O AMÁLGAMA COMPONENTE DOS DESTINOS TURÍSTICOS COMO CONSTRUÇÃO VIABILIZADORA DESSA PRÁTICA SÓCIO-ESPACIAL

  • Ireleno Benevides Universidade Federal do Ceará
Palavras-chave: Amálgama da destinação, Prática sócio-espacial, Turistificação, Metonímia estruturante, Territórios herdados / projetados.

Resumo

O “turismo” como prática sócio-espacial tem sua compreensão amputada pela análise econômica, pela qual é considerado como atividade / setor econômico. Sua dimensão plural e qualitativa nos leva a aderir à noção de “amálgama da destinação”, cujos componentes não são só recursos/insumos econômicos quantificáveis. Esta prática se viabializa pela integração de diversas atividades econômicas soldadas numa delimitada referência espacial (lugar turístico), as quais, contudo, não atendem só a demanda de turistas. À redução inscrita no conceito produção do espaço do turismo nos contrapomos com a noção metafórica de metonímia estruturante. Preocupados em singularizar a contribuição da Geografia recuperando criticamente a sua síntese clássica (o humano e o fisiográfico), imputamos a significação do valor ativo, presente, dos territórios herdados ao longo do processo de turistificação, para ressaltar o peso das restrições locacionais, fisiográficas mesmo, na seletiva espacialização do “turismo”, apesar de considerar que este seja fruto de uma invenção sócio-cultural.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Ireleno Benevides, Universidade Federal do Ceará
Poeta. Doutor em Geografia Humana pela USP. Economista. Professor Associado da Universidade Federal do Ceará
Publicado
2007-08-30
Como Citar
Benevides, I. (2007). O AMÁLGAMA COMPONENTE DOS DESTINOS TURÍSTICOS COMO CONSTRUÇÃO VIABILIZADORA DESSA PRÁTICA SÓCIO-ESPACIAL. GEOUSP Espaço E Tempo (Online), (21), 85-101. https://doi.org/10.11606/issn.2179-0892.geousp.2007.74050
Seção
Artigos