A prática do manual do proprietário da edificação: uma classificação conforme a NBR14037

Palavras-chave: Manual do proprietário, Manual da edificação, NBR 14037:2014, Manutenção, Levantamento

Resumo

A qualificação da documentação técnica produzida é relevante para potencializar a comunicação no processo ao longo das etapas de projeto e execução. Neste contexto, o Manual de uso, operação e manutenção das edificações, também conhecido como Manual do Proprietário (MP), é o documento que contempla todas as informações necessárias para guiar as atividades de manutenibilidade e uso da edificação. Dessa forma, o Manual do Proprietário é um documento essencial para o esclarecimento de dúvidas relativas a edificação. De acordo com a Associação Brasileira de Normas Técnicas (ABNT) a NBR 14037 - Diretrizes para elaboração de manuais de uso, operação e manutenção das edificações - Requisitos para elaboração e apresentação dos conteúdos - tem por finalidade orientar os usuários da edificação sobre suas características técnicas; recomendar procedimentos no intuito de uma melhor utilização da edificação; propor atividades de manutenção; precaver o surgimento de falhas e acidentes decorrentes do mau uso e contribuir para a longevidade da edificação. Assim sendo, este artigo tem como objetivo classificar os manuais do proprietário segundo as recomendações da NBR 14037, sua forma de desenvolvimento, formato de entrega e tipo do manual de acordo com o uso e padrão da edificação. O método de pesquisa empregado foi o levantamento. Como contribuição, são apresentados os resultados do levantamento realizado por região do país, por padrão da edificação e por item da NBR 14037. Na verificação de aderência dos manuais à NBR 14037, constatou-se que os itens do manual não têm uma abordagem igualitária e, pontualmente, o quesito manutenção requer um maior cuidado por parte das construtoras e incorporadoras pesquisadas. Comprovou-se que o conteúdo que envolve garantias e assistência técnica obteve a melhor classificação, entre os manuais de proprietário apresentados, estando respaldado pelo Código de Defesa do Consumidor. Ademais, observou-se uma maior recorrência do manual impresso, desenvolvido pela própria construtora e uma distinção do manual de acordo com o uso e padrão da edificação.  Por fim, conclui-se que o manual do proprietário, no levantamento realizado, apresenta deficiências que demandam melhorias tanto na forma de apresentação, quanto na mídia e no seu conteúdo. 

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Lorena Claudia de Souza Moreira, Universidade Federal da Bahia - UFBA

Doutora pela Universidade Estadual de Campinas - UNICAMP. Professora da Faculdade de Arquitetura da Universidade Federal da Bahia. Possui Mestrado pelo Programa de Pós-graduação em Arquitetura e Urbanismo da Universidade Federal de Santa Catarina (2008). Especialização em Projeto Auxiliado por Computador pela Universidade Federal da Bahia (2000). Graduação em Arquitetura e Urbanismo pela Universidade Federal da Bahia (1999). Tem experiência na área de Arquitetura e Urbanismo com ênfase em Tecnologias Digitais, Tecnologia da Informação e Comunicação (TIC), Realidade Virtual e Realidade Aumentada, Building Information Modeling (BIM), Facilities Management (FM), Documentação Arquitetônica, Projeto de Arquitetura e Representação Gráfica. Em 2015 foi selecionada para participar do I Women in Construction Workshop (WCW) na University of Central Florida (UCF), em Orlando (EUA).

Julio Gattei Tonoli, Universidade Estadual de Campinas - UNICAMP

Possui ensino-medio-segundo-graupelo Colégio Integral Aplicado Anglo(2013). Atualmente é Coordenador Jurídico-Financeiro da Projetos Júnior em Engenharia Civil, Arquitetura e Urbanismo. Tem experiência na área de Engenharia Civil. 

Regina Coeli Ruschel, Universidade Estadual de Campinas - UNICAMP

Livre docente em Projeto Auxiliado por Computador pela Faculdade de Engenharia Civil, Arquitetura e Urbanismo (FEC) da UNICAMP (2009), Doutor em Engenharia Elétrica na área de Automação pela Faculdade de Engenharia Elétrica e de Computação da UNICAMP (1996), Mestre em Ciência em Engenharia Civil pela University of Arkansa (1984) e Engenheira Civil pela Escola de Engenharia de Piracicaba (1981). Foi professor em Regime de Dedicação Integral à Docência e à Pesquisa na FEC-UNICAMP de 1986 a 2016. Atualmente é Pesquisadora e Professora Colaboradora na FEC-UNICAMP junto aos Programas de Pós-Graduação em Arquitetura, Tecnologia e Cidade & Engenharia Civil. É editora chefe da Revista PARC Pesquisa em Arquitetura e Construção. Atuou na presidência e direção da Associação Nacional de Tecnologia no Ambiente Construído entre 2012-2016. Colabora ativamente em projetos de pesquisa com ênfase no desenvolvimento computacional para habitação de interesse social e desempenho ambiental. Investiga o uso da Realidade Aumentada aplicada ao projeto, obra e gestão de facilidades. Desenvolve pesquisa no tema de Building Information Modeling (BIM) abordando: o desenvolvimento de componentes da construção civil e o impacto do BIM nos processos do ciclo de vida da edificação e no ensino.

