Portal da USP Portal da USP Portal da USP

Requalificação pela desqualificação: o discurso da reurbanização no “novo” Rio Vermelho

Roney Gusmão

Resumo


O presente artigo é produto de pesquisas que fizemos sobre as obras de requalificação do bairro Rio Vermelho, em Salvador. Nessa investigação, empenhamo-nos em problematizar os impactos do enobrecimento em curso no bairro, sobretudo para a população de menor poder aquisitivo, que tem sido alijada do direito de participar dos projetos da prefeitura. As intervenções urbanas feitas no Rio Vermelho mostram-se orquestradas pela mesma lógica que gerencia a cidade-empresa, onde (re)estruturas são balizadas para atender a expectativas de investidores e consumidores, negando a prerrogativa democrática do direito à cidade.


Palavras-chave


Rio Vermelho. Requalificação urbana. Gentrificação. Exclusão. Higienismo social.

Texto completo:

PDF

Referências


BAUMAN, Z. Modernidade líquida. Tradução de Plínio Dentzien. Rio de Janeiro: Zahar, 2001.

CARLOS, A. F. A. Da organização à “produção” do espaço no movimento do pensamento geográfico. In: CARLOS, A. F. A.; SOUZA, M. L. S; SPOSITO, M. E. B. (Org.). A produção do espaço urbano: agentes e processos, escalas e desafios. 3. ed. São Paulo: Contexto, 2014. p. 53-73.

______. A condição espacial. São Paulo: Contexto, 2011.

ENGELS, F. A situação da classe trabalhadora na Inglaterra. Tradução de Rosa Camargo Artigas, Reginaldo Forti. São Paulo: Global, 1985.

FURTADO, C. R. Intervenção do Estado e (re)estruturação urbana. Um estudo sobre gentrificação. Cadernos Metrópole, São Paulo, v. 16, n. 32, p. 341-364, nov. 2014. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/cm/v16n32/2236-9996-cm-16-32-0341.pdf. Acesso em: 28 jul. 2016.

GOOGLE Maps. Disponível em: https://www.google.com/maps/. Acesso em: 10 out. 2016.

GOTTDIENER, M. A produção social do espaço urbano. São Paulo: Edusp, 2010.

HARVEY, D. A liberdade da cidade. In: VAINER, C. et. al. Cidades rebeldes: passe livre e as manifestações que tomaram as ruas do Brasil. São Paulo: Boitempo, 2014. p. 47-61.

______. A produção capitalista do espaço. Tradução de Carlos Szlak. São Paulo: Annablume, 2005.

______. Condição pós-moderna. Tradução de Adail Ubirajara Sobral, Maria Stela Gonçalves. São Paulo: Loyola, 2001.

JACQUES, P. B. Patrimônio cultural urbano: espetáculo contemporâneo?. Revista de Urbanismo e Arquitetura, Salvador, v. 6, n. 1, p. 32-39, 2003. Disponível em: https://repositorio.ufba.br/ri/handle/ri/1368. Acesso em: 30 jul. 2016.

______ et al. Salvador, cidade do século XX: a partir das memórias de Pasqualino Romano Magnavita. Revista Redobra, Salvador, v. 14, p. 89-131, 2014. Disponível em: http://www.redobra.ufba.br/. Acesso em: 7 out. 2016.

LEFEBVRE, H. O direito à cidade. Tradução de Rubens Eduardo Frias. São Paulo: Centauro, 2001.

______. O pensamento marxista e a cidade. Tradução de Jehovanira de Souza. São Paulo: Ulisseia, 1972.

LEITE, R. P. A exaustão das cidades: antienobrecimento e intervenções urbanas em cidades brasileiras e portuguesas. Revista Brasileira de Ciências Sociais, São Paulo, v. 25, n. 72, fev. 2010. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/rbcsoc/v25n72/v25n72a06.pdf Acesso em: 30 jul. 2016.

______. Contra-usos e espaço público: notas sobre a construção social dos lugares na Manguetown. Revista Brasileira de Ciências Sociais, São Paulo, v. 17, n. 49, jun. 2002. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0102-69092002000200008. Acesso em: 30 jul. 2016.

MARX, K. O Capital. Tradução de Reginaldo Sant’Anna. 12. ed. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil, 1988. v. 1: livros I e II.

NUNES, J. H. O espaço urbano: a “rua” e o sentido público. In: ORLANDI, E. P. (Org.). Cidade atravessada: os sentidos públicos no espaço urbano. Campinas: Pontes, 2001. p. 101-110.

PACHECO, C. Novo Mercado do Peixe reabre essa semana com 11 novos restaurantes. Correio, Salvador, 14 ago. 2016.

PREFEITURA MUNICIPAL DE SALVADOR. Orla Salvador. Disponível em: http://www.novaorla.salvador.ba.gov.br/index.php/rio-vermelho. Acesso em: 8 out. 2016.

SALVADOR. Decreto n. 19.402 de 18 de março de 2009. Aprova o Regimento da Fundação Mário Leal Ferreira (FMLF), e dá outras providências. Gabinete do Prefeito Municipal de Salvador, mar. 2009. Disponível em: http://fmlf.salvador.ba.gov.br/images/Organograma_e_Regimento.pdf. Acesso em: 14 ago. 2016.

SANTOS, M. Espaço e sociedade. Petrópolis: Vozes, 1979.

SENNETT, R. O declínio do homem público. Tradução de Lygia Araujo Watanabe. Rio de Janeiro: Record, 2014.

SERPA, A. Lugar e centralidade em um contexto metropolitano. In: CARLOS, A. F. A. et al. (Org.). A produção do espaço urbano: agentes e processos, escalas e desafios. São Paulo: Contexto, 2014. p. 123-146.

SIQUEIRA, M. T. Entre o fundamental e o contingente: dimensões da gentrificação contemporânea nas operações urbanas em São Paulo. Cadernos Metrópole, São Paulo, v. 16, n. 32, p. 391-416, nov. 2014.

SMITH, N. Gentrificação, a fronteira e a reestruturação do espaço urbano. Tradução de Daniel de Melo Sanfelici. Geousp – Espaço e Tempo, São Paulo, n. 21, 2007. Disponível em: http://www.geografia.fflch.usp.br/publicacoes/Geousp. Acesso em: 7 out. 2016.




DOI: http://dx.doi.org/10.11606/issn.2179-0892.geousp.2017.121837

Métricas do Artigo

Carregando métricas...

Metrics powered by PLOS ALM

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Direitos autorais 2017 Roney Gusmão Carmo

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional.

GEOUSP: Espaço e Tempo (Online)
ISSN 2179-0892
Departamento de Geografia - FFLCH - USP
geouspusp.br / www.geografia.fflch.usp.br