A contribuição da biogeografia no estudo da biodiversidade

Autores

  • Jérôme Fournier

DOI:

https://doi.org/10.11606/issn.2179-0892.geousp.2002.123655

Palavras-chave:

Biodiversidade, biogeografia, ecologia, gestão, meio ambiente

Resumo

A biodiversidade, tema central deste artigo, está atualmente ameaçada. Pesquisar as causas de sua erosão, analisando os mecanismos, prevendo suas conseqüências, e, em seguida, proteger o que pode ser protegido, são um dos maiores desafios aos quais a comunidade científica se confronta. A biogeografia e a ecologia são as disciplinas metadisciplinares que melhor integraram a diversidade das pertubaçôes de origem antrópica. O declínio generalizado da biodiversidade se traduz pelo desaparecimento progressivo das populações locais e pela fragmentação dos habitats. Esta erosão reduz as diversidades local (alfa) e regional (gama), empobrece o tecido das comunidades, rompe as interações mútuas e deteriora os ciclos biogeoquí- micos. Os geógrafos podem participar neste desafio. Os instrumentos de sensoriamento remoto e os Sistemas de Informação Geográfica (SIG) são de grande utilidade para o estudo diacrõnico dos fenômenos em escalas locais, regionais e continentais. A análise da fragmentação dos ecossistemas pode permitir uma melhor compreensão dos mecanismos em jogo e ajudar a estabelecer áreas protegidas. A contribuição dos geógrafos é, portanto, complementar à dos biólogos da conservação e à dos ecologistas

Downloads

Não há dados estatísticos.

Publicado

2002-12-06

Como Citar

FOURNIER, J. A contribuição da biogeografia no estudo da biodiversidade. GEOUSP Espaço e Tempo (Online), [S. l.], v. 6, n. 1, p. 165-178, 2002. DOI: 10.11606/issn.2179-0892.geousp.2002.123655. Disponível em: http://www.revistas.usp.br/geousp/article/view/123655. Acesso em: 22 out. 2020.

Edição

Seção

Intercâmbio