Ações de informação e práticas documentárias como políticas difusas de memória

Autores

  • Geni Chaves Fernandes Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro - UNIRIO

DOI:

https://doi.org/10.11606/issn.2178-2075.v2i1p208-226

Palavras-chave:

Ações de informação, Práticas documentárias, Memória

Resumo

Os estudos teórico-epistemológicos de González de Gómez e Frohmann sobre as ações de informação e práticas que produzem documentos e informações permitem encontrar proximidades com as reflexões sobre a história e a memória, permitindo visualizar-se um dispositivo implicado na construção da memória, que chamamos de políticas difusas de memória. As reflexões dos historiadores e estudiosos da memória social acerca de suas responsabilidades com as narrativas do passado devem ser estendidas a outros atores, especialmente aos pesquisadores dos campos de estudos da informação e do documento.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Geni Chaves Fernandes, Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro - UNIRIO

Doutora em Ciência da Informação pelo IBICT / UFRJProfessora da UNIRIO

Downloads

Publicado

2011-06-07

Como Citar

FERNANDES, G. C. Ações de informação e práticas documentárias como políticas difusas de memória. InCID: Revista de Ciência da Informação e Documentação, [S. l.], v. 2, n. 1, p. 208-226, 2011. DOI: 10.11606/issn.2178-2075.v2i1p208-226. Disponível em: http://www.revistas.usp.br/incid/article/view/42342. Acesso em: 25 jan. 2021.

Edição

Seção

Artigos