Avaliação da percepção de graduandos da USP referente à integração do ensino acadêmico com a tecnologia em saúde

Autores

  • Mariane Helen de Oliveira Universidade de São Paulo. Faculdade de Saúde Pública. Departamento de Nutrição
  • Larissa Novais da Silva Lopes Universidade de São Paulo. Faculdade de Saúde Pública. Departamento de Nutrição.
  • Ingrid Bradimiller Gottsfritz Universidade de São Paulo. Faculdade de Saúde Pública. Departamento de Nutrição.
  • Luiza Lujan São João Universidade de São Paulo. Faculdade de Saúde Pública. Departamento de Nutrição.
  • Giovanna Bifulco Sproesser Universidade de São Paulo. Faculdade de Saúde Pública. Departamento de Nutrição.
  • Tamiris Isabeli da Silva Universidade de São Paulo. Faculdade de Saúde Pública. Departamento de Nutrição.
  • Ismael Alves Lucena Gomes Universidade de São Paulo. Escola de Enfermagem.
  • Débora dos Santos Pereira Universidade de São Paulo. Faculdade de Saúde Pública. Departamento de Nutrição.
  • Wolney Lisboa Conde Universidade de São Paulo. Faculdade de Saúde Pública. Departamento de Nutrição.

DOI:

https://doi.org/10.11606/issn.2525-376X.v4i1p85-91

Palavras-chave:

Práticas Interdisciplinares, Educação Superior, Ciência da Saúde, Tecnologia, Aplicativos Móveis

Resumo

A demanda em integrar ensino acadêmico e as Tecnologias em Informação e Comunicação (TICs) é crescente nos dias atuais, visto que os avanços na tecnologia impactam diretamente a produção científica e estão fortemente presentes no cotidiano dos universitários. O objetivo deste trabalho foi avaliar a percepção de graduandos da área da saúde da Universidade de São Paulo, campus capital, com relação à integração entre ensino acadêmico e tecnologia, por meio de um questionário eletrônico. O questionário apresentava questões sobre o perfil do graduando, o acesso a plataformas digitais durante a formação acadêmica e na prática clínica e os conhecimentos em tecnologias adquiridos durante o curso. As frequências absoluta e relativa referentes a sexo, curso, acesso a dispositivos móveis e percepção dos universitários foram calculadas. O questionário obteve um total de 57 participantes, sendo 46 (80,7%) do sexo feminino e 11 (19,3%) do sexo masculino. Dentre os participantes, 93% referiram o uso de plataformas digitais na formação acadêmica, 94,7% demonstraram interesse em aprender mais sobre tecnologia durante a graduação, e mais de 90% apontaram que as ferramentas tecnológicas podem auxiliar na compreensão dos conteúdos ministrados em sala de aula e na aproximação da prática profissional. Evidências apontam a necessidade de implementação das TICs no sistema universitário, assim como o estímulo para a incorporação de ferramentas tecnológicas pelos docentes. Além disso, é preciso construir estratégias de ensino aprendizagem com recursos tecnológicos que acolham o conteúdo necessário para a formação do profissional da saúde.

Biografia do Autor

Mariane Helen de Oliveira, Universidade de São Paulo. Faculdade de Saúde Pública. Departamento de Nutrição

 

 

Larissa Novais da Silva Lopes, Universidade de São Paulo. Faculdade de Saúde Pública. Departamento de Nutrição.

 

   

 

Giovanna Bifulco Sproesser, Universidade de São Paulo. Faculdade de Saúde Pública. Departamento de Nutrição.

 

 

 

Tamiris Isabeli da Silva, Universidade de São Paulo. Faculdade de Saúde Pública. Departamento de Nutrição.

 

 

Ismael Alves Lucena Gomes, Universidade de São Paulo. Escola de Enfermagem.

 

 

 

 

Débora dos Santos Pereira, Universidade de São Paulo. Faculdade de Saúde Pública. Departamento de Nutrição.

 

 

Wolney Lisboa Conde, Universidade de São Paulo. Faculdade de Saúde Pública. Departamento de Nutrição.

 

 

Referências

AMEM, Bernadete Malmegrim Vanzella; NUNES, L. C. Tecnologias de Informação e Comunicação: Contribuições para o Processo Interdisciplinar no Ensino Superior. Rev. Bras. Educ. Med., Rio de Janeiro, vol. 30, n. 3, pp. 171-180, dez. 2006. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S010055022006000300008&lang=pt.

BARBOSA, Alexandre. TIC Saúde 2013: Pesquisa sobre o Uso das Tecnologias de Informação e Comunicação nos Estabelecimentos de Saúde Brasileiros. São Paulo: Comitê Gestor da Internet no Brasil, 2015. [livro eletrônico] Disponível em: https://cetic.br/media/docs/publicacoes/2/tic-saude-2013.pdf.

