Arquiteturas em relação ao contexto: comportamentos sensíveis como formas de comunicação

Palavras-chave: Arquitetura sensitiva, Comunicação, Comportamento, Fabricação digital, Resiliência

Resumo

Este artigo apresenta uma investigação sobre a relação entre arquitetura e contexto aplicado ao desenvolvimento de um pavilhão sensível que recebe dados através de sensores ativos, aos quais responde e se adapta em tempo real, gerando uma resiliência biunívoca entre o objeto arquitetônico e o contexto. A pesquisa é realizada através da integração de processos de morfogênese digital, design generativo paramétrico e associativo, a plataforma Arduino, sensores e dispositivos de entrada e saída que conectam dados e matéria; graças à programação e fabricação digital. O resultado é um pavilhão projetado e fabricado digitalmente, cuja morfologia é decorrente da relação entre suas regras internas de conformação, gerada por algoritmos, matéria, que fornece capacidades autopoiéticas, além da relação com o exterior baseada em comportamentos de seres baseados na proximidade e mimese. O pavilhão, por meio de sensores, recebe dados do ambiente e reage com mudanças de cores e formas, o que lhe permite transcender do conceito de objeto arquitetônico como entidade fixa e fechada, desenvolvendo e expressando integralmente o conceito de projeto como sistema .

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

Costa, M.(2009). Psicologia ambientale e architettonica. Milano, Italia. Copyright 2009 by Franco Angeli s.r.l., Milano, Italy.

De Kerckhove, D. (1999). Inteligencias en conexión: hacia una sociedad de la web. Barcelona: Editorial Gedisa. (Obra original publicada en 1997).

Frogheri, D. (2018) Entre el pensar y el hacer avanzados (tesis doctoral). Universitat Internacional de Catalunya, Barcelona, España.

Frogheri, D.; Estévez, A. T. (2016a). “Entre el pensar y el hacer avanzados”. En AA.VV., XX Congreso de la Sociedad Iberoamericana de Gráfica Digital, Blucher Design Proceedings, v. 3, n. 1. São Paulo: Blucher, pp. 219-226.

Frogheri, D.; Estévez, A. T. (2016b). “TransSynaesthesia: Mapping, visualizing and materializing human synaesthesia to think and make multisensorial things”. En AA.VV., XX Congreso de la Sociedad Iberoamericana de Gráfica Digital, Blucher Design Proceedings, v. 3, n. 1. São Paulo: Blucher, pp. 824-830.

Gere, C. (2002). Digital Culture. Londres: Reaktion Books Ltd.

Gershenfeld, N. (1999). When Things Start to Think. Nueva York: Henry Holt and Company Inc.

Hall, E. (1971). La dimension cachée. París: Éditions du seuil.

Maturana, H.; Varela, F. (1973). De Máquinas y Seres Vivos. Santiago de Chile: Universitaria Santiago de Chile.

Ramachandran, V. S.; Hubbard, E. M. (2001b).

“Synaesthesia: a window into perception, thought and language”. J. Consciousness Stud., 8, pp. 3-34.

Wagensberg, J. (1999). “Complejidad e Incertidumbre”. Mundo Científico, 201, Mayo 1999.

Publicado
2019-09-06
Como Citar
Frogheri, D., Meneses-Carlos, F., & Estévez, A. T. (2019). Arquiteturas em relação ao contexto: comportamentos sensíveis como formas de comunicação. Gestão & Tecnologia De Projetos, 14(1), 61-75. https://doi.org/10.11606/gtp.v14i1.148429