O correspondente bancário como estratégia de reorganização de redes bancárias e financeiras no Brasil

  • Leila Christina Duarte Dias Departamento de Geociências, Universidade Federal de Santa Catarina
Palavras-chave: Geografia das finanças. Rede bancária. Rede financeira. Correspondente bancário. Crédito consignado.

Resumo

Este trabalho objetiva trazer elementos para discutir a crescente complexidade das redes bancárias e financeiras no Brasil analisando seu processo de reorganização nas últimas décadas e a invenção do correspondente bancário, objeto híbrido que combina serviço, tecnologia de comunicação e produto. Adquirindo outros bancos e sociedades de crédito para cumprir seus objetivos, os grupos financeiros têm presença no território garantida pelos correspondentes bancários – agentes comerciais e milhares de pequenos escritórios de contabilidade conectados às sedes dos bancos por plataformas tecnológicas que permitem prestar serviços. As operações de crédito e de arrendamento mercantil foram os serviços mais usados nos correspondentes bancários em 2016, chamando atenção para o processo de endividamento crescente dos mais pobres e idosos.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Leila Christina Duarte Dias, Departamento de Geociências, Universidade Federal de Santa Catarina

Departamento de Geociências, Universidade Federal de Santa Catarina Pesquisadora do CNPq

Referências

ABUD JUNIOR, J. Cresce demanda por correspondentes bancários. Jornal Diebold, São Paulo, v. 17, maio 2008. Disponível em: http://www.diebold.com.br/dweb/ M_JornalDiebold.asp. Acesso em: 9 jan. 2009.

AGÊNCIA ESTADO. Bancos investem em operações pela Internet. O Estado de S. Paulo, São Paulo, 5 jun. 2000. Economia e Negócios. Disponível em: http://economia.estadao.com.br/noticias/geral,bancos-investem-em-operacoes-pela-internet,20000605p7213. Acesso em 10 jul. 2017.

ALVARENGA, D. Mobile banking se torna meio mais usado para transações bancárias, diz Febraban. G1, 10 maio 2017. Disponível em: https://g1.globo.com/economia/seu-dinheiro/noticia/mobile-banking-se-torna-meio-mais-usado-para-transacoes-bancarias-diz-febraban.ghtml. Acesso em: 2 ago. 2017.

BCB. BANCO CENTRAL DO BRASIL. Boletim regional, Brasília, v. 5, n. 2, abr. 2011a.

______. Resolução n. 3.954, de 24 de fevereiro de 2011. Altera e consolida as normas que dispõem sobre a contratação de correspondentes no país. Diário Oficial da União, Brasília, DF, 25 fev. 2011b. Seção 1, p. 44-45. Disponível em: https://www.bcb.gov.br/pre/normativos/busca/normativo.asp?tipo=res&ano=2011&numero=3954. Acesso em: 23 set. 2017.

______. Bancos Brasileiros após a Resolução 1.524, de 21.09.88, [s.d.]a. Disponível em: http://www.bcb.gov.br/htms/deorf/e88-2000/texto.asp?idpai=RELSFN19882000. Acesso em: 3 jul. 2017.

______. Correspondentes no país, [s.d.]b. Disponível em: http://www.bcb.gov.br/fis/info/correspondentes.asp. Acesso em: 11 jul. 2017.

______. Relação de instituições em funcionamento no país, [s.d.]c. Disponível em: http://www.bcb.gov.br/fis/info/instituicoes.asp. Acesso em: 4 set. 2017.

______. Relatório de Evolução do SFN, [s.d.]d. Disponível em: http://www.bcb.gov.br/?revsfn201612. Acesso em: 4 ago. 2017.

BRASIL. Lei n. 10.820, de 17 de dezembro de 2003. Dispõe sobre a autorização para desconto de prestações em folha de pagamento, e dá outras providências. Diário Oficial da União, Brasília, DF, 18 dez. 2003a. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/leis/2003/L10.820.htm. Acesso em: 15 set. 2017.

______. Medida Provisória n. 130, de 17 de setembro de 2003. Dispõe sobre a autorização para desconto de prestações em folha de pagamento, e dá outras providências. Diário Oficial da União, Brasília, DF, 18 set. 2003b. Disponível em: http://www2.camara.leg.br/legin/fed/medpro/2003/medidaprovisoria-130-17-setembro-2003-497030-publicacaooriginal-1-pe.html. Acesso em: 15 set. 2017.