BARBOSA, Tatiana Péret. “Tecnologias Digitais: Desafios e Perspectivas no Ensino Superior em Saúde”. Percurso Acadêmico, Belo Horizonte, vol. 6, n. 12, jul./dez. 2016.

BRASIL. Ministério da Saúde. Política Nacional de Informação e Informática em Saúde. Brasília: Ministério da Saúde, 2016 p. 56 .

BRASIL. “Resolução CNE/CES 1133, de 3 de outubro de 2001”. Institui Diretrizes Curriculares Nacionais dos Cursos de Graduação em Enfermagem, Medicina e Nutrição. Diário Oficial da União, Brasília, DF, 7 out. 2001. Seção 1E, p. 131.

BRASIL. “Resolução CNE/CES n. 5, de 7 de novembro de 2001”. Institui Diretrizes Curriculares Nacionais do Curso de Graduação em Nutrição. Diário Oficial da União, Brasília, DF, 9 nov. 2001. Seção 1, p. 39.

CAVALCANTE, Maria Tereza Leal & VASCONCELLOS, M. M. “Tecnologia de Informação para a Educação na Saúde: Duas Revisões e uma Proposta”. Ciênc. Saúde coletiva, Rio de Janeiro, vol. 12, n .3, maio/jun. 2007. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S141432832019000100253&lang=pt.

GADELHA, Marília Moreira Torres.; ANDRADE, M. E. de.; SILVA, J. M. A.; BEZERRA, I. C. B.; CARMO, A. P. do & FERNANDES, M. C. “Tecnologias Educativas no Processo Formativo: o Discurso dos Acadêmicos de Enfermagem”. Rev. Enferm UFPE On-line, Recife, vol. 13, n. 1, pp. 155-161, jan. 2019.

HADDAD, Ana Estela; ROMERO, J. S. L.; ALENCAR, C. J. F.; RAGGIO, D. P.; CIAMPONI, A. L. & BONECKER, M. “A Política Nacional de Educação Superior na Saúde e a Reorientação Curricular da FOUSP: Análise Comparativa do Desempenho e Percepção dos Estudantes”. Revista de Graduação USP, vol. 3, n. 2, jul. 2018.

MASETTO, Marcos. “Inovação na Educação Superior”. Interface – Comunic., Saúde, Educ., vol. 8, n. 14, set. 2003-fev. 2004.

MAYES, J. Terry & FOWLER, C. J. H. Learning Technology and Usability: a Framework for Understanding Courseware. Interacting with Computers, vol. 11, n. 5, 1999, pp. 485-497 .

MORAIS, Nídia Salomé; POMBO, L.; BATISTA, J.; MOREIRA, A. & RAMOS, F. “Uma Revisão de Literatura sobre o Uso das Tecnologias de Comunicação no Ensino Superior”. PRISMA.COM, 2014, 24, pp. 162-185.

PESSONI, Arquimedes & GOULART, E. “Tecnologias e o Ensino na Área da Saúde”. ABCS Health Sciences, vol. 40, n. 3, 2015, pp. 270-275 .

RAMOS, Emille Raiza Luna Gomes; SOUZA, F. B. de. & CABRAL DE MELO, M. M. D. “Incorporação das Tecnologias de Informação e Comunicação na Integração Ensino-Serviço dos Cursos de Saúde de uma Universidade Pública”. Revista da Abeno, Pernambuco, vol. 18, n. 3, 2018, pp. 159-168 .

SANTOS, Zélia Maria de Sousa Araújo; FROTA, M. A. & MARTINS, A. B. T. Tecnologias em Saúde: da Abordagem Teórica à Construção e Aplicação no Cenário do Cuidado. Fortaleza: EdUECE, 2016. 482 p.

SUGRUE, B. “Cognitive Approaches to Web-Based Instruction”. In: LAJOIE, S. (ed.). Computers as Cognitive Tools: No More Walls. Mahwah, New Jersey: Lawrence Erlbaum Associates, 2000, pp. 133-162.

Downloads

Publicado

2020-07-23

Como Citar

Oliveira, M. H. de, Lopes, L. N. da S., Gottsfritz, I. B., João, L. L. S., Sproesser, G. B., Silva, T. I. da, Gomes, I. A. L., Pereira, D. dos S., & Conde, W. L. (2020). Avaliação da percepção de graduandos da USP referente à integração do ensino acadêmico com a tecnologia em saúde. Revista De Graduação USP, 4(1), 85-91. https://doi.org/10.11606/issn.2525-376X.v4i1p85-91

Edição

Seção

Relatos