A cortesia em pedidos em italiano: um estudo comparativo da percepção de brasileiros e italianos

Autores

  • Mayara da Silva Neto Universidade de São Paulo. Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas. Programa de Pós-Graduação em Língua, Literatura e Cultura Italianas
  • Elisabetta Santoro Universidade de São Paulo. Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas

DOI:

https://doi.org/10.11606/issn.2238-8281.v0i30p80-110

Palavras-chave:

cortesia, língua italiana, pedidos, percepção, pragmática linguística

Resumo

Partindo de enunciados que contêm pedidos de falantes nativos de italiano, a pesquisa que apresentamos neste artigo buscou identificar e analisar as percepções da cortesia por parte de brasileiros e italianos e suas possíveis justificativas. Foi utilizado um corpus (obtido por meio de role plays semiabertos) composto de vídeos nos quais interagem duplas de falantes nativos de italiano que realizam pedidos com baixo e alto grau de imposição. Por meio de um formulário on-line, oito vídeos, selecionados a partir do referido corpus, foram submetidos a dois grupos de informantes brasileiros (estudantes de italiano no início e em uma fase avançada do estudo da língua) e dois grupos de informantes italianos (residentes no Brasil e na Itália). Com base na avaliação dos vídeos, procurou-se verificar se há, nos dados fornecidos por italianos e brasileiros, disparidades ou semelhanças nos níveis de cortesia atribuídos aos pedidos mostrados; quais elementos são indicados para justificar a escolha desses níveis; se existe alguma correlação entre estes e as justificativas apresentadas; e, por fim, na comparação entre os grupos, se e em que medida o contato prolongado com a outra língua e cultura pode alterar a percepção de brasileiros e italianos. Identificamos que há mais similaridades que divergências nas percepções da cortesia entre os grupos

Biografia do Autor

Mayara da Silva Neto, Universidade de São Paulo. Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas. Programa de Pós-Graduação em Língua, Literatura e Cultura Italianas

é bacharel em Letras com habilitação em Italiano pela Universidade de São Paulo. Foi bolsista de Iniciação Científica da Fapesp e é agora mestranda do Programa de Pós-Graduação em Língua, Literatura e Cultura Italianas da Universidade de São Paulo

Elisabetta Santoro, Universidade de São Paulo. Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas

é graduada em Línguas e Literaturas Estrangeiras na Università degli Studi di Bari (alemão/ inglês) e em Tradução na Ruprecht-Karls Universität de Heidelberg (alemão/italiano/português). Mestrado e doutorado foram concluídos na Universidade de São Paulo (USP), na qual desde 2003 é docente da Área de Língua e Literatura Italiana. Seus principais interesses de pesquisa são: aquisição, aprendizagem e ensino do italiano L2, pragmática linguística, semiótica narrativa e discursiva e relações Itália-Brasil, Sobre esses temas publicou artigos e ensaios. É membro da diretoria de várias associações, entre as quais a Associação Brasileira de Professores de Italiano (ABPI) e a associação internacional correspondente (AIPI).

Downloads

Publicado

2015-12-27

Como Citar

Silva Neto, M. da, & Santoro, E. (2015). A cortesia em pedidos em italiano: um estudo comparativo da percepção de brasileiros e italianos. Revista De Italianística, (30), 80-110. https://doi.org/10.11606/issn.2238-8281.v0i30p80-110

Edição

Seção

Não definida