A Acumulação Primitiva do Capital e o Discreto Charme da Geografia Burguesa

  • Paulo Roberto Teixeira de Godoy Universidade Estadual Paulista
Palavras-chave: Acumulação, Valorização, Espaço

Resumo

O texto apresenta notas e apontamentos para uma análise histórica e dialética da produção do espaço geográfico como mercadoria específica do modo capitalista de produção. As formas de expropriação e de sucessivas separações entre as condições objetivas de produção e os produtores diretos constituem as bases categoriais da universalização da propriedade privada da terra e da geografia histórica da valorização capitalista no espaço. O território como dimensão concreta das práticas e das representações sociais orientadas pela lógica de valorização do capital e das formas ideológicas de dominação política é o pressuposto inicial da interpretação do processo de transformação do território em capital fictício.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

BENJAMIN, W. O capitalismo como religião. Trad. Nélio Schneider. São Paulo: Boitempo, 2013.

CHAUÍ, M. Seminários: o nacional e o popular na cultura brasileira. São Paulo: Brasiliense, 1984.

COTRIM, I. Karl Marx: a determinação ontonegativa originária do valor. São Paulo: Alameda, 2011.

HARVEY, D. O novo imperialismo. Trad. Adail Sobral; Maria Stela Gonçalves. São Paulo: Loyola, 2014.

HARVEY, D. Os limites do capital. Trad. Magda Lopes. São Paulo: Boitempo, 2013.

HARVEY, D. A produção capitalista do espaço. Trad. Carlos Szlak. São Paulo: Annablume, 2005.

LÊNIN, V. I. Imperialismo, fase superior do capitalismo. São Paulo: Global, 1987.

LUXEMBURG, R. A acumulação do capital. Trad. Marijane Vieira Lisboa; Otto Erich Walter Maas. São Paulo: Abril Cultural, 1984. v. 2.

MARTINS, J. S. O cativeiro da terra. São Paulo: Contexto, 2010.

MARX, K. Cadernos de Paris e manuscritos econômico-filosóficos de 1844. Trad. José Paulo Netto; Maria Antónia Pacheco. São Paulo: Expressão Popular, 2015.

MARX, K. O capital. Trad. Rubens Enderle. São Paulo: Boitempo, 2013. v. 1.

MARX, K. Grundrisse. Trad. Mario Duayer; Nélio Schneider. São Paulo: Boitempo, 2011.

MARX, K. Formações econômicas pré-capitalistas. Trad. João Maia. São Paulo: Paz e Terra, 1991.

MARX, K. O capital. Trad. Reginaldo Sant’anna. São Paulo: Difel, 1987. v. 2.

MARX, K. Manuscritos econômico-filosóficos de 1844. Trad. José Arthur Giannotti. São Paulo: Abril Cultural, 1974.

MARX, K. A origem do capital. Trad. Walter Maia. São Paulo: Fulgor, 1964.

MORAES, A. C. R. A afirmação da territorialidade estatal no Brasil: uma introdução. In: LEMOS, A. I.; SILVEIRA, M. L.; ARROYO, M. (Org.). Questões territoriais na América Latina. Buenos Aires: Clacso/São Paulo: Edusp, 2006. p. 41-54.

MORAES, A. C. R. Território e história do Brasil. São Paulo: Annablume, 2005.

MORAES, A. C. R. Bases da formação territorial do Brasil: o território colonial brasileiro no “longo” século XVI. São Paulo: Hucitec, 2000.

MORAES, A. C. R. Geografia crítica: a valorização do espaço. São Paulo: Hucitec, 1984.

ROSDOLSKY, R. Gênese e estrutura de O capital de Karl Marx. Trad. César Benjamin. Rio de Janeiro: Ed. UERJ/Contraponto, 2001.

SANTOS, M. Espaço e método. São Paulo: Nobel, 1992.

WOOD, E. M. O império do capital. Trad. Paulo C. Castanheira. São Paulo: Boitempo, 2014.

Publicado
2018-12-12
Como Citar
Godoy, P. R. (2018). A Acumulação Primitiva do Capital e o Discreto Charme da Geografia Burguesa. GEOUSP Espaço E Tempo (Online), 22(3), 559-571. https://doi.org/10.11606/issn.2179-0892.geousp.2018.119886