Da construção socioespacial dos mercados aos avanços da financeirização

Autores

DOI:

https://doi.org/10.11606/issn.2179-0892.geousp.2020.165995

Palavras-chave:

nova geografia dos mercados, construção social dos mercados, financeirização, processos socioespaciais contemporâneos

Resumo

O artigo propõe contribuições a dois debates atuais no âmbito da geografia econômica: a nova geografia dos mercados, vertente que teoriza a centralidade do agenciamento proativo de novos mercados para a dinâmica de expansão capitalista em perspectiva socioespacial, e busca reposicionar a categoria mercado na teoria crítica (para além da oposição entre simples apologia e a simples condenação), e a teorização em torno do processo de financeirização do espaço, processo fundamental tanto nas relações contemporâneas entre espaço e economia quanto na reprodução ampliada do sistema econômico vigente de modo mais geral. Analisa-se também o aprofundamento da financeirização do espaço em suas rodadas atuais, relacionadas ao extrativismo rentista estendido na direção das economias populares e ao chamado capitalismo de plataformas nas metrópoles. 

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Felipe Nunes Coelho Magalhães, Universidade Federal de Minas Gerais

Professor adjunto do departamento de Geografia da Universidade Federal de Minas Gerais. Bacharel em Ciências Econômicas (2004), com mestrado (2008) e doutorado (2015) em Geografia na UFMG. 

Referências

BERNDT, C.; BOECKLER, M. Geographies of circulation and exchange: Constructions of markets. Progress in Human Geography 33(4): 535–551, 2009.
BERNDT, C.; BOECKLER, M. Geographies of markets: Materials, morals and monsters in motion. Progress in Human Geography 35(4): 559–567, 2011.
BOECKLER, M; BERNDT, C. Geographies of circulation and exchange III: The great crisis and marketization ‘after markets’. Progress in Human Geography 37 (3): 424–432, 2013.
BRAUN, B. From performativity to political economy: Index investing, ETFs and asset manager capitalism. New Political Economy 21(3): 257–273, 2016.
CALLON, M. Laws of the Market. Cambridge: Blackwell, 1998.
CANETTIERI, T. A condição periférica: uma crítica da economia política do espaço em paralaxe. Tese (Doutorado em Geografia). Belo Horizonte: Instituto de Geociências, UFMG, 2019.
COHEN, D. Between perfection and damnation: the emerging geography of markets. Progress in Human Geography https://doi.org/10.1177/0309132517729769, 2017.
DURAND, C. Fictitious Capital: how finance is appropriating our future. Londres: Verso, 2017.
GAGO, V. La Razón Neoliberal: economías barrocas y pragmática popular. Buenos Aires: Tinta Limón, 2014.
GAGO, V.; MEZZADRA, S. Para una crítica de las operaciones extractivas del capital. Nueva Sociedad, 255, jan-fev, 2015.
HARDT, M; NEGRI, A. Bem estar comum. Rio de Janeiro: Record, 2016 [2009].
HENDRIKSE, R. Neo-illiberalism. Geoforum 95, 169-172. https://doi.org/10.1016/j.geoforum.2018.07.002, 2018.
HOBSBAWM, E. Industry and empire. Londres: Penguin, 1968.
KARATANI, K. The structure of world history: from modes of exchange to modes of production. Durham: Duke University Press, 2014.
KOWARICK, L. A espoliação urbana. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1979.
LOJKINE, J. O estado capitalista e a questão urbana. São Paulo: Martins Fontes, 1981.
AUTOR. Referência suprimida para fins de avaliação cega, 2019.
PECK, J. For Polanyian economic geographies. In: Environment and Planning A, 2013, vol. 45.
PECK, J; WHITESIDE, H. Financializing Detroit. Economic Geography, 92 (3), 235-268. 2016. DOI: 10.1080/00130095.2015.1116369
POLANYI, Karl. A grande transformação. Rio de Janeiro: Campus, 1980 [1944].
_______. A subsistência do homem e ensaios correlatos. Rio de Janeiro: Contraponto, 2012 [1977].
SANFELICI, D. Financeirização e a produção do espaço urbano no Brasil: uma contribuição ao debate. EURE, 39 (118), 27-46, 2013.
SRNICEK, N. Platform Capitalism. Cambridge: Polity, 2016.
STORPER, M. The regional world: territorial developmet in a global economy. Nova York: Guilford Press, 1997.
THOMPSON, E.P. Costumes em comum: estudos sobre a cultura popular tradicional. São Paulo: Cia. das Letras, 1998.
TONUCCI, J. Comum urbano: a cidade além do público e do privado. Tese (Doutorado em Geografia). Belo Horizonte: Instituto de Geociências, UFMG, 2017.
TOPALOV, C. La urbanización capitalista: algunos elementos para su análisis. México: Edicol, 1979.

Publicado

2020-07-16

Como Citar

MAGALHÃES, F. N. C. Da construção socioespacial dos mercados aos avanços da financeirização. GEOUSP Espaço e Tempo (Online), [S. l.], v. 24, n. 2, p. 279-296, 2020. DOI: 10.11606/issn.2179-0892.geousp.2020.165995. Disponível em: http://www.revistas.usp.br/geousp/article/view/165995. Acesso em: 20 out. 2020.

Edição

Seção

Artigos