Fotografia e (des) encontro: a narrativa fotográfica do contato oficial dos Asuriní do Xingu e suas versões

  • Alice Villela Universidade de São Paulo
Palavras-chave: Asuriní do Xingu, Fotografia, Lukesch, Contato, Brancos

Resumo

Este artigo aborda os encontros e desencontros de concepções e entendimentos entre os Asuriní do Xingu e os padres etnólogos, que realizaram o contato oficial com o grupo em 1971, em torno da presença da fotografia nessa situação. Pretende explorar de forma comparativa a presença das fotografias no projeto documental e científico de Lukesch, publicado em 1976 no livro Bearded indians of the tropical forest, em contraposição à sua agência entre os Asuriní quase quarenta anos depois. O objetivo é construir uma narrativa fotográfica do contato informada por versões de padres etnólogos e de índios. Tais versões por vezes se contrapõem, ao mesmo tempo que revelam que fotografias funcionam como mediadoras de relações entre índios e brancos. Se as fotografias são as mesmas, seus usos são bastante distintos: os padres etnólogos as empregam como evidências de que o contato foi pacífico, e os Asuriní as utilizam como artefatos da memória.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Alice Villela, Universidade de São Paulo

Alice Villela é doutora em Antropologia Social pela USP (2015). Realiza pesquisa junto os Asuriní do Xingu (PA) desde 2005 investigando temas como a performance no
ritual indígena, noções de imagem, fotografia, audiovisual e produção de imagens. Integra o Núcleo de Antropologia da Performance e do Drama – NAPEDRA e o GRAVI- Grupo de Antropologia Visual, ambos da USP.

Publicado
2018-07-23
Como Citar
Villela, A. (2018). Fotografia e (des) encontro: a narrativa fotográfica do contato oficial dos Asuriní do Xingu e suas versões. GIS - Gesto, Imagem E Som - Revista De Antropologia, 3(1). https://doi.org/10.11606/issn.2525-3123.gis.2018.142388
Seção
Artigos