Alta tecnologia e reúso de materiais descartados: desenvolvimento de um painel decorativo para a melhoria do desempenho térmico em edificações

Palavras-chave: fabricação digital, sistemas cad/cam, sustentabilidade ambiental, upcycling, ornamento, conforto térmico

Resumo

O século XXI expressa um intenso avanço tecnológico aplicado nos mais diversos equipamentos gradualmente mais acessíveis à sociedade. Ao mesmo tempo, para atender a essa demanda, os recursos naturais são consumidos exponencialmente, gerando uma enorme quantidade de resíduos com destinação nem sempre adequada. Os principais agentes ligados à tentativa de redução desse impacto ambiental negativo por meio da reutilização de materiais são as cooperativas de reciclagem, responsáveis pela seleção dos materiais descartados e reintrodução no sistema produtivo. Através da Design Science Research, a pesquisa visa a criação de um artefato utilizando materiais descartados a fim de reintroduzi-los na cadeia produtiva sob a forma de elementos arquitetônicos de acabamento. Pela elevada representação nos materiais descartados, baixo índice de reaproveitamento e potencial de reconformação a quente, no estado fundido, o termoplástico poliestireno foi selecionado como matéria prima para o desenvolvimento de placas de acabamento para o teto (forro). Como maneira de agregar ainda mais valor ao produto, a constituição dos módulos do painel foi realizada a partir de moldes projetados com o uso de modelos paramétricos digitais e produzidos com o uso de impressora 3D. Além disso, o mesmo foi utilizado não apenas como acabamento estético, mas também como sistema de macroencapsulamento para um material de mudança de fase (Phase Change Material), que contribui para o desempenho energético e o conforto térmico no ambiente em que é instalado. A pesquisa, de caráter interdisciplinar, envolveu pesquisadores das áreas de design, arquitetura, ciência dos materiais e conforto ambiental. O protótipo desenvolvido demonstra a possibilidade de se agregar valor a materiais descartados por meio de novas tecnologias de design, fabricação e materiais, e ainda contribui para a redução do gasto de energia, tanto na reciclagem do próprio plástico como na diminuição da temperatura do ambiente, apontando para possíveis desdobramentos de produção por cooperativas.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

ABRELPE – Associação Brasileira de empresas de limpeza pública e resíduos especiais. Panorama dos resíduos sólidos no Brasil. São Paulo: ABRELPE, 2017. Disponível em: <http://abrelpe.org.br/panorama>. Acesso em 25 de out. de 2017.

ANDERY, M. A. et al. Para compreender a ciência: uma perspectiva histórica. Rio de Janeiro: EDUC, 2004.

BAETENS, R.; JELLE, B. P.; GUSTAVSEN, A. Phase change materials for building applications: A state-of-the-art review. Energy and Buildings, v. 42, n. 9, p. 1361–1368, 1 set. 2010.

DAFT, R. L.; LEWIN, A. Y. Rigor and relevance in organization studies: idea migration and academic journal evolution. Organization Science, v. 19, n. 1, p. 177-183, 2008.

DRESCH, A.; LACERDA, D. P.; ANTUNES, J.A.V. Design Science research: método de pesquisa para avanço da ciência e tecnologia. Porto Alegre: Bookman, 2015.

GOLDRATT, E. M.; COX, R. E. A meta. São Paulo: IMAM, 1986.

GONÇALVES, H.; GRAÇA, J. M. Conceitos bioclimáticos para os edifícios em Portugal. [s.l.] DGGE/IP-3E, 2004.

HATCHUEL, A. A foundationalist perspective for management research: a European trend and experience. Management Decision, v. 47, n. 9, p. 1458-1475, 2009.

IBGE – INSTITUTO BRASILEIRO DE GEOGRAFIA E ESTATÍSTICA. Pesquisa Nacional de saneamento básico. Rio de Janeiro: IBGE, 2008. Disponível em: <https://ww2.ibge.gov.br/home/presidencia/noticias/imprensa/ppts/0000000105.pdf>. Acesso em 19 de abr. de 2018.

