Portal da USP Portal da USP Portal da USP

A dimensão espacial no estudo da escravidão

Marco Aurélio dos Santos

Resumo


O objetivo deste artigo é entender a importância do espaço nos estudos da escra- vidão na América. Numa abordagem temática, o artigo procura entender como muitos pesquisadores compreenderam o significado do espaço na organização do poder senhorial e como os escravos usaram o espaço de plantação como ferra- menta de resistência à exploração e à violência. 


Palavras-chave


História; Uso do espaço de plantação; Escravidão; Poder; Espacialidade.

Texto completo:

PDF

Referências


BENINCASA, V. Fazendas paulistas: arquitetura rural no ciclo cafeeiro. Tese (Doutorado em Arquitetura e Urbanismo) – Escola de Engenharia de São Carlos, Universidade de São Paulo, São Carlos, 2007.

BROWN, V. Spiritual terror and sacred authority: the power of the supernatural in Jamaican slave society. In: BAPTIST, E. E.; CAMP, S. M. H. New studies in the history of Ameri- can slavery. Athens/Georgia: The University of Georgia Press, 2006. p. 179-210.

CAMP, S. M. H. Closer to freedom: enslaved women and everyday resistance in the plantation South. Chapel Hill/London: The University of North Carolina Press, 2004.

______. “I could not stay there”: enslaved women, truancy and the geography of everyday forms of resistance in the antebellum plantation south. Slavery & Abolition, London, v. 23, n. 3, p. 1-20, 2002.

CARRILHO, M. J. Fazendas de café oitocentistas no Vale do Paraíba. Anais do Museu Paulis- ta, São Paulo, v. 14, n. 1, p. 59-80, jan./jun. 2006.

DELLE, J. A. An archaeology of social space: analyzing coffee plantations in Jamaica’s Blue Mountains. New York: Plenum Press, 1998.

FOUCAULT, M. Vigiar e punir. Petrópolis: Vozes, 1987.

FRAGOSO, J. L. R. Sistemas agrários em Paraíba do Sul (1850-1920): um estudo de relações não capitalistas de produção. Dissertação (Mestrado em História) – Instituto de Histó- ria?, Universidade Federal do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, 1983.

KAYE, A. Joining Places: slave neighborhoods in the Old South. The University of North Carolina Press, 2007.

Volume 18 • no 1 (2014) 150

Marco Aurelio Santos

KAYE, A. Neighbourhoods and solidarity in the Natchez District of Mississipi: rethinking the antebellum slave community. Slavery & Abolition, London, v. 23, n. 1, p. 1-24, apr. 2002.

LE GOFF, J. A História nova. In: ______. A História nova. São Paulo: Martins Fontes: 2001. p. 25-64.

LEMOS, C. A. C. Casa paulista: história das moradias anteriores ao ecletismo trazido pelo café. São Paulo: Edusp, 1999.

MARQUESE, R. B. Diáspora Africana, escravidão e a paisagem da cafeicultura no Vale do Paraíba oitocentista. Almanack Braziliense (online), v. 7, p. 138-152, 2008.

MARQUESE, R. B. Moradia escrava na era do tráfico ilegal: senzalas rurais no Brasil e em Cuba, c. 1830-1860. Anais do Museu Paulista, São Paulo, v. 13, n. 2, p. 165-188, jul./ dez. 2005.

MENESES, U. T. B. A cultura material no estudo das sociedades antigas. Revista de História, n. 115, p. 103-117, jul./dez. 1983.

MUAZE, M. As memórias da Viscondessa: família e poder no Brasil Império. Rio de Janeiro: Jorge Zahar, 2008.

NORMAN JR., W. C. V. Shade-grown slavery: the lives of slaves on coffee plantations in Cuba. Nashville/Tennessee: Vanderbilt University Press, 2013.

REDE, M. História a partir das coisas: tendências recentes nos estudos de cultura material. Anais do Museu Paulista, São Paulo, v. 4, n. 1, p. 265-282, jan./dez. 1996.

REIS, J. C. Nouvelle Histoire e tempo histórico: a contribuição de Febvre, Bloch e Braudel. São Paulo: Ática, 1994.

SANTOS, M. A. Geografia, história, escravidão. In: ENCONTRO ESCRAVIDÃO E LI- BERDADE NO BRASIL MERIDIONAL, 6., 2013, Florianópolis, SC. Anais..., p. 1-14. Disponível em: . Acesso em: 12 jul. 2013.

SCHNOOR, E. Das casas de morada às casas de vivenda. In: CASTRO, H. M. M.; SCH- NOOR, E. (Orgs.). Resgate: uma janela para o oitocentos. Rio de Janeiro: Topbooks, 1995. p. 31-62.

SINGLETON, T. A. Slavery and spatial dialectics on Cuban coffee plantations. World Archa- eology. v. 33, n. 1, p. 98-114, 2001.

SLENES, R. W. Na senzala, uma flor: esperanças e recordações na formação da família escra- va, Brasil Sudeste século XIX. Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 1999.

SOARES, C. E. L. A capoeira escrava e outras tradições rebeldes no Rio de Janeiro (1808-1850). Campinas – SP Editora da Unicamp, 2004.

SOJA, E. W. Geografias pós-modernas: a reafirmação do espaço na teoria social críticaRio de Janeiro: Jorge Zahar. 1993.

STEIN, S. J. Grandeza e decadência do café no Vale do Paraíba. São Paulo: Brasiliense, 1961.




DOI: http://dx.doi.org/10.11606/issn.2179-0892.geousp.2014.81094

Métricas do Artigo

Carregando métricas...

Metrics powered by PLOS ALM

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Direitos autorais



GEOUSP: Espaço e Tempo (Online)
ISSN 2179-0892
Departamento de Geografia - FFLCH - USP
geouspusp.br / www.geografia.fflch.usp.br