Contribuição à Geologia e à Geocronologia do Terreno Rio Capibaribe (TRC, Província Borborema)

  • Benjamim Bley de Brito Neves Universidade de São Paulo; Instituto de Geociências; Departamento de Mineralogia e Geotectônica
  • Walter Mauricio Spröesser Universidade de São Paulo; Instituto de Geociências; Centro de Pesquisas Geocronológicas
  • Liliane Aparecida Petronilho Universidade de São Paulo; Instituto de Geociências; Centro de Pesquisas Geocronológicas
  • Solange Lucena Souza Universidade de São Paulo; Instituto de Geociências; Centro de Pesquisas Geocronológicas
Palavras-chave: Província Borborema, Zona Transversal, Embasamento paleoproterozoico, Intrusivas mesoproterozoicas, Supracrustais neoproterozoicas, Ciclo Brasiliano

Resumo

O Terreno Rio Capibaribe (TRC) foi definido ao sul - sudeste da Zona Transversal da Província Borborema (parte SE da Paraíba e parte NE de Pernambuco). Seus limites convencionais são grandes zonas de cisalhamento, a Congo - Cruzeiro do Nordeste (ao norte e noroeste) e o lineamento Pernambuco, ao sul. Esse terreno apresenta embasamento gnáissico-migmatítico do Paleoproterozoico e faixas móveis neoproterozoicas, do Eotoniano e do Criogeniano-Ediacarano. O embasamento desse TRC está recortado por várias intrusivas paleo, mesoproterozoicas (devidamente reestruturadas pelos ciclos mais jovens) e neoproterozoicas, de diferentes natureza e proveniências (ligadas ao desenvolvimento de arcos magmáticos, zonas de cisalhamento etc.), sendo destacáveis aqueles grandes corpos calcioalcalinos, de diferentes grupos composicionais. O TRC era conhecido em escalas pequenas, principalmente nos mapas geológicos dos estados acima mencionados, executados no início deste século. Apesar de várias teses e outros trabalhos científicos de vulto no TRC, ele foi considerado aquele terreno menos privilegiado em termos de dados sobre sua evolução geocronológica, motivos indutores da presente pesquisa. Foram realizadas várias seções geológicas e ampla consulta bibliográfica concomitante à realização de determinações geocronológicas pelos métodos Sm-Nd (ca. 60), Rb-Sr (ca. 50) e U-Pb (ca.8). Ao mesmo tempo, os autores procuraram acompanhar os mapas 1/100.000 presentemente em execução, ao largo deste terreno (pela Companhia de Pesquisa de Recursos Minerais - CPRM, Serviço Geológico do Brasil). Uma síntese interpretativa da evolução geológica e geocronológica será apresentada com a somatória de todos esses dados, válidos na presente instância do conhecimento, na tentativa de aclarar um pouco a complexa e rica evolução crustal desse terreno.

Downloads

Não há dados estatísticos.
Publicado
2013-06-01
Como Citar
Neves, B., Spröesser, W., Petronilho, L., & Souza, S. (2013). Contribuição à Geologia e à Geocronologia do Terreno Rio Capibaribe (TRC, Província Borborema) . Geologia USP. Série Científica, 13(2), 97-122. https://doi.org/10.5327/Z1519-874X2013000200006
Seção
Artigos