O ACORDO ENTRE O SENSÍVEL E O INTELIGÍVEL

  • Maria Fernanda Andrade Saiani Vegro Universidade de São Paulo. Instituto de Arquitetura e Urbanismo
Palavras-chave: Invenção, Projeto, Espaço, Corpo, Lógica.

Resumo

Este artigo apresenta uma investigação sobre a metodologia de ensino proposta pelo professor dr. Sílvio Soares Macedo para a disciplina AUP 652, vinculada ao Departamento de Projeto e inserida na grade curricular do segundo semestre do curso de Arquitetura e Urbanismo da Universidade de São Paulo, articulada com a fenomenologia da percepção de Maurice Merleau-Ponty (1908/1961). A filosofia merleau-pontiana se caracteriza fundamentalmente, por estabelecer relações entre sujeito, natureza e objeto, marcadas por um pensamento engajado no mundo. Esse arco reflexivo desdobra-se a partir do exercício da invenção do projeto como um perpétuo “fazer-se” em camadas, no qual se distingue sua origem mais primária, da lembrança e do contato com corpo, até atingir uma ordenação lógica. O objetivo da disciplina AUP 652 é desenvolver nos estudantes a compreensão de escalas e capacidade de abstrair e representar o espaço, com ênfase no papel comunicacional do projeto que deflagra a constatação de um mundo único que se engrandece no estímulo da participação ativa entre professor e alunos.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Maria Fernanda Andrade Saiani Vegro, Universidade de São Paulo. Instituto de Arquitetura e Urbanismo
Arquiteta e Urbanista pela Faculdade de Belas Artes de São Paulo. Mestra em Estética e História da Arte pelo Programa Interunidades em Estética e História da Arte da Universidade de São Paulo. Doutoranda do Instituto de  Arquitetura e urbanismo da Universidade de São Paulo na área de História.
Publicado
2016-04-04
Como Citar
Vegro, M. F. (2016). O ACORDO ENTRE O SENSÍVEL E O INTELIGÍVEL. Gestão & Tecnologia De Projetos, 11(1), 71-82. https://doi.org/10.11606/gtp.v11i1.98672