Modelagem geométrica no inventário dos bens patrimoniais

a Capela Imaculada Conceição

  • Wanda Terezinha Bononi Universidade Paranaense - UNIPAR
  • Ricardo Dias Silva Universidade Estadual de Maringá
Palavras-chave: Patrimônio cultural, Construções em madeira, Inventário

Resumo

Considerando que os bens patrimoniais são o suporte da memória e podem ser capazes de consolidar ou de construir a identidade de uma sociedade, este artigo tem por objetivo apresentar o inventário 3D da capela Imaculada Conceição, localizada no município de Cruzeiro do Oeste - PR, construção testemunha do período da expansão colonial no território paranaense e representante da cultura daquela sociedade e de sua técnica construtiva singular de construções dos templos religiosos na região.  Para tanto, foi preciso desenvolver um protocolo de inventário para edifícios religiosos construídos em madeira, visto que os modelos existentes não atendem, de forma satisfatória, às especificidades desses bens, que necessitam de reparação e substituição de suas peças. A modelagem geométrica tem a capacidade de representar e analisar objetos históricos, produzindo réplicas digitais que possibilitam registro e gerenciamento do patrimônio histórico mais preciso, tornando-se uma ferramenta fundamental para o processo de documentação e valorização do bem.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

CHOAY, F. A alegoria do patrimônio, trad. Luciano Vieira Machado. 5ª ed. São Paulo: Estação Liberdade: UNESP, 2001.

CIPa, Competitiveness and Innovation Framework Programme. 3D Icons Guidelines. 2014. Paceprint, Shaws Lane, Sandymount, Dublin 4, Irlanda. Disponível em <http://3dicons-project.eu/eng/Guidelines-Case-Studies/Guidelines2>. Acesso em 5 nov. 2017.

CIPb, Competitiveness and Innovation Framework Programme. 3D-ICONS Case Studies. 2014. Paceprint, Shaws Lane, Sandymount, Dublin 4, Irlanda. Disponível em <http://3dicons-project.eu/eng/Guidelines-Case-Studies/Guidelines2>. Acesso em 5 nov. 2017.

DE LUCA, L. D4.3: Final Report on Post-processing. Europeano Pro. 2016. Disponível em < https://pro.europeana.eu/project/3d-icons >. Acesso em 20 jan. 2018.

DENARD, Hugh. London Charter. Carta de Londres: para a visualização computorizada do património cultural. Trad. Botelho, Maria Leonor; Moitinho de Almeida, Vera. versão 2.1, 2014. Disponível em <http://www.londoncharter.org/fileadmin/templates/main/docs/london_charter_2_1_pt.pdf>. Acesso em: 04 jan. 2018.

FAI, Stephen; FILIPPI, M.; PALIAGA, S. Parametric modelling (BIM) for the documentation of vernacular construction methods: a BIM model for the commissariat building, Ottawa, Canada. In: ISPRS Annals of the Photogrammetry, Remote Sensing and Spatial Information Sciences. XXIV International CIPA Symposium, II-5 W. 2013. p. 115-120. Strasbourg, France

GONÇALVES, Yacy-Ara Froner. Patrimônio Arquitetônico: conceitos contemporâneos, políticas públicas e TICs. Revista digital DISEGNARECON, v. 5, n. 10, p. 87-94, 2012.

ICOMOS, Conselho Internacional de Monumentos e Sítios. Conferência Mundial sobre as Políticas Culturais. Declaração do México. 1985. Disponível em: <http://portal.iphan.gov.br/uploads/ckfinder/arquivos/Declaracao%20do%20Mexico%201985.pdf>. Acesso em: 10 jan. 2018.

IPHAN, Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Brasil). Sistema Integrado de Conhecimento e Gestão - SICG/ IPHAN. 2015. Disponível em < http://www.iepro.org.br/wordpress/wp-content/uploads/2015/01/anexo_II_sistema_integrado_de_conhecimento_e_gestao_sicg.pdf>. Acesso em: 20 mar. 2016.

LONDON CHARTER. History. Disponível em < http://www.londoncharter.org/history.html>. Acesso em: 04 jan. 2018.

MOTTA, Lia; REZENDE, Maria Beatriz. Inventário. In: GRIECO, Bettina; TEIXEIRA, Luciano; THOMPSON, Analucia (Orgs.). Dicionário IPHAN de Patrimônio Cultural. 2. ed. rev. E ampl. Rio de Janeiro, Brasília: IPHAN/DAF/Copedoc, 2016. (termo-chave Inventário). ISBN 978-85-7334-299-4.

MUNIZ, Guilherme Resende. O uso do design e das tecnologias 3D na criação do repositório digital de elementos de fachada dos prédios históricos da UFRGS. Dissertação (Mestrado em Design). Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Porto Alegre, 2015.

NOÉ, Paula. O SIPA - Sistema de Informação para o Patrimônio Arquitetônico - em Portugal. Revista CPC (Centro de Preservação Cultural / USP). São Paulo, n. 21 esp., p. 67-98, 2016.

OLENDER, Marcos. Uma “medicina doce do patrimônio”. O inventário como instrumento de proteção do patrimônio cultural – limites e problematizações. Arquitextos, São Paulo, ano 11, n. 124.00, Vitruvius, set. 2010. Disponível em:< http://www.vitruvius.com.br/revistas/read/arquitextos/11.124/3546>. Acesso em: 06 nov. 2017.

SOCIEDADE DAS NAÇÕES. Carta de Atenas. Escritório Internacional de Museus. Atenas, 1931. In: IPHAN. Cartas patrimoniais. Disponível em: <http://portal.iphan.gov.br/uploads/ckfinder/arquivos/Carta%20de%20Atenas%201931.pdf>. Acesso em: 06 nov. 2017.

UNESCO. Convenção para a proteção do património mundial, cultural e natural. Paris, 1972. Disponível em: < http://whc.unesco.org/archive/convention-pt.pdf>. Acesso em: 07 nov. 2017.

Publicado
2020-01-17
Como Citar
Bononi, W., & Silva, R. (2020). Modelagem geométrica no inventário dos bens patrimoniais. Gestão & Tecnologia De Projetos, 15(1), 67-82. https://doi.org/10.11606/gtp.v15i1.152812