Performances no planeta break

Dossiê Artes e antropologias

Palavras-chave: Performance, Dança, Break dance, liminariedade, Vídeo

Resumo

As “rodas” são os locais privilegiados de troca de experiência entre os dançarinos de break dance, quando jovens de diferentes coletivos e territórios confraternizam por meio da dança. A partir da filmagem dessas “rodas” num evento de break dance, problematiza-se o ritual performático dos b-boys e das b-girls, composto por um rico repertório de movimentos, estéticas, gestos e expressões faciais. Vividas como momentos liminares, essas performances simulam ora confrontos simbólicos salpicados de violência teatralizada, ora a pertença a uma mesma cultura urbana, transformando uma massa de dançarinos numa comunidade de sentido.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Otávio Raposo, Instituto Universitário de Lisboa. Centro de Investigação e Estudos de Sociologia

Otávio Raposo é pesquisador integrado do Centro de Investigação e Estudos de Sociologia (CIES–IUL) e professor auxiliar convidado do Instituto Universitário de Lisboa. Desenvolve pesquisas nas áreas de Antropologia Urbana e Culturas Juvenis que resultaram em publicações nacionais e internacionais, como os livros O trabalho da arte e a arte do trabalho: circuitos criativos de artistas imigrantes em Portugal (2016) e Expressões artísticas urbanas: etnografia e criatividade em espaços atlânticos (2015). Realizou diversos documentários, entre os quais A galera (2016) e Nu bai. O rap negro de Lisboa (2007). E-mail: otavio_raposo@iscte-iul.pt.

Referências

Agier, Michel. 2011. Antropologia da Cidade: lugares, situações, movimentos. São Paulo: Terceiro Nome.

Pais, José Machado. 2004. Jovens, bandas musicais e revivalismos tribais. In Tribos Urbanas. Produção artística e identidades, ed. José Machado Pais e Leila Maria Blass, 23-55. Lisboa: Imprensa de Ciências Sociais.

Raposo, Otávio. 2014. “Nós representa a favela mano”. B-boys da Maré superando estereótipos. Revista Antropolítica 37: 21-50.

Raposo, Otávio. 2013. Coreografias da amizade: estilos de vida e segregação entre os jovens do break dance da Maré (Rio de Janeiro). Tese de doutoramento, Instituto Universitário de Lisboa, Lisboa.

Schechner, Richard. 2002. Performance Studies: an introduction. London: Routledge.

Schütz, Alfred. 1979. Fenomenologia e Relações Sociais. Rio de Janeiro: Zahar Editora.

Documentário

Raposo, Otávio. 2016. A galera. Lisboa, Portugal, cor, 45’.

Publicado
2019-10-24
Como Citar
Raposo, O. (2019). Performances no planeta break. GIS - Gesto, Imagem E Som - Revista De Antropologia, 4(1), 333-336. https://doi.org/10.11606/issn.2525-3123.gis.2019.162333
Seção
G.I.S - Gestos, Imagens e Sons