Mercado socialmente necessário e situação alimentar em Campinas: território, desigualdade e resistência

  • Livia Cangiano Antipon Universidade Estadual de Campinas
  • Marcio Antonio Cataia Universidade Estadual de Campinas
Palavras-chave: Situação Alimentar Urbana, circuito inferior da economia urbana, mercado socialmente necessário, centro de Campinas.

Resumo

A cidade de Campinas abriga em seu centro múltiplos estabelecimentos de comercialização popular de alimentos organizados por uma miríade de trabalhadores e consumidores – sujeitos sociais pobres do lugar. Tal Situação Alimentar Urbana analisada sob a perspectiva teórica do circuito inferior da economia urbana revela um cotidiano de dominação e resistências na metrópole, na qual trabalhadores na luta diária de resolver a vida, criam diferentes formas de permanência em seus espaços econômicos. A crise social urbana acaba por organizar as territorialidades da resistência, trazendo à tona a organização de um mercado socialmente necessário contra a fome na cidade. 

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Livia Cangiano Antipon, Universidade Estadual de Campinas
Mestre pela Universidade Estadual de Campinas. Departamento de Geografia. Instituto de Geociências
Marcio Antonio Cataia, Universidade Estadual de Campinas
Prof. Doutor do departamento de Geografia no Instituto de Geociências da Unicamp.

Referências

ARROYO, M. A economia invisível dos pequenos. Le Monde Diplomatique Brasil, p. 30-31, out. 2008.

CASTRO, J. de. Geografia da fome- o dilema brasileiro: pão ou aço. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 1946.

______. Geopolítica da fome- Ensaios sobre os problemas de alimentação e de população no mundo. Rio de Janeiro: Editora da Casa do Estudante, 1961.

CATAIA, M.; MESTRE, A. P. Território usado e energia elétrica: contextos urbanos atuais na América Latina. In: SILVA, C. A. da; ANDRELINO, C. (orgs.). Metrópoles e Invisibilidades. Da luta política às lutas de sentidos da apropriação urbana. Rio de Janeiro: Lamparina, 2015.

CORAGGIO, J. L. A proposta de economia solidária ante a economia neoliberal. In: PINTAUDI, S. M. (org.). Economia solidária: um setor em desenvolvimento. Apoio: URB-AL, São Paulo: Prefeitura de Rio Claro, 2002.

______. Economia do trabalho: uma alternativa racional à incerteza. In: DINIZ, C. C; LEMOS, M. B. (orgs.). Economia e Território. Belo Horizonte: UFMG, 2005.

______. Economia social y solidária. El trabajo antes que el capital. Quito: Ediciones Abya- Yala, 2011.

GRACIA-ARNAIZ, M. Comemos lo que somos. Reflexiones sobre cuerpo, género y salud. Barcelona: Icaria editorial, 2015.

IBGE – INSTITUTO BRASILEIRO DE GEOGRAFIA E ESTATÍSTICA. CENSO – Cadastro Nacional de Endereços para fins Estatísticos. 2010. Disponível em: http://www.censo2010.ibge.gov.br/cnefe/ Acesso em: nov. 2017.

LEFEBVRE, H. O direito à cidade. São Paulo: Documentos, 1969.

MONTENEGRO, M. R. O circuito inferior da economia urbana na cidade de São Paulo no período da globalização. Dissertação (Mestrado em Geografia). FFLCH, USP, São Paulo, 2006.

______. Globalização, trabalho e pobreza nas metrópoles brasileiras. São Paulo: Annablume, 2014.

PINTAUDI, S. M. Economia solidária: um setor em desenvolvimento. São Paulo: URB-AL, 2002.

RIBEIRO, A. C. T. O desenvolvimento local e a arte de ‘resolver’ a vida. Rio de Janeiro: UFRJ, 2004.

______. Território usado e humanismo concreto: o mercado socialmente necessário. In: SILVA, C. A. (org.). Formas em Crise: utopias necessárias. Rio de Janeiro: Arquimedes Edições, 2005a.

______. Sociabilidade, hoje: leitura da experiência urbana. Caderno CRH, Salvador, v. 18, n. 45, p. 411- 422, set./dez. 2005b.