Referências

ABNT - ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE NORMAS TÉCNICAS. NBR 14037: Diretrizes para elaboração de manuais de uso, operação e manutenção das edificações - Requisitos para elaboração e apresentação dos conteúdos. Rio de Janeiro, 2014. 16 p.

ABNT. NBR 5674: Manutenção de edificações - Requisitos para o sistema de gestão da manutenção. Rio de Janeiro, 2012. 25 p.

ABNT. NBR 15575-1: Edificações habitacionais - Desempenho. Parte 1: Requisitos gerais. Rio de Janeiro, 2013. 60 p.

ABNT. NBR 12721: Avaliação de custos unitários de construção para incorporação imobiliária e outras disposições para condomínios edifícios - Procedimento. Rio de Janeiro, 2007. 91 p.

AGUILERA, C. G. Uma contribuição para formulação de diretrizes para elaboração do Manual do Usuário de Edifícios. 2005. 216 p. Dissertação (Mestrado em Engenharia) - Universidade Federal de São Carlos, São Carlos, 2005.

BRASIL. Lei n. 8.078, de 11 de setembro de 1990. Código de Defesa do Consumidor. Dispõe sobre a proteção do consumidor e dá outras providencias. Disponível em: www.planalto.gov.br/ccivil_03/leis/L8078compilado.htm. Acesso em: ago. 2016.

BSI - BRITISH STANDARDS INSTITUTION. BS 8210: 2012 BSI PUBLICATION. BS Guide to facilities maintenance management. 2 ed. England: British Standard Institution, 2012a. 38 p.

BSI. BRITISH STANDARDS INSTITUTION. BS EN 82079-1:2012. Preparation of instructions for use - Structuring, content and presentation - Part 1: General principles and detailed requirements, English Version. England: British Standard, 2012b. 107 p.

BSI. BRITISH STANDARDS INSTITUTION. BS EN 13460:2009. Maintenance - Documentation for maintenance, English Version. England: British Standard, 2010. 28 p.

CÂMARA BRASILEIRA DA INDÚSTRIA DA CONSTRUÇÃO (CBIC). Guia nacional para a elaboração do manual de uso, operação e manutenção das edificações. Fortaleza: Gadioli Cipolla Branding e Comunicação, 2014.

CÂMARA BRASILEIRA DA INDÚSTRIA DA CONSTRUÇÃO (CBIC). Estabelecimentos na Construção. Número de Estabelecimentos na Construção Civil - Brasil, Grandes Regiões, Estados e Capitais. Disponível em: <http://www.cbicdados.com.br/menu/empresas-de-construcao/estabelecimentos-na-construcao>. Acesso em: out. 2017.

FRANÇA, A. J. G. L. F. Melhoria contínua aplicada à edificação de tipologia padronizada: a gestão do conhecimento no contexto do portfólio de ativos de uma organização. São Paulo: Faculdade de Arquitetura e Urbanismo da Universidade de São Paulo, 2016. 529 f. Tese (Doutorado em Arquitetura e Urbanismo). Disponível em: http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/16/16132/tde-07102016-114149/. Acesso em: 05 de outubro de 2017.

GIL, Antônio Carlos. Como elaborar projetos de pesquisa. 5.ed. São Paulo: Atlas, 2010.

LOURENÇO FILHO, H. Análise e proposições de prazos e garantia e planos de manutenção para elementos convencionais de edificações residenciais no Distrito Federal. 2009. 130 f. Dissertação (Mestrado em Engenharia) - Universidade de Brasília, Brasília, 2009.

MICHELIN, L. A. C. Manual de operação, uso e manutenção das edificações residenciais multifamiliares: coleta e avaliação de exemplares de empresas de Caxias do Sul / RS. 2005. 159 f. Dissertação (mestrado profissional) - Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, 2005.

ORNSTEIN, S. W. Avaliação Pós-Ocupação (APO) no Brasil, 30 Anos: o que há de novo? Revista Projetar, v. 2, n. 2, p. 7-12, agosto 2017.

PEREIRA, P. S.; HIPPERT, M. A. S.; ABDALLA, J. G. F. Manuais de Operação, Uso e Manutenção: análise de exemplares da cidade de Juiz de Fora. In: SIMPÓSIO BRASILEIRO DE GESTÃO E ECONOMIA DA CONSTRUÇÃO - SIBRAGEC, 7., Anais... Belém do Pará, 2011.

ROY, A. et al. Securedoc Project. Usable and Safe Operating Manuals for Consumer Goods: A guideline. v. 1, European Commission: 2004.

SANTOS, A. O. Manual de operação, Uso e Manutenção das Edificações Residenciais: coleta de exemplares e avaliação de seu conteúdo frente às diretrizes da NBR 14.037/1998 e segundo a Perspectiva dos Usuários. 2003, 179 f. Dissertação (Mestrado em Engenharia) - Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, 2003.

Publicado
2018-12-26
Como Citar
Moreira, L., Tonoli, J. G., & Ruschel, R. C. (2018). A prática do manual do proprietário da edificação: uma classificação conforme a NBR14037. Gestão & Tecnologia De Projetos, 13(3), 119-134. https://doi.org/10.11606/gtp.v13i3.128208
Seção
Artigos