______. Lei n. 6.445, de 4 de outubro de 1977. Dispõe sobre consignações em folha de pagamento de servidores civis, ativos e inativos, da Administração Federal direta e das autarquias federais e dá outras providências. Diário Oficial da União, Brasília, DF, 5 out. 1977. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/leis/1970-1979/L6445.htm. Acesso em: 15 set. 2017.

CERQUEIRA, H. E. A.; AMORIM, W. A. Evolução e características do emprego no setor bancário. In: CARLEIAL, L.; VALLE, R. (Org.). Reestruturação produtiva e mercado de trabalho no Brasil. São Paulo: Hucitec, 1997. p. 399-418.

CONTEL, F. Espaço geográfico, sistema bancário e a hipercapilaridade do crédito no Brasil. Caderno CRH, Salvador, v. 22, n. 55, p. 119-134, 2009.

______. Território e finanças: técnicas, normas e topologias bancárias no Brasil. Tese (Doutorado em Geografia) – Faculdade de Filosofia, Letras e Ciência Humanas, Universidade de São Paulo, São Paulo, 2007.

CORRÊA, R. L. Concentração bancária e os centros de gestão do território. Revista Brasileira de Geografia, Rio de Janeiro, v. 51, n. 1, p. 17-32, 1989.

CORREIOS. Banco Postal, [s.d.]. Disponível em: https://www.correios.com.br/Para-governo/governo-estadual/solucoes-financeiras. Acesso em: 4 ago. 2017.

CREUZ, V. Renovadas articulações entre os circuitos da economia urbana através das finanças: especificidades de Buenos Aires e São Paulo. Boletim Campineiro de Geografia, Campinas, v. 3, n. 3, p. 491-510, 2013.

DIAS, L. C. Reorganização das redes bancárias no Brasil: concentração e expansão geográfica. In: MARTINS, C. A. et al. (Org.). Quintas urbanas: cidades e possibilidades. Rio Grande, RS: Ed. Furg, 2011. p. 25-42.

______. Por que os bancos são o melhor negócio no país? Hegemonia financeira e geografia das redes bancárias. In: ALBUQUERQUE, E. S. (Org.). Que país é esse? Pensando o Brasil contemporâneo. São Paulo: Globo, 2006. p. 27-62.

______. La géographie du systèmebancaire au Brésil: mutations ettendances. In: PITTE, J. R.; SANGUIN, A. L. Géographie et liberté. Paris: L’Harmattan, 1999. p. 359-366.

______; LENZI, M. H. Reorganização espacial de redes bancárias no Brasil: processos adaptativos e inovadores. Caderno CRH, Salvador, v. 22, n. 55, p. 97-117, 2009.

DINIZ, E. H.; POZZEBON, M.; JAYO, M. The role of ICT in improving microcredit: the case of correspondent banking in Brazil. Cahier du GReSI, Montreal, v. 8, n. 3, p. 1-23, 2008.

DOLL, J.; CAVALLAZZI, R. L. Crédito consignado e o superendividamento dos idosos. Revista Brasileira do Direito do Consumidor, São Paulo, v. 106, p. 309-342, 2016.

DYMSKI, G. A. The global financial customer and the spatiality of exclusion after the ‘end of geography’. Cambridge Journal of Regions, Economy and Society, Cambridge, v. 2, p. 267-285, 2009.

FRENCH, S.; LEYSHON, A.; WAINWRIGHT, T. Financializing space, spacing financialization. Progress in Human Geography, London, v. 35, n. 6, p. 798-819, 2011.

GRUN. R. A sociologia das finanças e a nova geografia do poder no Brasil. Tempo Social, São Paulo, v. 16, n. 2, p. 151-176, 2004.

JAYO, M. Correspondentes bancários como canal de distribuição de serviços financeiros: taxonomia, histórico, limites e potencialidades dos limites de gestão de redes. Tese (Doutorado em Administração de Empresas) – Escola de Administração de Empresas, Fundação Getúlio Vargas, São Paulo, 2010.

LAZZARATO, M. A era do homem endividado. Le Monde Diplomatique, São Paulo, ano 5, n. 55, fev. 2012a.

______. The Making of the Indebted Man. Los Angeles: Semiotexte, 2012b.

MACHADO, L. O. Financial flows and drug trafficking in the Amazon basin. Unesco/Most – discussion paper 22, Paris, v. 1, p. 1-18, 1998.

