Contribuições e limitações de modelos físicos e de realidade virtual na análise de projetos de HIS por usuários leigos

Palavras-chave: Modelo Físico Tridimensional, Realidade Virtual, Usuários, Habitação de Interesse Social, Processo de Projeto

Resumo

A comunicação das intenções do projeto de arquitetura junto a usuários leigos demanda um processo participativo com estratégias de abordagem adequadas aos diferentes agentes envolvidos. A simulação, por meio de diferentes tipos de modelos tridimensionais pode contribuir nessa comunicação, sendo que esse tipo de representação apresenta a vantagem de possuir uma linguagem mais inteligível ao leigo e próxima do objeto que será construído. Este trabalho apresenta o desenvolvimento de duas formas de simulações tridimensionais de baixo custo - uma com características físicas e outra em ambiente virtual – que poderiam contribuir em um processo projetual participativo. O artigo relata a aplicação de uma dinâmica de simulação com dois grupos de potenciais usuários de Habitações de Interesse Social (HIS), cujo objetivo é verificar quais as potencialidades de cada modelo para coletar informações junto a esses grupos sobre o ambiente projetado. O método utilizado para avaliar esse potencial dos modelos é desenvolvido através de uma dinâmica de simulação e técnicas de percurso cognitivo, protocolo verbal, teste de usabilidade, além de observações do comportamento dos usuários. Os dados coletados permitem identificar as vantagens e limitações do uso desses procedimentos de simulação na comunicação entre os usuários de HIS e o projetista durante as etapas iniciais do processo de projeto arquitetônico. Os resultados obtidos indicam que o modelofísico associado ao uso de câmera permite uma maior compreensão do conjunto dos ambientes projetados, estimulando o usuário a propor mudanças mais abrangentes na configuração dos mesmos. O modelo virtual com imagens em 360 graus possibilita melhor compreensão sobre aspectos de leiaute, preferências por materiais e aspectos de iluminação. Também foram identificados perfis de usuários que apresentam facilidade ou dificuldade de utilização de determinado instrumento. A contribuição do estudo está nas recomendações de uso dos modelos e nas limitações identificadas durante o processo, auxiliando na revisão de procedimentos para pesquisas futuras que envolvam o processo de projeto participativo habitacional.

 

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Marcio Presente de Souza, Universidade Estadual de Londrina

Doutorando na Universidade de São Paulo (IAU-USP) em Arquitetura, Urbanismo e Tecnologia na linha de pesquisa: Desenvolvimento e Avaliação de Produtos, Sistemas e Processos. Mestre (UEL-UEM) em Metodologia de Projeto na linha de pesquisa: Produção do Ambiente Construído. Especialista em Metodologia do Ensino na Educação Superior (UNINTER). Graduado em Arquitetura e Urbanismo (UEL). Integrante do grupo de pesquisa ARQUITEC (Arquitetura, Inovação e Tecnologia) vinculado ao Instituto de Arquitetura e Urbanismo da USP, com experiência nos seguintes temas: Modelos Tridimensionais Físicos e Virtuais, Simulações, Avaliações de Projetos, Realidade Virtual e BIM.

César Imai, Universidade Estadual de Londrina

Professor Associado da Universidade Estadual de Londrina no curso de Arquitetura e Urbanismo e no Programa de Pós Graduação em Metodologia de Projeto em Arquitetura e Urbanismo. Coordenador do Programa de Pós Graduação na Universidade Estadual de Londrina (2016-2017). Possui graduação em Arquitetura e Urbanismo pela Universidade Estadual de Londrina (1992), mestrado em Arquitetura e Urbanismo pela Universidade de São Paulo (2001) e doutorado em Arquitetura e Urbanismo pela Universidade de São Paulo (2007). Líder do Grupo de pesquisa ARQ3 - Processo, Projeto e Comunicação na Arquitetura, atuando principalmente com os seguintes temas: Habitação de Interesse Social, Projeto Participativo, Metodologia de projeto, Avaliação Pós-Ocupação, Maquetes, Protótipos e Modelos Tridimensionais.

Maurício Hidemi Azuma, Universidade Estadual de Maringá

Graduado em Arquitetura e Urbanismo pela Universidade Estadual de Londrina (1995) e mestre em Arquitetura e Urbanismo pela Faculdade de Arquitetura e Urbanismo da Universidade de São Paulo (2001). Doutor pelo Instituto de Arquitetura e Urbanismo da USP- São Carlos (Programa DINTER IAU/UEM/UEL) desenvolvendo atividades como pesquisador do Grupo Arquitec e do Projeto ZEMCH - Brazil pela Universidade Estadual de Londrina. Atualmente é professor adjunto do curso de Arquitetura e Urbanismo da Universidade Estadual de Maringá - UEM. Tem experiência na área de Arquitetura e Urbanismo, com ênfase em Planejamento e Projetos da Edificação, atuando principalmente nos seguintes temas: arquitetura, informática, projetos, desenho arquitetônico e modelos tridimensionais.

