Avaliação e percepção do usuário em relação ao conforto térmico e qualidade do ar em varandas com fechamento em vidros móveis situadas em uma região urbana industrializada

Palavras-chave: avaliação ambiental, edifício residencial, varandas, conforto térmico, qualidade do ar

Resumo

Atualmente uma ação muito comum nas grandes metrópoles é o fechamento com vidros móveis das aberturas das varandas residenciais. Na cidade de Vitória, ES, é constante a reclamação dos moradores acerca da presença do pó preto em suas residências. O incômodo ocasionado pela presença desse material particulado é o principal motivador da prática do fechamento das varandas na região. O objetivo desta pesquisa foi avaliar a qualidade ambiental e a percepção do morador capixaba - em relação ao conforto térmico e a qualidade do ar, residente em apartamentos com e sem fechamento em vidros móveis nas aberturas de suas varandas. A partir da definição de critérios e da posterior escolha de um condomínio residencial estrategicamente localizado, a metodologia utilizada foi estabelecida considerando duas principais fontes de obtenção de dados e informações: os usuários, através da aplicação de questionários; e de medições em campo de temperatura do ar, umidade relativa do ar e concentração de material particulado. Os resultados mostram que a concentração média diária de partículas foi maior na situação da varanda com os vidros móveis fechados do que na condição aberta. Além disso, o uso dos vidros móveis das varandas a maior parte do tempo fechados ocasiona um aumento de temperatura do ar no ambiente e desconforto térmico, o que faz com que alguns moradores recorram ao uso do ar condicionado corrompendo o propósito original da varanda em climas quentes e úmidos, que é de trazer sombreamento e ventilação natural aos espaços interiores.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Erica Coelho Pagel, Universidade Vila Velha
Programa de Pós-Graduação em Arquitetura e Cidade
Cristina Engel de Alvarez, Universidade Federal do Espírito Santo

Departamento de Arquitetura e Urbanismo

Programa de Pós-Graduação em Arquitetura e Urbanismo

Neyval Costa Reis Júnior, Universidade Federal do Espírito Santo

Departamento de Engenharia Ambiental

Programa de Pós-Graduação em Engenharia Ambiental

Referências

ABNT - ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE NORMAS TÉCNICAS. NBR 15575-1 Edificações Habitacionais — Desempenho Parte 1: Requisitos gerais. Brasil: [s.n.], 2013

ANNESI-MAESANO, Isabella et al. Residential proximity fine particles related to allergic sensitisation and asthma in primary school children. Respiratory Medicine, v. 101, n. 8, p. 1721–1729, 2007.

ANVISA AGÊNCIA NACIONAL DE VIGILâNCIA SANITÁRIA. Resolução - RE no 9, de 16 de janeiro de 2003. Brasil: Diário Oficial da União, 2003

ASHRAE STANDARD. Thermal Environmental Conditions for Human Occupancy. Atlanta: [s.n.], 2013

BARBOSA, Miriam Jerônimo; WEILLER, Giovana Cristiana Buso; LAMBERTS, Roberto. Disposição dos equipamentos para medição da temperatura do ar em edificações. Ambiente Construído, v. 7, n. 48, p. 89–108, 2007.

BRANDÃO, Helena Câmara Lacé; MARTINS, Angela Maria Moreira. A Varanda e suas contribuições para a Sustentabilidade. São Paulo: Núcleo de Pesquisas em Tecnologia da Arquitetura e Urbanismo da Universidade de São Paulo, 2007.

CANDIDO, Christhina; DEAR, Richard De. From thermal boredom to thermal pleasure: a brief literature review. Ambiente Construído, v. 12, p. 81–90, 2012.

CORBELLA, O D Ã; MAGALHA, M A A A. Conceptual differences between the bioclimatic urbanism for Europe and for the tropical humid climate. Renewable Energy, v. 33, p. 1019–1023, 2008.

COUZEMENCO, Fernanda. Pó preto aumenta e população pede socorro ao prefeito de Vitória. Disponível em: <http://seculodiario.com.br >. Acesso em: 27 jun. 2018.

EN ISO - THE EUROPEAN STANDARDIZATION. EN ISO 28802:2012 - Ergonomics of the physical environment - an environmental survey involving. Dublin: National Standards Authority of Ireland. , 2012

FREITAS, Clarice Umbelino de et al. Air pollution and its impacts on health in Vitoria, Espirito Santo, Brazil. Revista de Saúde Pública, v. 50, n. 0, 2016.

G1. Relatório com 191 metas para reduzir pó preto na Grande Vitória é entregue para Vale e ArcelorMittal. Disponível em:<https://g1.globo.com/es >. Acesso em: 27 jun. 2018.

GODISH, Thad. Air Quality. 4th editio ed. Chelsea, Michigan: Lewis Publishers, 2003.

HILLIAHO, Kimmo; NORDQUIST, Birgitta; et al. Energy saving and indoor climate effects of an added glazed facade to a brick wall building : Case study. Journal of Building Engineering, v. 7, p. 246–262, 2016.

HILLIAHO, Kimmo; KOVALAINEN, Ville; et al. Glazed spaces: A simplified calculation method for the evaluation of energy savings and interior temperatures. Energy & Buildings, v. 125, p. 27–44, 2016.

HILLIAHO, Kimmo; LAHDENSIVU, Jukka; VINHA, Juha. Glazed space thermal simulation with IDA-ICE 4 . 61 software — Suitability analysis with case study. Energy & Buildings, v. 89, p. 132–141, 2015.