______. O comércio ilícito de drogas e a geografia da integração financeira: uma simbiose? In: CASTRO, I. et al. (Org.). Brasil: questões atuais da reorganização do território. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil, 1996. p. 15-64.

MARTIN, R. Money and the space economy. Chichester: John Wiley & Sons, 1999.

MINELLA, A. C. Globalização financeira e as associações de bancos na América Latina. In: ENCONTRO ANUAL DA ANPOCS, 25., 2001a, Caxambu, MG. Anais... Caxambu, MG, 2001a. p. 1-27.

______. Hegemonia e controle financeiros no capitalismo contemporâneo. Cultura Vozes, Petrópolis, n. 4, p. 117-136, 2001b.

MORETTI, S. A emergência de novos formatos organizacionais no sistema bancário brasileiro: um estudo preliminar sobre a geografia do crédito consignado. Monografia (Graduação em Geografia) – Centro de Filosofia e Ciências Humanas, Universidade Federal de Santa Catarina, Florianópolis, 2006.

ONLINE Etymology Dictionary. Disponível em: http://www.etymonline.com. Acesso em: 25 set. 2017.

PAULA, L. F.; MARQUES, M. B. L. Tendências recentes da consolidação bancária no mundo e no Brasil. In: ENCONTRO NACIONAL DE ECONOMIA POLÍTICA, 9., 2004, Uberlândia, MG. Anais... Uberlândia, MG, 2004. p. 1-25.

PORTO, E. A. Evolução do crédito pessoal no Brasil e o superendividamento do consumidor aposentado e pensionista em razão do crédito consignado. Dissertação (Mestrado em Direito Econômico) – Centro de Ciências Jurídicas, Universidade Federal da Paraíba, 2014.

SANTOS, M. A natureza do espaço. São Paulo: Hucitec, 1996.

SILVEIRA, M. L. Crises e paradoxos da cidade contemporânea: os circuitos da economia urbana. In: PEREIRA, E. et al. As cidades e a urbanização no Brasil: passado, presente e futuro. Florianópolis: Insular, 2011. p. 62-82.

______. Finanças, consumo e circuitos da economia urbana na cidade de São Paulo. Cadernos CRH, Salvador, v. 22, n. 55, p. 65-76, 2009.

SOKOL, M. Space of flows, uneven regional development and the geography of financial services in Ireland. Growth and Change, Hoboken, v. 38, p. 224-259, 2007.

TRANSAÇÕES bancárias pela internet crescem 14,4%, diz Febraban. Época Negócios Online, 4 jun. 2009. Disponível em: http://epocanegocios.globo.com/Revista/Common/0,,EMI76022-16357,00-TRANSACOES+BANCARIAS+PELA+INTERNET+CRESCEM+DIZ+FEBRABAN.html. Acesso em: 10 jul. 2017.

VALENCIA, C. T. Sistema financiero y territorio: una perspectiva desde el conocimiento geográfico. In: CHÁVEZ TORRES, M.; CHECA ARTASU, M. (Ed.). El espacio en las ciencias sociales: geografía, interdisciplinariedad y compromiso. Zamora, ES: El Colegio de Michoacán, 2013. p. 381-405.

VIDEIRA, S. L. A territorialização dos bancos estrangeiros no Brasil: o caso da rede do Santander. Tese (Doutorado em Geografia) – Faculdade de Ciências e Tecnologia, Universidade Estadual Paulista “Júlio de Mesquita Filho”, Presidente Prudente, 2006.

______. Dinâmica espacial do sistema bancário no estado de São Paulo. Dissertação (Mestrado em Geografia) – Centro de Filosofia e Ciências Humanas, Universidade Federal de Santa Catarina, Florianópolis, 1999.

VON METTENHEIM, K. Commanding Heights: para uma sociologia política dos bancos federais brasileiro. Revista Brasileira de Ciências Sociais, São Paulo, v. 20, n. 58, p. 47-61, 2005.

WALLERSTEIN, I. The capitalist world-economy. Cambridge: Cambridge University Press/Paris: Maison des Sciences de l’homme, 1979.

Publicado
2017-10-19
Como Citar
Dias, L. C. (2017). O correspondente bancário como estratégia de reorganização de redes bancárias e financeiras no Brasil. GEOUSP: Espaço E Tempo (Online), 21(2), 384-396. https://doi.org/10.11606/issn.2179-0892.geousp.2017.137839
Seção
Dossiê "Geografia e finanças"