REFLEXÃO SOBRE O ENSINO DE ARQUITETURA E URBANISMO EM PAÍSES INTEGRANTES DO SISTEMA ARCU-SUL VISANDO O PROCESSO DE ACREDITAÇÃO

  • Paula Katakura Faculdade das Américas e Instituto Mauá de Tecnologia.
  • Francisco Segnini Junior Universidade de São Paulo e Faculdades Metropolitanas Unidas (FIAM-FAAM). http://orcid.org/0000-0002-7716-261X
Palavras-chave: Urbanismo, Arquitetura, Formação Profissional, Ensino, Legislação.

Resumo

Este artigo discute o processo de formaçao profissional dos arquitetos e urbanistas no Brasil e nos países do Mercosul com destaque para a área do urbanismo. No Brasil, as atividades de arquitetura e urbanismo sao exclusivas desses profissionais, conforme legislaçao atual, e disciplinas de urbanismo ou planejamento urbano estao inseridas em todos os cursos de Arquitetura e Urbanismo no território nacional, segundo Diretrizes Curriculares Nacionais. No Mercosul a formaçao básica está centrada em arquitetura e, muitas vezes, a formaçao em urbanismo ocorre durante especializaçao ou pós-graduaçao; os estudos referentes aos problemas urbanos sao tratados nos demais países como conhecimentos complementares a formaçao do arquiteto. O estudo apresentado é resultado de uma pesquisa que envolveu levantamento das grades curriculares dos cursos brasileiros, além de observaçoes “in loco”. Para tanto, considerou avaliaçoes de acreditaçao do sistema Arcu-Sul em países do Mercosul e avaliaçoes no Brasil, desenvolvidas pelo Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais (Inep), segundo regulamentaçao do Sistema Nacional de Avaliaçao da Educaçao Superior. Este trabalho foi possível posto que os autores sao avaliadores do Ministério da Educaçao/Inep.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Paula Katakura, Faculdade das Américas e Instituto Mauá de Tecnologia.

Professora e pesquisadora. Coordenadora do Curso de Arquitetura e Urbanismo da Faculdade das Américas e Professora do Instituto Mauá de Tecnologia. Doutora pela Faculdade de Arquiteratura e Urbanismo da Universidade de São Paulo. Arquiteta e urbanista.

Francisco Segnini Junior, Universidade de São Paulo e Faculdades Metropolitanas Unidas (FIAM-FAAM).

Doutor em Arquitetura e Urbanismo pela Universidade de São Paulo. Professor aposentado com atuação em pesquisa e no Programa de Pós Graduação da Faculdade de Arquitetura e Urbanismo da Universidade de São Paulo. Professor Doutor do Programa de Mestrado em Arquitetura e Urbanismo – Mestrado Profissional em Urbanismo das Faculdades Metropolitanas Unidas (FIAM-FAAM).

Referências

ACREDITAÇÃO REGIONAL DE CURSOS UNIVERSITÁRIOS MERCOSUL. Documento de criterios e indicadores para la acreditación regional de carreras de grado de arquitectura. Sistema de acreditación de carreras universitarias para el reconocimiento regional de la calidad academica de sus respectivas titulaciones en el Mercosur y Estados asociados. [s.l.]: Arcu-sur, 2008.

BRASIL. Ministério da Educação. Portaria nº 1.770, de 21 de dezembro de 1994. Diário Oficial da União, Brasília, DF, n. 243, 23 dez. 1994. Seção 1, p. 20346.

______. Ministério da Educação. Resolução MEC/CNE/CES nº 6, de 2 de fevereiro de 2006. Revogada pela Resolução CNE/CES nº 2, de 17 de junho de 2010. Diário Oficial da União, Brasília, DF, 3 fev. 2006. Seção 1, p. 36.

______. Ministério da Educação. Resolução nº 2, de 17 de junho de 2010. Diário Oficial da União, Brasília, DF, 18 jun. 2010a. Seção 1, p. 37-38.

______. Lei nº 12.378, de 31 de dezembro de 2010. Regulamenta o exercício da Arquitetura e Urbanismo no Brasil, cria o CAU – Conselho de Arquitetura e Urbanismo do Brasil; e dá outras providências. Diário Oficial da União, Brasília, DF, 31 dez. 2010b, edição extra.

CONSELHO FEDERAL DE ENGENHARIA, ARQUITETURA E AGRONOMIA. Trajetória e estado da arte da formação em engenharia, arquitetura e agronomia. Brasília, DF: Inep: Confea, 2010. v. 10. Disponível em: <https://goo.gl/gMWX8Q>. Acesso em: 5 out. 2013.

FICHER, S. Os arquitetos da Poli: ensino e profissão em São Paulo. São Paulo: Edusp: Fapesp, 2005.