HILLIAHO, Kimmo; MÄKITALO, Eerik; LAHDENSIVU, Jukka. Energy saving potential of glazed space : Sensitivity analysis. Energy & Buildings, v. 99, p. 87–97, 2015.

IBGE INSTITUTO BRASILEIRO DE GEOGRAFIA E ESTATÍSTICA. Senso 2010. Disponível em: . Acesso em: 6 jun. 2016.

IEMA – INSTITUTO ESTADUAL DE MEIO AMBIENTE E RECURSOS HÍDRICOS. Qualidade do ar. Disponível em: <https://iema.es.gov.br/qualidadedoar>. Acesso em: 22 jun. 2018.

INMET - INSTITUTO NACIONAL DE METEOROLOGIA. Estações automáticas. Disponível em: <http://www.inmet.gov.br/portal/index.php?r=estacoes/estacoesautomaticas>. Acesso em: 7 jan. 2017.

ISO - INTERNATIONAL ORGANIZATION FOR STANDARDIZATION. ISO 7726 - Ergonomics of the thermal environment -- Instruments for measuring physical quantities. . Genove: [s.n.], 1998

JORGE, Liziane De Oliveira. Estrategias de Flexibilidade na Arquitetura Residencial Multifamiliar. 2012. 511 f. Tese de doutorado. Faculdade de Arquitetura e Urbanismo. Universidade de São Paulo, 2012.

MATTIUZZI, Henrique Vescovi; MARCHIORO, Eberval. O comportamento dos ventos em Vitória (ES): a gestão e interpretação dos dados climatológicos. Revista Geonorte, v. 2, n. 4, p. 983–993, 2012.

MELO, Milena M et al. Annoyance Caused by Air Pollution : A Comparative Study of Two Industrialized Regions. v. 9, n. 2, p. 177–182, 2015.

MIOT, Hélio Amante. Tamanho da amostra em estudos clínicos e experimentais. Jornal Vascular Brasileiro, v. 10, n. 4, p. 275–278, 2011.

NICO-RODRIGUES, Edna Aparecida et al. Quando a janela define a condição de desempenho térmico em ambientes ventilados naturalmente: caso específico das edificações multifamiliares em Vitória, ES. Ambiente Construído, v. 15, p. 7–23, 2015.

NICOLUSSI, Francine Heloisa et al. Poluição do ar e doenças respiratórias alérgicas em escolares. Revista de Saúde Pública, v. 48, n. 2, p. 326–330, 2014.

NOBRES, Juirana et al. Entenda o que é o pó preto que polui o ar e o mar de Vitória há anos Samarco , Acellor Mittal e Vale são apontadas como principais poluidoras. Disponível em: <http://g1.globo.com >. Acesso em: 27 jun. 2018.

PAGEL, É.C. et al. Indoor air quality in an Antarctic Research Station: Fungi, particles and aldehyde concentrations associated with building materials and architectural design. Indoor and Built Environment, n.1, p. 1-19, 2017.

PMV PREFEITURA MUNICIPAL DE VITÓRIA. Lei 6801 Seção III do capítulo V da Lei 4821 de 30 de dezembro de 1998. Brasil: [s.n.], 2006

PMV PREFEITURA MUNICIPAL DE VITÓRIA. Lei N° 4821 Código de Edificações do Município de Vitória. Brasil: [s.n.], 1998

SALEH, Philip H. Thermal performance of glazed balconies within heavy weight / thermal mass buildings in Beirut , Lebanon ’ s hot climate. Energy & Buildings, v. 108, p. 291–303, 2015.

SANTOS, J. M. et al. Experimental investigation of outdoor and indoor mean concentrations and concentration fluctuations of pollutants. Atmospheric Environment, v. 45, n. 36, p. 6534–6545, 2011.

SANTOS, Jane Meri et al. Source apportionment of settleable particles in an impacted urban and industrialized region in Brazil. Environmental Science and Pollution Research, v. 24, n. 27, p. 22026–22039, 2017.

SCHIRMER, Waldir Nagel et al. A poluição do ar em ambientes internos e a síndrome dos edifícios doentes. Ciência & Saúde Coletiva, v. 16, n. 8, p. 3583–3590, 2011.

SEINFELD, John H; PANDIS, S N. Atmospheric Chemistry and Physics From Air Pollution to Climate Change. SECOND EDI ed. Hoboken, New Jersey: John Wiley & Sons, Inc., 2006.

SILVA, Marielle Ferreira et al. Post-occupancy evaluation of residential buildings in Luxembourg with centralized and decentralized ventilation systems, focusing on indoor air quality (IAQ): assessment by questionnaires and physical measurements. Energy & Buildings, n. 148, p.119-127, 2017.

TEIXEIRA, Fábio. Prefeito deve sancionar lei que permite o fechamento de varandas. Disponível em: <http://oglobo.globo.com>. Acesso em: 6 jun. 2016.

TOLEDO, Alexandre Marcio; COSTA, Isabely Penina C. da;; BULHÕES, Michelle Carolline S. Usuários fecham as varandas dos apartamentos da Orla de Maceió : adequação aos novos usos ou inadequação ao clima ? Gestão & Tecnologia de Projetos, v. 5, n. 2, p. 131–154, 2010.

Publicado
2018-12-26
Como Citar
Pagel, E., Alvarez, C., & Reis Júnior, N. (2018). Avaliação e percepção do usuário em relação ao conforto térmico e qualidade do ar em varandas com fechamento em vidros móveis situadas em uma região urbana industrializada. Gestão & Tecnologia De Projetos, 13(3), 57-78. https://doi.org/10.11606/gtp.v13i3.148455
Seção
Artigos