Ensinar ou não ensinar sobre o uso de dicionários nas aulas de língua italiana: eis a questão

Resumo

Apresentamos os resultados de uma pesquisa de natureza empírica por meio da qual investigamos a prática de professores de língua italiana como língua adicional, no que diz respeito ao lugar dispensado ao ensino do uso do dicionário em suas aulas. Adotamos, como instrumento de pesquisa, um questionário semi-estruturado, aplicado a grupos aleatórios de professores de italiano, atuantes, respectivamente, no Brasil e na Europa, sobretudo na Itália, cujas respostas foram analisadas a partir de um ponto de vista predominantemente qualitativo. Contamos com um total de 37 (trinta e sete) respondentes, sendo 24 (vinte e quatro) brasileiros e 13 (treze) estrangeiros. Em linhas gerais, observamos que os professores de italiano, respondentes da pesquisa, preocupam-se em ensinar sobre o uso do dicionário em suas aulas, demonstrando uma atitude proativa a esse respeito. Constatamos, ainda, uma tendência, principalmente entre os respondentes brasileiros, a eleger os espaços e tempos típicos dos rituais introdutórios de suas aulas e cursos para abordar o tema.

Biografia do Autor

Rômulo Francisco De Souza, Universidade de São Paulo

Rômulo Francisco de Souza é doutor em Letras: Língua, Literatura e Cultura Italianas pela Universidade de São Paulo (USP) e mestre em Linguística Aplicada pela Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG). Especialista em Planejamento, Implementação e Gestão da Educação a Distância pela Universidade Federal Fluminense (UFF). Professor licenciado pleno com habilitação em língua portuguesa e língua italiana pela Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG). Concluiu residência pós-doutoral junto à FFLCH/USP. Residente pós-doutoral junto a mesma instituição com apoio do Programa Nacional de Pós-doutorado da CAPES (PNPD-CAPES).  Possui experiência na área de Letras, com ênfase em língua e cultura italianas; português como língua estrangeira e língua de acolhimento; ensino de línguas mediado por computador (CALL - Computer Assisted Language Learning - presencial e a distância); design instrucional virtual e ensino de línguas a distância;  e outras áreas da linguística aplicada. Dedica-se, atualmente, a pesquisas sobre design de material didático de ensino e aprendizagem de idiomas na perspectiva da pedagogia pós-método (ou seja, design de material didático de natureza virtual e livre); formação de professores de idiomas na perspectiva da pedagogia pós-metodo; ensino e aprendizagem de idiomas na parspectiva da cultura livre; ensino e aprendizagem do italiano como língua adicional na esfera pública brasileira; e jogos tradicionais italianos.

