Por uma interpretação humanista da relação entre lugar e mobilidade

  • Jean Lucas da Silva Brum Colégio Pedro II - Professor de Geografia
Palavras-chave: Lugar. Tempo. Mobilidade. Geografia Humanista. Dança-do-Lugar.

Resumo

Este ensaio apresenta uma reflexão crítica sobre a construção de sentidos de lugar pela prática da mobilidade, à luz de um olhar humanista-cultural. Limitamo-nos a construir um debate essencialmente teórico, baseando nas principais referências sobre lugar no entendimento humanista em geografia. Diferentemente do que apontam muitos geógrafos, acreditamos que a perspectiva humanista não exclui o papel da mobilidade na produção dos lugares. Muito embora o termo lugar seja um dos principais conceitos em geografia, o debate sobre sua definição ainda é escasso, sobretudo no que tange à relação entre lugar e mobilidade. Com este trabalho, pretendemos enriquecer a discussão em torno do conceito de lugar e sua importância na interpretação geográfica.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Jean Lucas da Silva Brum, Colégio Pedro II - Professor de Geografia
Mestre em Geografia pela Universidade do Estado do Rio de Janeiro (2016). Licenciado em Geografia pela Universidade Federal Fluminense (2014), tendo realizado um período de estudos no Instituto de Geografia da Faculdade de Letras da Universidade de Coimbra - Portugal. Atualmente é professor de geografia (ensino básico) no Colégio Pedro II - Campus Centro. Tem experiência na área de geografia humana, atuando nos seguintes temas: lugar, mobilidade, geografia humanista, geografia cultural, cinema e representação.

Referências

AUGÉ, M. Por uma antropologia da mobilidade. Maceió: Edufal/Unesp, 2010.

______. Paris and the ethnography of the contemporary world. In: SHERINGHAM, M. (Ed.). Parisian fields. London: Reaktion, 1996. p. 175-181.

______. Não lugares: introdução a uma antropologia da supermodernidade. Campinas, SP: Papirus, 1994.

BAUMAN, Z. Modernidade líquida. Rio de Janeiro: Zahar, 2001.

______. Globalização: as consequências humanas. Rio de Janeiro: Zahar, 1999.

BONNEMAISON, J. Viagem em torno do território. In: CORRÊA, R. L.; ROSENDAHL, Z. (Org.). Geografia cultural: uma antologia. v. I. Rio de Janeiro: Eduerj, 2012. p. 279-304.

BUTTIMER, A. Lar, horizontes de alcance e o sentido de lugar. Geograficidade, Niterói, RJ, v. 5, n. 1, p. 4-19, 2015.

______. Aprendendo o dinamismo do mundo vivido. In: CHRISTOFOLETTI, A. C. (Org.). Perspectivas da geografia. São Paulo: Difel, 1985. p. 165-193.

CARVALHO, R. O “balé do lugar” na cidade do Rio de Janeiro: a cultura como instrumento de resignificação espacial. In: CONGRESSO BRASILEIRO DE CIÊNCIAS DA COMUNICAÇÃO, 29., 2006, Brasília. Anais... Brasília, 2006.

CASEY, E. Between Geography and Philosophy: the place-world? In: ASSOCIATION OF AMERICAN GEOGRAPHERS, 2001. Annals… v. 91, n. 4, 2001. p. 83-93.

CASTELLS, M. A galáxia da internet. Rio de Janeiro: Zahar, 2003.

CORREA, R. Trajetórias geográficas. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil, 1997.

CRESSWELL, T. Towards a politics of mobility. Environment and Planning D: Society and Space, n. 28, p. 17-31, 2010.

______. Place. In: KITCHIN, R.; THRIFT, N. (Ed.). International Encyclopedia of Human Geography. Amsterdam: Elsevier Science, 2009. v. 8. p. 169-177.

______. On the Move: Mobility in the Modern Western World. New York: Routledge, 2006.

______. Place: a short introduction. Oxford: Blackwell, 2004.

______. Theorizing place. In: CRESSWELL, T.; GINETTE, V. (Ed.). Mobilizing Place, Placing Mobility. Amsterdam: Rodopi, 2002. p. 11-31.

CRESSWELL, T.; MERRIMAN, P. (Ed.). Geographies of Mobility: Practices, Spaces, Subjects. Aldershot: Ashgate, 2008.

DARDEL, E. O homem e a terra: natureza da realidade geográfica. São Paulo: Perspectiva, 2011.

______. L’homme et la terre: nature de la réalité geographique. Paris: PUF, 1952.

HAESBAERT. R. O mito da desterritorialização: do “fim dos territórios” à multiterritorialidade. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil, 2004.

HARVEY, D. A condição pós-moderna: uma perspectiva sobre as origens da mudança social. São Paulo: Loyola, 1992.

HOLZER, W. A geografia humanista: uma revisão. In: CORRÊA, R. L.; ROSENDAHL, Z. (Org.). Geografia cultural: uma antologia. Rio de Janeiro: Eduerj, 2012. p. 165-178. v. 1.

______. O conceito de lugar na geografia cultural-humanista: uma contribuição para a geografia contemporânea. GEOgraphia, Niterói, RJ, v. 5, n. 10, p. 113-123, 2003.

______. O lugar na geografia humanista. Território, Rio de Janeiro, v. IV, n. 7, p. 67-78, 1999.

______. A geografia humanista anglo-saxônica: de suas origens aos anos 1990. Revista Brasileira de Geografia, Rio de Janeiro, n. 55, p. 109-146, 1993.