FONSECA, A. C. P. et al. Projeto pedagógico do curso de arquitetura e urbanismo. Versão 2014. São Paulo: Universidade Presbiteriana Mackenzie, 2014. Disponível em: <https://goo.gl/3CiQ4R>. Acesso em: 20 jul. 2014.

KATAKURA, P. A formação em urbanismo no Mercosul. In: ENCONTRO DA ASSOCIAÇÃO NACIONAL DE PESQUISA E PÓS-GRADUAÇÃO EM ARQUITETURA E URBANISMO, 3., 2014, São Paulo. Anais… São Paulo: Universidade Presbiteriana Mackenzie, 2014.

MARAGNO, G. V. A associação brasileira de ensino de arquitetura e as relações entre o ensino de arquitetura e urbanismo e a habilitação profissional no Brasil. In: GUTIERREZ, E. J. B. (Org.). A construção de um novo olhar sobre o ensino de arquitetura e urbanismo no Brasil: os 40 anos da Abea. Brasília, DF: Abea, 2013. p. 138-166.

______. Quase 300 cursos de arquitetura e urbanismo no país: como tratar a qualidade com tanta quantidade? Algumas questões sobre qualificação e ensino no Brasil. Arquitextos, São Paulo, v. 14, n. 161.07, 2013. Disponível em: <https://goo.gl/QbP5ok>. Acesso em: 10 maio 2014.

MERCOSUR EDUCATIVO. Sistema Arcusur. Documento de criterios e indicadores para la acreditación regional de carreras de grado de arquitectura. [s.l.]: Comision Consultiva de Expertos de Arquitectura del Mercosur, 2008. Disponível em: <https://goo.gl/YX8MeX>. Acesso em: 12 ago. 2013.

MEYER, R. M. P. O urbanismo: entre a cidade e o território. Ciência e Cultura, Campinas, v. 58, n. 1, p. 38-41, 2006.

MOUTINHO, M. C. Colégio de arquitectos urbanistas: novas responsabilidades, novos caminhos? Malha Urbana, Lisboa, v. 1, n. 1, 2005. Disponível em: <https://goo.gl/TQgPnZ>. Acesso em: 20 jun. 2014.

NOVAK, H. Os outros nomes do urbanismo: planejamento, projeto e desenho urbanos. Cadernos de Arquitetura e Urbanismo, Belo Horizonte, v. 13, n. 14, p. 127-146, 2006.

ORGANIZAÇÃO DAS NAÇÕES UNIDAS. Carta para formação dos arquitetos. Paris: UIA, 2011. Disponível em: <https://goo.gl/AuX8Wv>. Acesso em: 26 nov. 2015.

OLIVEIRA, C. A. P.; PERPÉTUO, M. O. O ensino na primeira escola de arquitetura do Brasil (1). Arquitextos, São Paulo, v. 6, n. 66.04, 2005. Disponível em: <https://goo.gl/X1wtgZ>. Acesso em: 4 abr. 2013.

PONTIFÍCIA UNIVERSIDADE CATÓLICA DE CAMPINAS. Matriz curricular. Campinas: PUC, 2014. Disponível em: <https://goo.gl/yBxMkR>. Acesso em: 30 ago. 2017.

SALVATORI, E. Arquitetura no Brasil: ensino e profissão. Arquiteturarevista, São Leopoldo, v. 4, n. 2, p. 52-77, 2008.

SEGNINI, F. A profissão do arquiteto no Brasil. 2012. Tese (Livre-docência) – Faculdade de Arquitetura e Urbanismo, Universidade de São Paulo, São Paulo, 2012.

ULTRAMARI, C. Significados do urbanismo. Revista Pós, São Paulo, v.16, n. 25, p. 166-184, 2009.

UNIÓN DE ESCUELAS Y FACULTADES DE ARQUITECTURA DE LATINOAMÉRICA. Escuelas de Arquitectura en Latinoamérica. Buenos Aires: Udefal, 2012. Disponível em: <https://goo.gl/KivXAD>. Acesso em: 18 jun. 2014.

VENEZUELA. Consejo Nacional de Universidades. Núcleo Nacional de Decanos de Arquitectura. Requisitos mínimos para creación y actualización de programas de arquitectura en Venezuela. Caracas: UCV, [19--?].

WHITAKER, J. S. Perspectivas e desafios para o jovem arquiteto no Brasil. Qual o papel da profissão? Arquitextos, São Paulo, v. 12, n. 133.07, 2011. Disponível em: <https://goo.gl/nfzpVu>. Acesso em: 20 jun. 2014.

Publicado
2017-11-01
Como Citar
Katakura, P., & Segnini Junior, F. (2017). REFLEXÃO SOBRE O ENSINO DE ARQUITETURA E URBANISMO EM PAÍSES INTEGRANTES DO SISTEMA ARCU-SUL VISANDO O PROCESSO DE ACREDITAÇÃO. Gestão & Tecnologia De Projetos, 12(2), 53-62. https://doi.org/10.11606/gtp.v12i2.110225
Seção
Artigos