Interações entre componentes regionais do sistema bancário nacional

  • Fernando Nogueira Costa Universidade Estadual de Campinas. Instituto de Economia
Palavras-chave: Bancos. Atividade regional. Crescimento. Desenvolvimento. Mudanças.

Resumo

Autores pós-keynesianos esperavam que a atividade bancária agravasse a concentração regional no Brasil. Minha hipótese é que “a organização do espaço geoeconômico brasileiro influencia o crédito”, em vez de pressupor que “as finanças vêm influenciando a organização do espaço geográfico brasileiro”. Há uma tendência histórica de concentração locacional de redes e sedes de agências bancárias, atraídas por captação de riqueza financeira. Mas contrabalança-se o destino do crédito dirigido pela demanda, no caso de bancos privados, com crédito direcionado, no caso de bancos públicos. A ação bancária pública é orientada também pelo conhecimento desse efeito compensatório da desigualdade regional.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Fernando Nogueira Costa, Universidade Estadual de Campinas. Instituto de Economia
Professor Titular do Instituto de Economia - IE/UNICAMP

Referências

ANBIMA. ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DAS ENTIDADES DOS MERCADOS FINANCEIRO E DE CAPITAIS. Boletim de Private e Varejo. Disponível em: http://www.anbima.com.br/pt_br/informar/relatorios/varejo-private-e-gestores-de-patrimonio/boletim-de-private-e-varejo/boletim-de-private-e-varejo.htm. Acesso em: 20 jun. 2017.

AMADO, A. Moeda, financiamento, sistema financeiro e trajetórias de desenvolvimento regional desigual: a perspectiva pós-keynesiana. Revista de Economia Política, São Paulo, v. 18, n. 1, p. 76-89, jan./mar. 1998.

______. A questão regional e o sistema financeiro no Brasil: uma interpretação pós-keynesiana. Estudos Econômicos, São Paulo, v. 27, n. 3, p. 417- 440, set./dez. 1997.

BCB. BANCO CENTRAL DO BRASIL. Nota para imprensa. Política Monetária e Operações de Crédito do SFN, 24 fev. 2016. Disponível em: https://www.bcb.gov.br/htms/notecon2-p.asp. Acesso em: 14 jun. 2017.

______. Dados Selecionados de Entidades Supervisionadas. Disponível em: https://www3.bcb.gov.br/informes/relatorios?lingua=pt. Acesso em: 14 jun. 2017.

______. SCR – Sistema de Informações de Crédito. Disponível em: http://www.bcb.gov.br/pt-br/#!/n/SCR. Acesso em: 14 jun. 2017.

______. SGS – Sistema Gerenciador de Séries Temporais. Disponível em: https://www3.bcb.gov.br/sgspub/localizarseries/localizarSeries.do?method=prepararTelaLocalizarSeries. Acesso em: 14 jun. 2017.

______. Relatório de Poupança. Disponível em: http://www.bcb.gov.br/Pre/SalaImprensa/port/poupanca.asp. Acesso em: 20 jun. 2017.

CAVALCANTE, A.; CROCCO, M. A.; JAYME JR., F. G. Preferência pela liquidez, sistema bancário e disponibilidade de crédito regional. Belo Horizonte: Cedeplar/Face/UFMG, 2004.

COSTA, F. N. Atuação anticíclica dos bancos públicos brasileiros. Campinas: TDIE-Unicamp 258, set. 2015.

______. Brasil dos Bancos. São Paulo: Edusp, 2012.

______. (Im)propriedades da moeda. Revista de Economia Política, São Paulo, v. 13, n. 2, p. 61-75, 1993.

COSTA, F. N.; MARINHO, M. R. N. Bancos no estado de São Paulo: 1988-93. In: ARAÚJO, M. F. I.; GUIZZARDI FILHO, O. (Coord.). Estratégias recentes no terciário paulista. São Paulo: Análise & Ensaios Seade, 1995. p. 49-92.

COSTA, F. N.; PINTO, G. M. A. Impactos da pressão para concorrência bancária no mercado de crédito brasileiro. Campinas: TDIE-Unicamp 215, fev. 2013.

CROCCO, M. A. O financiamento do desenvolvimento regional no Brasil: diagnósticos e propostas. Agenda Brasil, p. 297-332, 2004.

