PROJETAR APARTAMENTOS COM VISTAS À QUALIDADE ARQUITETÔNICA A PARTIR DOS RESULTADOS DA AVALIAÇÃO PÓS-OCUPAÇÃO (APO)

  • Simone Barbosa Villa Universidade Federal de Uberlândia - Faculdade de Arquitetura, Urbanismo e Design - UFU/FAUeD
  • Sheila Walbe Ornstein Universidade de São Paulo / Faculdade de Arquitetura e Urbanismo
Palavras-chave: projeto de apartamentos, qualidade arquitetônica, mercado imobiliário, papel do arquiteto, Avaliação Pós-Ocupação.

Resumo

O presente artigo tem como objetivo principal discutir a qualidade espacial dos edifícios de apartamentos a partir dos resultados obtidos na avaliação pós-ocupação. Busca a proposição de um conjunto de métodos e técnicas de APO com abordagem funcional, destinado a edifícios de apartamentos e elaborado a partir de parâmetros homogêneos de maneira a constituir um método reaplicável. O conjunto de métodos e técnicas utilizados nesta pesquisa busca compreender a relação entre o comportamento do usuário e o projeto idealizado pelos vários agentes do mercado imobiliário. Para tal utilizou-se múltiplos métodos de natureza quantitativa e qualitativa, com destaque para a utilização de Grupos Focais e a incorporação da opinião do pesquisador nas avaliações. A pesquisa parte da análise da produção de edifícios de apartamentos a partir do ano de 2000. Seleciona a produção destinada à classe média na cidade de São Paulo, que por seu porte constitui-se como um modelo de referência para o mercado imobiliário nas demais regiões do país. Dessa forma, conforme explicitado no corpo do artigo, escolheu-se a cidade de Ribeirão Preto para o desenvolvimento e aplicação da APO em três estudos de caso. Os resultados obtidos na aplicação da APO nos estudos de caso ribeirão-pretanos atestam o atendimento das demandas dos moradores de maneira mínima, na medida em que identificou-se uma gama bastante variada de grupos familiares morando em modelos repetidos e tripartidos de habitar. Várias sobreposições de atividades foram identificadas nos cômodos dos edifícios estudados, que são projetados de maneira tradicional, baseados na sua estanqueidade, compartimentação e monofuncionalidade. Conclusivamente indica-se para a produção destes empreendimentos, a necessidade de uma conexão maior e mais efetiva entre pesquisa e prática a partir da criação de bancos de dados municiados por APOs. Estas devem incluir técnicas de percepção do ambiente construído, bem como a interação entre ambiente e comportamento dos usuários. Com isso espera-se alimentar futuros projetos com informações relativas às maneiras de morar contemplando assim as reais necessidades dos moradores.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Sheila Walbe Ornstein, Universidade de São Paulo / Faculdade de Arquitetura e Urbanismo
Professora titular, Universidade de São Paulo (USP), Faculdade de Arquitetura e Urbanismo (FAU). Bolsista do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq). | email: sheilawo@usp.br | CV Lattes: http://lattes.cnpq.br/1157828219684606.
Publicado
2010-11-11
Como Citar
Villa, S., & Ornstein, S. (2010). PROJETAR APARTAMENTOS COM VISTAS À QUALIDADE ARQUITETÔNICA A PARTIR DOS RESULTADOS DA AVALIAÇÃO PÓS-OCUPAÇÃO (APO). Gestão & Tecnologia De Projetos, 5(2), p. 35-60. https://doi.org/10.4237/gtp.v5i2.115