municípios brasileiros. In: COSTA, M. A.; MARGUTI, B. O. (Ed.). Brasília, DF: IPEA, 2015.

IPECE. INSTITUTO DE PESQUISA E ESTRATÉGIA ECONÔMICA DO CEARÁ. Anuário Estatístico do Ceará 2011. Fortaleza: IPECE. Disponível em: www2.ipece.ce.gov.br/publicacoes/anuario/anuario2011/qualidade/index.htm. Acesso em: 28 jul. 2016.

ISDR. INTERNATIONAL STRATEGY FOR DISASTER REDUCTION. Living with risk: a global review of disaster reduction initiatives. Geneva: UN/ISDR, 2004.

KAYANA, M. T.; ANDREOLI, R. V. Clima da região Nordeste do Brasil. In: CAVALCANTI, I. F. A. et al. (Org.). Tempo e Clima no Brasil. São Paulo: Oficina de Textos, 2009. p. 213-234.

KOBIYAMA, M. et al. Prevenção de desastres naturais: conceitos básicos. Florianópolis: Organic Trading, 2006.

MONTEIRO, J. B. Chover, mas chover de mansinho: desastres naturais e chuvas extremas no estado do Ceará. Dissertação (Mestrado em Geografia) – Centro de Ciências, Universidade Estadual do Ceará, Fortaleza, 2011.

MOLION; J. C. B.; BERNARDO, S. O. Uma revisão da dinâmica das chuvas no Nordeste brasileiro. Revista Brasileira de Meteorologia, v. 7, n. 1, p. 1-10, 2002.

OLÍMPIO, J. L. S. Desastres naturais associados à dinâmica climática no estado do Ceará: subsídios à gestão dos riscos de secas e de inundações. Dissertação (Mestrado em Geografia) – Centro de Ciências, Universidade Federal do Ceará, Fortaleza, 2013.

REBELO, F. Um novo olhar sobre os riscos? O exemplo das cheias rápidas (Flash Floods) em domínio mediterrâneo. Territorium, Coimbra, v. 15, p. 7-14, 2008.

ROSA, S.; COSTA, M. C. L. Banco de dados de vulnerabilidade socioambiental da Região Metropolitana de Fortaleza-CE. In: DANTAS, E. W. C.; COSTA, M. C. L. (Org.). Vulnerabilidade socioambiental: na Região Metropolitana de Fortaleza. Fortaleza: UFC, 2009. p. 165-190.

SEDEC. SECRETARIA NACIONAL DE PROTEÇÃO E DEFESA CIVIL. Sistema integrado de informações sobre desastres – S2ID, 2013. Disponível em: s2id.mi.gov.br/. Acesso em: 4 mar. 2016.

SOUZA, L. B.; ZANELLA, M. E. Percepções de riscos ambientais: teorias e aplicações. Fortaleza: UFC, 2009.

VEYRET, Y.; RICHMOND, N. M. Definições e vulnerabilidade do risco. In: VEYTET, Y. (Org.). Os riscos: o homem como agressor e vítima do meio ambiente. São Paulo: Contexto, 2007. p. 25-46.

ZANELLA, M. E. As características climáticas e os recursos hídricos do Ceará. In: SILVA, J. B.; CAVALCANTE, T. C.; DANTAS, E. W. C. (Org.). Ceará: um novo olhar geográfico. 2. ed. Fortaleza: Demócrito Rocha, 2007.

______ et al. Vulnerabilidade socioambiental de Fortaleza. In: DANTAS, E. W. C.; COSTA, M. C. L. (Org.). Vulnerabilidade socioambiental: na Região Metropolitana de Fortaleza. Fortaleza: UFC, 2009. p. 191-216.




DOI: http://dx.doi.org/10.11606/issn.2179-0892.geousp.2017.110719

Métricas do Artigo

Carregando métricas...

Metrics powered by PLOS ALM

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Direitos autorais 2017 João Luís Sampaio Olímpio, Maria Elisa Zanella

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional.

GEOUSP: Espaço e Tempo (Online)
ISSN 2179-0892
Departamento de Geografia - FFLCH - USP
geouspusp.br / www.geografia.fflch.usp.br