______ et al. The behauviour of liquidity preference of banks and public and regional development: the case of Brazil. Journal of Post Keynesian Economics, Nova York, v. 28, n. 2, p. 217-240, 2005.

______ et al. Liquidity Preference of Banks and Public and Regional Development: the case of Brazil. – texto para discussão. Belo Horizonte: UFMG/Cedeplar, 2004.

______ et al. Desenvolvimento econômico, preferência pela liquidez e acesso bancário: um estudo de caso – texto para discussão n. 192. Belo Horizonte: UFMG/Cedeplar, 2003.

CROCCO, M.; FIGUEIREDO, A. T. L. Differentiated Bank Strategies Across The Territory: An Exploratory Analysis. Belo Horizonte: Cedeplar/Face/UFMG, 2009.

DIXON, R.; THIRLWALL, A. P. A Model Of Regional Growth-Rate Differences On Kaldorian Lines. Oxford Economic Papers, v. 27, n. 2, p. 201-214, jul. 1975.

DOW, S. C. The Stages of Banking Development and the Spatial Evolution of Financial Systems. In: MARTIN, R. (Ed.). Money and the Space Economy. Chichester, UK: Wiley-Blackwell, 1999. p. 31-48.

______. Money and the Economic Process. Cheltenham, UK: Edward Elgar, 1993.

______; RODRÍGUEZ-FUENTES, C. EMU and the Regional Impact of Monetary Policy. Regional Studies, v. 37, n. 9, p. 969-980, dec. 2003.

______. Regional Finance: A survey. Regional Studies, v. 31, n. 9, p. 903-920, 1997.

FERNANDES, M. et al. Sistema financeiro e desenvolvimento regional: notas exploratórias. In: PAULA, L. F.; OREIRO, J. L. Sistema financeiro: uma análise do sistema bancário brasileiro. Rio de Janeiro: Elsevier, 2007. p. 285-305.

FREITAS, A. P. G.; DE PAULA, L. F. R. Concentração regional do crédito e consolidação bancária no Brasil: uma análise pós-real. Revista Economia, Brasília, DF, v. 11, n. 1, p. 97-123, jan./abr. 2010.

IBGE. INSTITUTO BRASILEIRO DE GEOGRAFIA E ESTATÍSTICA. Contas Regionais do Brasil: 2010-2014. Rio de Janeiro: IBGE, 2014. Disponível em: http://www.ibge.gov.br/home/estatistica/economia/contasregionais/2014/. Acesso em: 20 jun. 2017.

JAYME JR., F. G.; CROCCO, M. A. (Org.). Bancos públicos e desenvolvimento. Brasília, DF: Ipea, 2010. p. 105-150.

______. Política Fiscal, disponibilidade de crédito e financiamento de políticas regionais no Brasil. Belo Horizonte: Face/Cedeplar/UFMG, maio 2005.

MENEZES, M. S.; CROCCO, M. A. Avaliação das condições de financiamento do desenvolvimento regional: notas preliminares. In: ENCONTRO NACIONAL DA ANPUR, 11., 2005, Salvador. Anais... Salvador, 2005. Disponível em: http://www.anpur.org.br/anaisAbrir/61/1/anais-do-xi-ena. Acesso em: 20 jun. 2017.

MOORE, B. Horizontalists and Verticalists: The Macroeconomics of Credit Money. Cambridge: Cambridge University Press, 1988.

MYRDAL, G. Teoria econômica e regiões subdesenvolvidas. 2. ed. Rio de Janeiro: Saga, 1968.

RODRIGUEZ-FUENTES, C. J. Credit Availability and Regional Development. Regional Science, v. 77, n. 1, p. 63-75, 1998.

SICSÚ, J.; CROCCO, M. A. Em busca de uma teoria da localização das agências bancárias: algumas evidências do caso brasileiro. Economia, Niterói, v. 4, n. 1, p. 85-112, jan./jun. 2003.

TORRES, H. G. Sedes dos grandes grupos econômicos: relevância para as metrópoles brasileiras. 1ª Análise Seade, São Paulo, n. 12, mar. 2014.

Publicado
2017-10-19
Como Citar
Costa, F. (2017). Interações entre componentes regionais do sistema bancário nacional. GEOUSP: Espaço E Tempo (Online), 21(2), 425-442. https://doi.org/10.11606/issn.2179-0892.geousp.2017.134540
Seção
Dossiê "Geografia e finanças"