LEVY, J. Os novos espaços da mobilidade. GEOgraphia, Niterói, RJ, v. 3, n. 6, p. 7-17, 2001.

MARANDOLA JR., E. Habitar em risco: mobilidade e vulnerabilidade na experiência metropolitana. São Paulo: Blucher, 2014.

______. Fenomenologia e pós-fenomenologia: alternâncias e projeções do fazer geográfico humanista na geografia contemporânea. Geograficidade, Niterói, RJ, v. 3, n. 2, p. 49-64, 2013.

______. Lugar enquanto circunstancialidade. In: MARANDOLA JR, E.; HOLZER, W.; OLIVEIRA, L. (Org.). Qual o espaço do lugar? Geografia, epistemologia, fenomenologia. São Paulo: Perspectiva, 2012. p. 227-248.

MASSEY, D. Um sentido global de lugar. In: ARANTES, O. (Org.). O espaço da diferença. Campinas: Papirus, 2010. p. 176-185.

______. Pelo espaço: uma nova política da espacialidade. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil, 2000.

MELLO, J. O triunfo do lugar sobre o espaço. In: MARANDOLA JR., E.; HOLZER, W.; OLIVEIRA, L. (Org.). Qual o espaço do lugar? Geografia, epistemologia, fenomenologia. São Paulo: Perspectiva, 2012. p. 33-68.

______. Explosões e estilhaços de centralidades no Rio de Janeiro. Espaço e Cultura, Rio de Janeiro, n. 1, p. 23-44, 1995.

______. O Rio de Janeiro dos compositores da música popular brasileira (1928-1991): uma introdução à geografia humanística. Dissertação (Mestrado em Geografia) – Instituto de Geociências, Universidade Federal do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, 1991.

______. Geografia humanística: a perspectiva de experiência vivida e uma crítica radical ao positivismo. Revista Brasileira de Geografia, Rio de Janeiro, v. 52, n. 4, p. 91-115, 1990.

MERRIMAN, P. Mobility. In: KITCHIN, R.; THRIFT, N. (Ed.). International Encyclopedia of Human Geography. Amsterdam: Elsevier Science, 2009. v. 7. p. 134-143.

MOREIRA, R. Pensar e ser em geografia. São Paulo: Contexto, 2010.

OLIVEIRA, L. O sentido de lugar. In: MARANDOLA JR, E.; HOLZER, W.; OLIVEIRA, L. (Org.). Qual o espaço do lugar? Geografia, epistemologia, fenomenologia. São Paulo: Perspectiva, 2012. p. 3-16.

RELPH, E. Reflexões sobre a emergência, aspectos e essência de lugar. In: MARANDOLA JR., E.; HOLZER, W.; OLIVEIRA, L. (Org.). Qual o espaço do lugar? Geografia, epistemologia, fenomenologia. São Paulo: Perspectiva, 2012. p. 17-32.

______. Sense of Place. In: HANSON, S. (Ed.). Ten Geographical Ideas that Have Changed the World. New Jersey: Rutgers University Press, 1997. p. 205-226.

______. As bases fenomenológicas da geografia. Geografia, Rio Claro, SP, v. 4, n. 7, p. 1-25, 1979.

______. Place and Placelessness. Londres: Pion, 1976.

ROSAS, G.; HOGAN, J. Ritmo e mobilidade cotidianos na experiência da metrópole. In: ENCONTRO DE GEÓGRAFOS DA AMÉRICA LATINA, 12., 2009 Montevideo. Anais... Montevideo, 2009.

SEAMON, D. Corpo-sujeito, rotinas espaço-temporais e danças-do-lugar. Geograficidade, Niterói-RJ, v. 3, n. 2, p. 4-18, 2013.

______. A Geography of the Lifeworld: Movement, Rest, and Encounter. London: Croom Helm, 1979.

SHELLER, M. Mobility. Sociopedia.isa (Online), Madrid, jul. 2011. Disponível em: http://www.sagepub.net/isa/resources/pdf/Mobility.pdf. Acesso em: 12 fev. 2017.

______; URRY, J. The new mobilities paradigm. Environment and Planning A, v. 38, p. 207-226, 2006.

TUAN, Y. Space and Place 2013. Geograficidade, Niterói, RJ, v. 4, n. 1, p. 4-13, 2014.

______. Espaço e lugar: a perspectiva da experiência. Londrina: Eduel, 2013.

______. Espaço, tempo, lugar: um arcabouço humanista. Geograficidade, Niterói, RJ, v. 1, n. 1, p. 4-15, 2011.

______. Geografia humanística. In: CHRISTOFOLETTI, A. (Org.). Perspectivas da Geografia. São Paulo: Difel, 1985. p. 103-141.

______. Ambiguidades nas atitudes para com o meio ambiente. Boletim Geográfico. Rio de Janeiro, v. 33, n. 245, p. 5-23, 1975b.

______. Place: An experiential perspective. Geographical Review, v. 65, n. 2, p. 151-165, 1975a.

VIRILIO, P. Guerra pura. São Paulo: Página Aberta, 1984.

Publicado
2017-08-14
Como Citar
Brum, J. (2017). Por uma interpretação humanista da relação entre lugar e mobilidade. GEOUSP Espaço E Tempo (Online), 21(1), 102-119. https://doi.org/10.11606/issn.2179-0892.geousp.2017.115023
Seção
Artigos