BIODIVERSIDADE FLORESTAL E PAISAGÍSTICA DO TERRITÓRIO MUNICIPAL DE SELLANO - ÚMBRIA - ITÁLIA

  • Ettore Orsomando Università di Camerino, Dipartimento di Scienze Ambientali
  • Federico Maria Tardella Università di Camerino, Dipartimento di Scienze Ambientali
  • Marcello Martinelli Universidade de São Paulo. Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas
Palavras-chave: Biodiversidade florestal, Cartografia ambiental, Geobotânica, Habitat florestal, Unidade ambiental-paisagística, Valor naturalistico.

Resumo

O Município de Sellano, situado na Úmbria (Itália), ocupando uma superfície de cerca 86 km² no setor regional central mais oriental junto à fronteira com as Marcas, do ponto de vista florestal se destaca pelo elevado índice de cobertura florestal superior a 60% em relação aos 40% da Úmbria. A biodiversidade florestal é constituída por 7 formações de caducifólias naturais (florestas: de Quercus pubescens, de Ostrya carpinifolia, de Quercus cerris com a associação endêmica denominada Carici sylvaticae-Quercetum cerridis rica em Orquídeas, de Quercus cerris com Quercus pubescens, de Castanea sativa, de Fagus sylvatica, de Salix alba) e por um artificialismo (reflorestamentos de Pinusnigra e Pinus halepensis). Tais florestas, voltadas para a exploração econômica, em bom estado de conservação, contornadas por áreas de pastagem, por áreas antrópicas com ocupações humanas, áreas cultivadas e zonas de artesanato caracterizam 11 unidades ambientais paisagísticas do conjunto das 42 tipologias de paisagens da Região Úmbria como um todo: vertentes alto-colinares com florestas de Quercus pubescens ou de Ostrya carpinifolia, às vezes interrompidas por pequenas clareiras de pastagens, de origem secundária, de Bromus erectus; vertentes montanas com florestas de Fagus sylvatica e pequenas pastagens, de origem secundária, de Bromus erectus; áreas rupestres com agrupamentos casmofiticos; vertentes alto-colinares e submontanas, com fraca declividade e recobertas por paleossolos fersialíticos, com florestas mesófilas de Quercus cerris (Carpinion betuli) e florestas de Castanea sativa de origem antrópica; relevos alto-colinares com florestas de Ostryacarpinifolia ou Quercus pubescens, às vezes interrompidas por pequenas clareiras de pastagem, de origem secundária, de Brachypodium rupestre; leitos fluviais com florestas meso-higrófilas de Salixalba ou Alnus glutinosa; cimos e vertentes com pastagens de origem secundária de: Bromus erectus, Sesleria nitida e Cynosurus cristatus; implantações arbóreas (reflorestamentos por coníferas); áreas agrícolas dos relevos colinares com culturas anuais; aglomerados urbanos em área rural de encosta e de colina; áreas agrícolas das planícies aluvionares com culturas anuais. O objetivo fundamental desse artigo, além de divulgar a biodiversidade florestal e paisagística que caracteriza o patrimônio naturalístico do Município de Sellano, foi o de contribuir, através do estudo geobotânico-paisagístico a definição da zona fito-microclimática circunscrita ao território municipal.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Marcello Martinelli, Universidade de São Paulo. Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas
Professor Dr. do Departamento de Geografia da Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas da Universidade de São Paulo
Publicado
2007-08-30
Como Citar
Orsomando, E., Tardella, F., & Martinelli, M. (2007). BIODIVERSIDADE FLORESTAL E PAISAGÍSTICA DO TERRITÓRIO MUNICIPAL DE SELLANO - ÚMBRIA - ITÁLIA. GEOUSP Espaço E Tempo (Online), (21), 185-211. https://doi.org/10.11606/issn.2179-0892.geousp.2007.74060
Seção
Intercâmbio