SISTEMA FERROVIÁRIO PÓS-PRIVATIZAÇÃO E FLUIDEZ CORPORATIVA: O MOVIMENTO DE PRODUTOS AGRÍCOLAS NO TERRITÓRIO BRASILEIRO

  • Vitor Pires Vencovsky Universidade Estadual de Campinas
  • Ricardo Castillo Universidade Estadual de Campinas
Palavras-chave: Ferrovias, Agricultura, Cerrado, Território, Privatização

Resumo

A organização do território brasileiro tem sido definida, em grande parte, por políticas públicas e privadas voltadas à produção, movimento e exportação de commodities agrícolas produzidas em áreas de Cerrado. A competitividade do agronegócio brasileiro torna-se dependente de uma logística, na qual as ferrovias assumem um papel preponderante. Este artigo se propõe analisar as políticas do sistema ferroviário atual e das fronteiras agrícolas consolidadas que acabam tendo como conseqüência principal o uso corporativo do território brasileiro.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Vitor Pires Vencovsky, Universidade Estadual de Campinas
Mestre em Geografia pelo Instituto de Geociências da Universidade Estadual de Campinas - Unicamp.
Ricardo Castillo, Universidade Estadual de Campinas
Docente do Instituto de Geociências da Universidade Estadual de Campinas - Unicamp e pesquisador do CNPQ.
Publicado
2007-08-30
Como Citar
Vencovsky, V., & Castillo, R. (2007). SISTEMA FERROVIÁRIO PÓS-PRIVATIZAÇÃO E FLUIDEZ CORPORATIVA: O MOVIMENTO DE PRODUTOS AGRÍCOLAS NO TERRITÓRIO BRASILEIRO. GEOUSP Espaço E Tempo (Online), (21), 119-134. https://doi.org/10.11606/issn.2179-0892.geousp.2007.74052
Seção
Artigos