Proveniência de zircões detríticos e implicações para a paleogeografia da Formação Furnas no noroeste da Bacia do Paraná

  • Thais Borba Santos Universidade Federal do Paraná. Programa de Pós-graduação em Geologia
  • Fernando Mancini Universidade Federal do Paraná. Departamento de Geologia. Laboratório de Análise de Bacias e Petrofísica
  • Leonardo Fadel Cury Universidade Federal do Paraná. Departamento de Geologia. Laboratório de Análise de Bacias e Petrofísica
  • Francisco José Fonseca Ferreira Universidade Federal do Paraná. Departamento de Geologia. Laboratório de Pesquisa em Geofísica Aplicada
Palavras-chave: Formação Furnas, Datação U-Pb, Bacia paleozoica.

Resumo

No noroeste da Bacia do Paraná, entre os estados de Mato Grosso e Goiás, ocorrem exposições da Formação Furnas, onde também é reconhecido o Lineamento Transbrasiliano. A partir da análise de mapas magnéticos, definiu-se o arcabouço geológico-geofísico do embasamento da área de estudo, com seis principais domínios separados por 5 lineamentos. O contato entre os domínios da Faixa Paraguai e do Arco Magmático de Goiás é marcado pela principal direção do Lineamento Transbrasiliano na área de estudo. Outros lineamentos que ocorrem associados à direção de deformação da Faixa Paraguai foram identificados como um componente secundário do Lineamento Transbrasiliano. A descrição de afloramentos ao longo da borda noroeste da Bacia do Paraná permitiu o reconhecimento das unidades I, II e III da Formação Furnas. Os dados U-Pb dos zircões detríticos da Formação Furnas apresentaram predomínio de grãos com idades neoproterozoicas (560 - 800 Ma), com idade mínima de 526 Ma, e ocorrência de grãos com idades paleoproterozoicas (≈1750/2100 Ma) e arqueanas (≈2700/2800/3100 Ma). O estudo de proveniência de zircões detríticos da Formação Furnas com determinação de idades U-Pb, associado ao arcabouço estrutural do embasamento da bacia, e a comparação com dados paleoambientais foram a base da avaliação da paleogeografia da porção noroeste da Bacia do Paraná durante a deposição da Formação Furnas. As idades indicam uma importante contribuição neoproterozoica semelhante às idades das rochas do Arco Magmático de Goiás, que associados aos dados de paleocorrentes para noroeste permitem inferir que as rochas do arco constituiriam terrenos elevados, orientados na direção NE-SW.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Thais Borba Santos, Universidade Federal do Paraná. Programa de Pós-graduação em Geologia
Programa de Pós-graduação em Geologia, Universidade Federal do Paraná - UFPR, Caixa Postal 19.001, CEP 81531-980, Curitiba, PR, BR
Fernando Mancini, Universidade Federal do Paraná. Departamento de Geologia. Laboratório de Análise de Bacias e Petrofísica
Laboratório de Análise de Bacias e Petrofísica, Departamento de Geologia, Universidade Federal do Paraná - UFPR, Curitiba, PR, BR
Francisco José Fonseca Ferreira, Universidade Federal do Paraná. Departamento de Geologia. Laboratório de Pesquisa em Geofísica Aplicada
Laboratório de Pesquisa em Geofísica Aplicada, Departamento de Geologia, Universidade Federal do Paraná - UFPR, Curitiba, PR, BR
Publicado
2015-06-30
Como Citar
Santos, T., Mancini, F., Cury, L., & Ferreira, F. J. (2015). Proveniência de zircões detríticos e implicações para a paleogeografia da Formação Furnas no noroeste da Bacia do Paraná. Geologia USP. Série Científica, 15(2), 25-59. https://doi.org/10.11606/issn.2316-9095.v15i2p25-59
Seção
Artigos