Referências

AZUMA, M. H. Customização em massa de projeto de Habitação de Interesse Social por meio de modelos paramétricos. 2016. 256f. Tese (Doutorado) – Programa de Pós Graduação em Arquitetura e Urbanismo – DINTER USP/UEM/UEL, Universidade de São Paulo, São Carlos, 2016.

BRANDÃO, D. Q. Disposições técnicas e diretrizes para projeto de habitações sociais evolutivas. Revista Ambiente Construído, Porto Alegre, v.11, n.2, p.73-96, abr./jun. 2011.

CARDOSO, A. L.; ARAGÃO, T.A. Do fim do BNH ao programa minha casa minha vida. In: Série: Habitação e Cidade. O Programa Minha Casa Minha Vida e seus efeitos territoriais. Rio de Janeiro: Letra Capital, 2013.

BESTETTI, M. L. T. Ambiência: espaço físico e comportamento. Revista Brasileira Geriatria e Gerontologia, Rio de Janeiro, v.17 (3), p.601-610, 2014. doi.org/10.1590/1809-9823.2014.13083

CELANI, M. G. C.; PUPO, R.; PICCOLI, V.; CLAUDINO, A. E. S.; CARVALHO, J.; BOTTESINI, E. O processo de produção de uma maquete com técnicas de prototipagem digital. In: XIX Simpósio Nacional da Geometria Descritiva e Desenho Técnico - Graphica, 2009. Anais... Bauru: UNESP, 2009.

CONCEIÇÃO, P. A.; IMAI, C.; URBANO, M. R. Captura e hierarquização de requisitos do cliente de habitação de interesse social a partir da avaliação pós-ocupação e da técnica de preferência declarada. Gestão e Tecnologia de Projetos, São Paulo, v.10, n.1, p.79-98, jan./jun. 2015. doi.org.br/10.11606/gtp.v10i1.98795

FERREIRA, A. B. H. Dicionário Aurélio da Língua Portuguesa. 5º Edição, Positivo, 2010.

FLORIO, Wilson; TAGLIARI, Ana. R. Modelos físicos na prática de projeto de edifícios: uma experiência didática. Revista Projetar, Natal, v.2, n.2, p.3-26, ago. 2017.

FOX, J.; ARENA, D.; BAILENSON, J.N. Virtual reality: a survival guide for the social scientist. Journal of Media Psychology, v.21 (3), p.95-113, 2009. doi.org/10.1027/1864-1105.21.3.95

GOLLEDGE, Reginald; STIMSON, Robert. Spatial behavior: a geographic perspective. New York: The Guilford Press, 1997.

IMAI, César. A utilização de modelos tridimensionais físicos em projetos de habitação social: o Projeto Casa Fácil. 2007. 326f. Tese (Doutorado) Programa de Pós-Graduação em Arquitetura e Urbanismo, Universidade de São Paulo, São Paulo, 2007.

IMAI, C.; AZUMA, M.H.; RODRIGUES, R.; ZALITE, M. O modelo tridimensional físico como instrumento de simulação na habitação social. Gestão e Tecnologia de Projetos, São Paulo, v.10, n. 2, p.7-19, jul./dez. 2015. doi.org/10.11606/gtp.v10i2.101782

IMAI, C.; AZUMA, M. H. A compreensão do objeto arquitetônico por meio do uso de protótipos tridimensionais – um estudo comparativo. In: Geometrias & Graphica 2015. Viana, V. (Ed.). Proceedings... Lisboa, Porto: Aproged. October, 2015.

JERALD, Jason. The VR Book: Human-Centered Design for Virtual Reality. ACM Books, 2016.

KIRNER, C.; KIRNER, T. G. Development of an educational spatial game using an augmented reality authoring tool. Journal of Computer Information Systems and Industrial Management Applications, v.3, p.602-611, 2011.

KOWALTOWSKI, Doris C. C. K.; CELANI, M. G. C.; MOREIRA, D. D.; PINA, S. A. M.; RUSCHEL, R. C.; SILVA, V. G.; LABAKI, L. C.; PETRECHE, J. R. Reflexão sobre metodologias de projeto arquitetônico. Ambiente Construído, Porto Alegre, v.6, n.2, p.07-19, abr./jun. 2006.

KOWALTOWSKI, Doris C. C. K.; GRANJA, A. D.; MOREIRA, D. C.; SILVA, V. G.; PINA, S. A. M. G. Métodos e instrumentos de avaliação de projetos destinados à habitação de interesse social. In: VILLA, S. B.; ORNSTEIN, S. W. Qualidade Ambiental na habitação, avaliação pós-ocupação. São Paulo: Oficina de Textos, 2013.

KOWALTOWSKI, Doris C.C.K.; MOREIRA, D. C.; DELIBERADOR, M. S. O programa arquitetônico no processo de projeto: discutindo a arquitetura escolar, respeitando o olhar do usuário. IN: Projetos Complexos e os Impactos na Cidade e na Paisagem, Editora da UFRJ, Rio de Janeiro, 2012, pp. 160 – 185.

