Planejamento corporativo do território brasileiro: contribuição geográfica à análise crítica da concessão aeroportuária

  • Adriana Maria Bernardes Silva Universidade Estadual de Campinas
  • Sérgio Henrique Oliveira Teixeira Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Sul de Minas Gerais
Palavras-chave: Planejamento Corporativo, Uso corporativo, Concessão Aeroportuária, Espoliação, Corporações

Resumo

Esse artigo busca contribuir para a análise dos processos de privatizações e concessões das infraestruturas compostas pelos sistemas de engenharia territoriais, ocorridas no Brasil a partir da década de 1990. Neste artigo analisamos, em particular, as três primeiras rodadas de concessão dos aeroportos, administrados pela empresa estatal INFRAERO (que tiveram início em 2012). Defendemos que, para além da ideologia do planejamento estratégico, verifica-se o fortalecimento de um planejamento corporativo a partir do controle da materialidade (aeroportos) e dos fluxos (linhas/malhas) por corporações nacionais e internacionais, tais como empreiteiras, fundos de investimento e consultorias. Constatamos que o controle dos fluxos e dos fixos dotam as grandes corporações de um poder articulador do território, imprimindo neste uma lógica extravertida e globalizante que coloca cada vez mais o Estado como apêndice do planejamento feito pelas empresas

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Adriana Maria Bernardes Silva, Universidade Estadual de Campinas

Universidade Estadual de Campinas – Campinas – São Paulo– Brasil

Sérgio Henrique Oliveira Teixeira, Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Sul de Minas Gerais

Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Sul de Minas Gerais– Poços de Caldas – Minas Gerais– Brasil 

Referências

ANAC, Agência Nacional de Aviação. Anuário estatístico do transporte aéreo. Estatístico, Brasília: ANAC, 1972-2012.
ANTUNES, R. Os sentidos do trabalho. São Paulo: Boitempo Editorial, 1999.
CGU, Controladoria Geral da Unicão. Relatório de avaliação de resultados de gestão: monitoramento das demonstrações contábeis da INFRAERO. Avaliação de Resultados, Brasília - DF, 2016.
CHESNAIS, F. A mundialização do Capital. São Paulo: Xamã, 1996.
CONTEL, F. B. Os sistemas de movimento do território brasileiro. In SANTOS & SILVEIRA. O Brasil. São Paulo: Edusp, 2001.
CORDEIRO, H. K.; LADEIRA F. S. B. O espaço aéreo favorece a desterritorialidade? In SANTOS, M. Território, Globalização e Fragmentação. São Paulo: Hucitec, 1988.
CORRÊA, R. L. O sistema urbano brasileiro: uma análise através dos fluxos aéreos de passageiros. Revista Brasileira de Geografia (AGB) V. 3, nº 39, p. 92-111. 1977.
____ As redes de localidades centrais nos países subdesenvolvidos. Revista Brasileira de Geografia, p. 61-83, 1988.
____ Centros de gestão no território: uma nota. Revista TERRITÓRIO. Rio de Janeiro, v. 1 (1), p 23 – 30, 1996.
____. Estudo sobre a rede urbana. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil, 2006.
FARIAS, Hélio e SILVA, Adriana Maria Bernardes. Da integração nacional à Integração competitiva: o papel do BNDES no uso do território brasileiro. In: I Encontro Internacional de Geografia: tradições e perspectivas. Homenagem ao centenário de nascimento de Pierre Monbeig, 2008.
HARVEY, D. A condição pós-moderna. São Paulo: Loyola, 1992.
____. O novo imperialismo. São Paulo: Loyola, 2004.
____. A produção capitalista do espaço. São Paulo: Annablume, 2005.
IBGE, Institudo Brasileiro de Geografia e Estatística. Regiões de influência de cidades. Rio de Janeiro: IBGE, 2008.
¬¬____. Redes e fluxos no território: Ligações aéreas 2010. Estudo, Rio de Janeiro: IBGE, 2013.
____. Redes e fluxos no território: gestão do território 2014. Estudo de fluxos, Rio de Janeiro: IBGE, 2014.
INFRAERO, Empresa brasileira de infraestrutura aeroportuária. Balanço administrativo. Administrativo. Brasília: INFRAERO, 2011-2016.
LOJKINE, J. A revolução informacional. São Paulo: Cortez, 1995.
MACKINSEY&COMPANY. Relatório Consolidado de Estudo do Setor de Transporte Aéreo do Brasil. Brasília, 2010.
SANTOS, M. Metrópole corporativa e fragmentada: o caso de São Paulo. São Paulo: Nobel, 1990.
____. A urbanização Brasileira. São Paulo: Hucitec, 1993.
____. A natureza do espaço. São Paulo: Hucitec, 1996.
____. Da Política dos Estados À Política Das Empresas. Cadernos da escola do legislativo de Belo Horizonte. Nº 3, p. 9-23, 1998.
SANTOS, M.; SILVEIRA, M. L. O Brasil: território e sociedade no século XXI. Rio de Janeiro: Recor, 2001.
SILVA, A. M. B. A nova divisão territorial do trabalho brasileira e a produção de informações na cidade de São Paulo (as empresas de consultoria). In SANTOS, Milton; SILVEIRA, Maria Laura. O Brasil. Território e Sociedade no início do século XXI, p. 413-432, Rio de Janeiro: Record, 2001.
____. São Paulo, produção de informações e reorganização do território brasileiro. Tese de Doutorado, Departamento de Geografia, USP, São Paulo: Universidade de São Paulo, 2002.
____. Círculos globais de informações e uso corporativo do território brasileiro: privatizações e planejamento territorial a partir dos anos 1990. Cadernos IPPUR/UFRJ, v. XXIII, p. 09-32, 2009.
SILVA. A.; FARIAS, H. C. O BNDES e as empresas de consultoria na reorganização do território brasileiro na década de 1990. Redes (Santa Cruz do Sul), v. 13, p. 99-120, 2008.
SILVA, A. M. B.; MANZONI NETO, A. O Planejamento territorial no Brasil nos anos 1990: as ações das empresas globais de consultoria (o caso da empresa Booz-Allen & Hamilton). GEOgraphia (UFF) v. 10, p. 1-23, 2008.
TEIXEIRA, S. H. O.; SILVA, A. M. B. Os usos da informação estratégica sobre o território: A empresa de consultoria PriceWaterHouseCooperse e o Planejamento Territorial. In: Revista Brasileira de Estudos Urbanos e Regionais (REBEUR), v. 13, p. 71-86, 2011.
TEIXEIRA, S. H. O. Planejamento corporativo e concessão aeroportuária no Brasil. Mercator, Fortaleza, V.17, p. 1-15, 2018a.
____. Planejamento, informação e circulação : as concessões dos aeroportos brasileiros e os usos corporativos do território. Tese (doutorado) – Campinas, SP: Universidade Estadual de Campinas, Instituto de Geociências. 2018b.
VAINER, C. B. Planejamento territorial e projeto nacional. Revista Brasileira de Estudos Urbanos e Regionais (REBEUR). Rio de Janeiro, V. 9, nº 1, p. 9-23, 2007.
Publicado
2019-07-10
Como Citar
Silva, A. M., & Teixeira, S. H. (2019). Planejamento corporativo do território brasileiro: contribuição geográfica à análise crítica da concessão aeroportuária. GEOUSP Espaço E Tempo (Online), 23(2), 242-261. https://doi.org/10.11606/issn.2179-0892.geousp.2019.156773
Seção
Artigos