Por que cantam os kisêdjê – uma antropologia musical de um povo amazônico

  • Paola Lappicy Universidade de São Paulo. Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas. Programa de Pós Graduação em Antropologia Social
Palavras-chave: Kisêdjê. Anthony Seeger, Antropologia musical, Etnomusicologia, Cantos

Resumo

O livro Por que cantam os kisêdjê – uma Antropologia Musical de um Povo Amazônico, de Anthony Seeger, foi publicado originalmente em 1987. Na obra em referência, Seeger propõe um estudo da música e do seu papel no processo social. Algumas perguntas permeiam o texto, quais sejam: por que os membros de um grupo específico valorizam tanto o canto? Por que performances dos cantos apresentam certas estruturas, timbres e estilos? Por que certos membros da comunidade cantam especificamente tais coisas, de tais maneiras, para tal plateia, em tal lugar e momento específicos? Assim, sua etnografia vai aos poucos circundando essas perguntas por meio de uma antropologia musical. O autor versa sobre a organização total da produção do canto kisêdjê, desde sua relação com outros gêneros verbais até sua associação integral com a reprodução social e produção econômica. Por meio da Festa do Rato, os Kisêdjê participavam de um ato criativo que transcendia os sons – era parte de processos e instituições sociais de sua sociedade.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Paola Lappicy, Universidade de São Paulo. Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas. Programa de Pós Graduação em Antropologia Social
Mestranda em Antropologia Social no PPGAS/USP
Publicado
2017-05-29
Como Citar
Lappicy, P. (2017). Por que cantam os kisêdjê – uma antropologia musical de um povo amazônico. GIS - Gesto, Imagem E Som - Revista De Antropologia, 2(1). https://doi.org/10.11606/issn.2525-3123.gis.2017.129536
Seção
T.E.R - Tradução, Entrevista, Resenha