______. Por uma sociologia do presente: ação, técnica e espaço. Rio de Janeiro: Letra Capital, v. 1, 2013a.

______. Por uma sociologia do presente: ação, técnica e espaço. Rio de Janeiro: Letra Capital, v. 2, 2013b.

______. Por uma sociologia do presente: ação, técnica e espaço. Rio de Janeiro: Letra Capital, v. 4, 2013c.

______. Por uma sociologia do presente: ação, técnica e espaço. Rio de Janeiro: Letra Capital, v. 5, 2013d.

SANTOS, M. Pobreza Urbana. São Paulo: Edusp, 1978.

______. O Espaço Dividido: os dois circuitos da economia urbana dos países subdesenvolvidos. São Paulo: Unesp, 1979a.

______. Economia Espacial: críticas e Alternativas. São Paulo: Hucitec, 1979b.

______. O espaço do cidadão. São Paulo: Edusp, 1987.

______. Metrópole Corporativa Fragmentada: O caso de São Paulo. São Paulo: Hucitec, 1990.

______. Por uma economia política da cidade: O caso de São Paulo. São Paulo: Hucited, São Paulo, 1994.

______. A natureza do espaço. Técnica e tempo, razão e emoção. São Paulo: Hucitec, 1996a.

_______. Por uma geografia cidadã: por uma epistemologia da existência. Boletim Gaúcho de Geografia, v. 21, p. 7 -14, ago. 1996b.

_______. O país distorcido. O Brasil, a globalização e a cidadania. São Paulo: Publifolha, 2002.

SILVA, C. A. da. O fazer geográfico em busca de sentidos ou a geografia em diálogo com a sociologia do tempo presente. In: SILVA, C. A. da.; CAMPOS, A.; MODESTO, N. S. d’A. (orgs.). Por uma geografia das existências. Movimentos, ação social e produção do espaço. Rio de Janeiro: Consequência, 2014.

SILVEIRA, M. L. São Paulo: os dinamismos da pobreza. In: CARLOS, A. F. A.; OLIVEIRA, A. U. de. (orgs.). Geografias de São Paulo. Representação e crise da Metrópole. São Paulo: Contexto, 2004.

______. Metrópolis brasileñas: um análisis de los circuitos de la economia urbana. Revista Eure, Santiago, v. XXXIII, n. 100, p. 149 - 164, dez. 2007.

______. Ao território usado a palavra: pensando princípios de solidariedade socioespacial. In: VIANA, A. L. A.; IBAÑEZ, N.; ELIAS, P. E. M. (orgs.). Saúde, desenvolvimento e território. São Paulo: Hucitec, 2009a.

______. Finanças, consumo e circuitos da economia urbana na cidade de São Paulo. Dossiê. Caderno CRH, Salvador, v. 22, n. 55, p. 65 – 76, jan./abr. 2009b.

SINGER, P. A construção da economia solidária como alternativa ao capitalismo. In: 1º Seminário Nacional de Entidades Parceiras da Economia Solidária do Trabalho e Emprego, Novembro, 2012.

SOUZA, M. A. de. A fome no Brasil e no Mundo: fome, perversidade e globalização (algumas preliminares). Texto elaborado para o Encontro Internacional “Lugar, formação socioespacial, mundo”, São Paulo de 08 a 11 de setembro, 1994.

TELLES, V. Transitando na linha de sombra, tecendo as tramas da cidade (anotações inclusas de uma pesquisa). In: OLIVEIRA, F. de.; RIZEK, C. S. (orgs.). A era da indeterminação. São Paulo: Boitempo, 2007.

XAVIER, M. Modernização, expansão do consumo e pobreza urbana. In: SILVA, C. A. e CAMPOS, A.. (Org.). Metrópoles e invisibilidades: Da política às lutas de sentidos da apropriação urbana. 1ed. Rio de Janeiro: Lamparina, 2015.

Publicado
2018-12-12
Como Citar
Cangiano Antipon, L., & Cataia, M. (2018). Mercado socialmente necessário e situação alimentar em Campinas: território, desigualdade e resistência. GEOUSP Espaço E Tempo (Online), 22(3), 591-606. https://doi.org/10.11606/issn.2179-0892.geousp.2018.144085
Seção
Artigos