Portal da USP Portal da USP Portal da USP

A estrutura do segmento oeste da Serra do Curral, Quadrilátero Ferrífero, e o controle tectônico das acumulações compactas de alto teor em Fe

Julio Carlos Destro Sanglard, Carlos Alberto Rosière, João Orestes Schneider Santos, Neil Jesse McNaughton, Ian Robert Fletcher

Resumo


O segmento oeste da Serra do Curral, Quadrilátero Ferrífero, representa a exposição parcial de um sinclinal vergente para NNW - Sinclinal Piedade. As dobras parasíticas dessa estrutura regional foram denominadas B1A e estão redobradas por dobras B1B, também vergentes para NNW. Ambas são de direção ENE-WSW, acilíndricas e configuram um padrão de superposição semelhante ao Tipo 3 de Ramsay. Esse redobramento ocorre em caráter de deformação progressiva e junto com falhas inversas de alto ângulo e de mesma direção que controlam a ocorrência de acumulações magnetítica-martíticas de alto teor (>; 64% Fe) de tamanho médio (~ 100 Mt). Sobre essas estruturas, estão desenvolvidas dobras de direção NNW-SSE com vergência para WSW (dobras B2). Estas se limitam aos flancos das dobras B1 e configuram um padrão de superposição do tipo abbuting fold. A idade obtida por datação U/Pb SHRIMP em grãos de monazita que ocorrem em equilíbrio textural com os óxidos de ferro das acumulações de alto teor é 2034 ± 11 Ma. Essa idade corresponde ao timing de formação desses corpos e indica que o processo de mineralização é contemporâneo ao pico metamórfico regional do Quadrilátero Ferrífero.

Texto completo:

PDF EPUB


DOI: http://dx.doi.org/10.5327/Z1519-874X201400010006

Métricas do Artigo

Carregando métricas...

Metrics powered by PLOS ALM

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




SCImago Journal & Country Rank