KULIGA, S. F.; THRASH, T.; DALTON, R.C.; HOLSCHER, C. Virtual reality as an empirical research tool — Exploring user experience in a real building and a corresponding virtual model. Computers, Environment and Urban Systems, v.54, p.363-375, 2015. doi.org/10.1016/j.compenvurbsys.2015.09.006

MADATHIL, K. C.; GREENSTEIN, J. S. An investigation of the efficacy of collaborative virtual reality systems for moderated remote usability testing. Applied Ergonomics, v.65, p.501-514, 2017.

MALARD, M. L.; CONTI, A.; SOUZA, R. C. F.; CAMPOMORI, M. J. L. Avaliação pós ocupação, participação do usuário e melhoria da qualidade de projetos habitacionais: uma abordagem fenomenológica com o apoio do Estado. In: ABIKO, Alex Kenya; ORNSTEIN, Sheila Walbe (Orgs). Inserção urbana e avaliação pós-ocupação (APO) da habitação de interesse social. São Paulo: FAUUSP – Coletânea Habitare/FINEP, 2002.

OKAMOTO, J. Percepção Ambiental e Comportamento: visão Holística da Percepção Ambiental na Arquitetura e na Comunicação. São Paulo: Mackenzie; 2002.

PALERMO, C. Avaliação da qualidade no projeto de HIS: uma parceria com a Cohab/SC. In: VILLA, S. B.; ORNSTEIN, S. W. (Org.). Qualidade ambiental na habitação: avaliação pós-ocupação. São Paulo: Oficina de Textos, 2013. p. 209-233.

REIS, A. T. L.; LAY, M. C. D. Avaliação da qualidade de projetos – uma abordagem perceptiva e cognitiva. Ambiente Construído, Porto Alegre, v.6, n.3, p.21-34, jul./set. 2006.

RHEINGANTZ, P. A.; AZEVEDO, G. A.; BRASILEIRO, A.; ALCANTARA, D.; QUEIROZ, M. Observando a qualidade do lugar: procedimentos para a avaliação pós-ocupação. Rio de Janeiro, UFRJ, FAU, PROARQ, 2009.

ROCHA, H. V. D.; BARANAUSKAS, M. C. C. Design e Avaliação de Interfaces Humano-Computador. Campinas, SP: NIED/UNICAMP, 2003.

ROZESTRATEN, A. Estudo sobre a história dos modelos arquitetônicos na antiguidade: origens e características das primeiras maquetes de arquiteto. 2003. 299f. Dissertação (Mestrado em Arquitetura e Urbanismo) – Faculdade de Arquitetura e Urbanismo, Universidade de São Paulo. São Paulo, 2003.

RUBIN, Jeff; CHISNELL, Dana. Handbook of Usability Testing: How to Plan, Design, and Conduct Effective Tests. Wiley Publishing, Inc, 2008.

SANOFF, Henry. Special issue on participatory design. Design Studies, v.28, n.3, p.213-215, 2007.

SEE, Z. S.; CHEOK, A. D. Virtual reality 360 interactive panorama reproduction obstacles and issues. Virtual Reality, v.19, p.71-81, 2015.

SMYTHE, K. C. A. S.; SPINILLO, C. G. Avaliação de métodos e técnicas para inserção do usuário na fase inicial do processo de design de sistemas wayfinding. Infodesign. São Paulo, v.17, n.1, p.14-29, 2017.

VILLA, S. B.; ORNSTEIN, S. W. (Org.). Qualidade ambiental na habitação: avaliação pós-ocupação. São Paulo: Oficina de Textos, 2013.

VILLA, S. B.; SARAMAGO, R. C. P.; GARCIA, L. C. Avaliação pós-ocupação no Programa Minha Casa Minha Vida: uma experiência metodológica. Uberlândia, UFU, MG, MORA, 2015.

VOORDT, Theo J. M. Van Der; WEGEN, Herman B. R. Van. Arquitetura sob o olhar do usuário: programa de necessidades, projeto e avaliação de edificações. São Paulo: Oficina de textos, 2013.

WANG, D. Simulation Research. In: GROAT, L.; WANG, D. Architectural Research Methods. Second Edition. [e-book]: New York: John Wiley & Sons, 2013.

WENDT, Guilherme Welter. Tecnologias de interface humano-computacional: realidade virtual e novos caminhos para pesquisa. Revista de Psiquiatria Clínica, São Paulo, v.38 (5), p. 211-2, 2011.

Publicado
2018-12-26
Como Citar
Souza, M., Imai, C., & Azuma, M. (2018). Contribuições e limitações de modelos físicos e de realidade virtual na análise de projetos de HIS por usuários leigos. Gestão & Tecnologia De Projetos, 13(3), 21-38. https://doi.org/10.11606/gtp.v13i3.146376
Seção
Artigos