Referências

ATKINS, Beryl T. S.; KNOWLES, Frank E. Interim Report on the EURALEX/АПА Research Project Into Dictionary Use. 1990. Proceedings of Budapest ’88, Budapest, Akademiai Kiadó.
________. Interim Report on the EURALEX/АПА Research Project Into Dictionary Use. 1990. In: MAGAY, Tamás; ZIGANY, Judith (Org.). BUDAPEST ’88. Budapest. Proceedings, 04-09 set. 1988. Budapest, Akademiai Kiadó, 1988. apud CORDA, Alessandra; MARELLO, Carla. Lessico: Insegnarlo e impararlo. Perugia: Guerra Edizioni, 2004.
BÉJOINT, Henri. Tradition and Innovation in Modern English Dictionaries. Oxford: Oxford University Press, 1994 apud WELKER, Herbert Andreas. O uso de dicionários: panorama geral das pesquisas empíricas. Brasília: Thesaurus, 2006.
________. Modern Lexicography. An Introduction. Oxford: Oxford University Press, 2000 apud WELKER, Herbert Andreas. O uso de dicionários: panorama geral das pesquisas empíricas. Brasília: Thesaurus, 2006.
BISHOP, G. Developing learner strategies in the use of dictionaries as a productive language learning tool. The Language Learning Journal, v. 22, n. 1, p. 58-62, ago. 2000. Disponível em:  Acesso em: 20 fev 2018.
BROWN, James Dean; RODGERS, Theodore S. Doing Second Language Research. Oxford: Oxford University Press, 2002.
CARDUNER, Jessie. Productive dictionary skills training: what do language learners find useful? Language Learning Journal, Winter 2003, 28, p. 70-76
CUBILLO, M. C. C. Dictionary Use and Dictionary Needs of ESP Students: an Experimental Approach. In: International Journal of Lexicografhy, 15, 3, p. 206-228.
CHI, Man Lai Amy. Teaching dictionary skills in the classroom. In: FONTENELLE, T. et al. (Ed.). Actes Euralex ’98. Proceedings... v. II, Liége: Université de Liége, Département d’Anglais et de Néerdlandais, 1998, p. 565-578.
CARVER, R. P. Percentage of unknown vocabulary words in text as a function of the relativy difficulty of the text: Implications for instruction. Journal of Reading Behavior, 26, 413-437, 1994 apud KODA, Keiko. Insights into Second Language Reading: a Cross-Linguistic Approach. Cambridge: Cambridge University Press, 2004.
CARVER, R. P. The cause of high and low reading achievement. Mahwah, Nj: Erlbaum, 2000. apud KODA, Keiko. Insights into Second Language Reading: a Cross-Linguistic Approach. Cambridge: Cambridge University Press, 2004.
CORDA, Alessandra; MARELLO, Carla. Lessico: Insegnarlo e impararlo. Perugia: Guerra Edizioni, 2004.
DELL’ISOLA, Regina L. Peret. A construção do sentido durante a leitura em Português LE. In: JÙDICE, Norimar (ORG.). Português Língua Estrangeira: leitura, produção e avaliação de textos.Niterói: Intertexto, 2000.
DIAS, Pedro. O uso do dicionário. English online. Portugal: Sapo - Universidade de Aveiro, S.D.
ERASMUS PROGRAMME. Erasmus Programme. Disponível em: . Acesso em: 21 junho 2018.
FINGER-KRATOCHVIL, C., CARVALHO, M. G. M. – O uso do dicionário como estratégia metacognitiva de aquisição lexical na leitura em mídia virtual e impressa. Revista Digital do Programa de Pós-Graduação em Letras da PUCRS, Porto Alegre, v. 9, n. 2, p. 295-309, jul.-dez. 2016.
FROMM, Guilherme. Dicionários em sala de aula: como aproveitá-los bem. In: FROMM, Guilherme; HERNANDES, Maria Célia Lima (Org.). Domínios de Linguagem III: Práticas Pedagógicas 2. 1. ed. São Paulo, 2003. v. 1, p. 41-50.
HU, M.; NATION, I. S. P. Unknown vocabulary density and reading comprehension. Reading in a Foreign Language, 18, 249-301, 2000 apud KODA, Keiko. Insights into Second Language Reading: a Cross-Linguistic Approach. Cambridge: Cambridge University Press, 2004.
HUDSON, T. Teaching Second Language Reading. Oxford: Oxford University Press, 2007.
KODA, Keiko. Insights into Second Language Reading: a Cross-Linguistic Approach. Cambridge: Cambridge University Press, 2004.
LARSEN-FREEMAN, Diane. Techniques and principles in language teaching. Oxford: Oxford University Press, 2004.
LEFFA, Vilson J. O dicionário eletrônico na construção do sentido em língua estrangeira. Cadernos de Tradução, Florianópolis, n. 18, p. 319-340, 2006.
______. Questões de lexicografia pedagógica. In: XATARA, C., BEVILACQUA, Cleci Regina, HUMBLÉ, Philippe René Marie (Orgs.). Dicionários na teoria e na prática: como e para quem são feitos. São Paulo: Parábola Editorial, 2011. p. 123-132.
LUPPESCU, S.; DAY, R. R. Reading dictionaries and vocabulary learning. Language Learning, v43, 2, p. 263-87, 1993.
MATLIN, M. W. Psicologia cognitiva. 5. ed. Trad. Stella Machado. Rio de Janeiro: LTC, 2004.
MULLER, V. The use of dictionaries as a pedagogical ressource in the foreign language classroom. In: European Association for Lexicography – Euralex, 10, 2002, København, Denmark. Anais (on-line). København: Euralex, 2010. p. 717-721. Disponível em: . Acesso em em: 10 maio 2018.
OXFORD, Rebecca. L. Language Learning Strategies: what every teacher should know. Boston: Heinle & Heinle, 1990.
RICHARDS, J. C.; RODGERS, T. S. Approaches and Methods in Language Teaching. 2. ed. New York: Cambridge University Press, 2001.
SCHMITT, N. et al. The percentage of words known in a text and reading comprehension. The Modern Language Journal, v. 95, p. 26-43. 2011.
STRAUSS, A.; CORBIN, J. Pesquisa Qualitativa: técnicas e procedimentos para o desenvolvimento de teoria fundamentada. Porto Alegre: Artmed, 2008.
WARING, Rob. Oxford learner dictionaries: getting your students to use their dictionaries effectively. Japão: Oxford University Press., 2001.
WELKER, Herbert Andreas. O uso de dicionários: panorama geral das pesquisas empíricas. Brasília: Thesaurus, 2006.
WIDDOWSON, H. G. O ensino de línguas para a comunicação. Tradução de J. Carlos P. Almeida Filho. Campinas: Pontes, 1991.
ZUCCHI, A. M. T. O uso de dicionários na compreensão escrita em italiano. In: European Association for Lexicography – Euralex, 14, 2010, Leeuwarden/Ljouwert, The Netherlands. Anais (on-line). Leewarden: Euralex, 2010. p. 1152-1160 Disponível em: . Acesso em: 10 de maio de 2018.
Publicado
2018-12-28
Como Citar
De Souza, R. (2018). Ensinar ou não ensinar sobre o uso de dicionários nas aulas de língua italiana: eis a questão. Revista De Italianística, (36), 17-36. Recuperado de http://www.revistas.usp.br/italianistica/article/view/153259
Seção
Artigos