IPEA – INSTITUTO DE PESQUISA ECONÔMICA APLICADA. Pesquisa sobre pagamento por serviços ambientais urbanos para gestão de resíduos sólidos. Brasília: Ipea, 2010. Disponível em: <http://goo.gl/tTVr>. Acesso em 20 de nov. de 2018.

ISWA - INTERNATIONAL SOLID WASTE ASSOCIATION. Waste and Climate Change - ISWA White Paper. USA: ISWA, 2009. Disponível em: <https://www.iswa.org/fileadmin/user_upload/_temp_/WEB_ISWA_White_paper.pdf>. Acesso em 28 de nov. de 2017.

JONES, O. The grammar of ornament: illustrated by examples from various styles of ornament. New York: Dorling Kindersley Pub, 2001.

KALNÆS, S. E.; JELLE, B. P. Phase change materials and products for building applications: A state-of-the-art review and future research opportunities. Energy and Buildings, v. 94, p. 150–176, maio 2015.

KOLAREVIC, B.. Architecture in the digital age: design and manufacturing. Oxon: Taylor & Francis Group, 2003, 314p.

LOOS, Adolf. Ornamento e Crime. Lisboa: Cotovia, 2006

LOVERIDGE, R.; STREHLKE, K. The Digital Ornament Using CAAD/CAAM Technologies. International Journal of Architectural Computing, v. 4, n. 1, p. 33–49, 1 jan. 2006. DOI: 10.1260/147807706777009000

MCDONOUGH, W.; BRAUNGART, M. Cradle to cradle: remaking the way we make things. 1st ed ed. New York: North Point Press, 2002.

MONTEIRO, L. M. Arquitetura da adaptação. in: SOARES, J. C.; BODE, K (Orgs.). Edifício Ambiental. São Paulo: Oficina de textos, 2015.

PICON, A. Ornament: the politics of architecture and subjectivity. Chichester, West Sussex, United Kingdom: Wiley, A John Wiley and Sons Ltd, Publication, 2013.

SALEEL, C. A.; MUJEEBU, M. A.; ALGARNI, S. Coconut oil as phase change material to maintain thermal comfort in passenger vehicles: An experimental analysis. Journal of Thermal Analysis and Calorimetry, 22 ago. 2018.

SAVE DE BEAURECUEIL, A.; LEE, F. Arquitetura generativa high-low: princípios e aplicações. In: GONÇALVES, J.C.S.; BODE, K. (Org.). Edifício Ambiental. São Paulo: Oficina de textos, 2015, cap. 12.

SILVA, N. F.; BRIDGES, A. H.; LIMA, E. M.; MORAIS, H. R. A.; JUNIOR, F. A. S. A indústria da construção civil está pronta para a fabricação digital e a customização em massa? Uma pesquisa sobre um caso Brasileiro. Sigradi, Sao Paulo, nov. 2009.

SIMON, Herbert A. The Sciences of the Artificial. 3º ed., Massachusetts: MIT Press, 1996.

VAN AKEN, J. E. Management research based on the paradigm of the design sciences: the quest for field tested and grounded technological rules. Journal of Management Studies, v. 41, n. 2, p. 219-246, 2004.

VAN AKEN, J. E. Management research as a design science: articulating the research products of mode 2 knowledge production in management. British Journal of Management, v. 16, n. 1, p. 19-36, 2005.

VOLUME de resíduos urbanos crescerá de 1,3 bilhão de toneladas para 2,2 bilhões até 2025, diz PNUMA. Nações Unidas do Brasil, São Paulo, 06 de nov. de 2012. Disponível em: <https://nacoesunidas.org/volume-de-residuos-urbanos-crescera-de-13-bilhao-de-toneladas-para-22-bilhoes-ate-2025-diz-pnuma>. Acesso em: 15 de out. de 2017

Publicado
2020-06-29
Como Citar
Yabuki, M., Otoni, C., & Celani, M. (2020). Alta tecnologia e reúso de materiais descartados: desenvolvimento de um painel decorativo para a melhoria do desempenho térmico em edificações. Gestão & Tecnologia De Projetos, 15(2), 6-19. https://doi.org/10.11606/gtp.v15i2.155158