Apontamentos sobre a literatura italiana dos anos 2000

  • Giuliana Benvenuti Universidade de Bolonha
Palavras-chave: Literatura italiana dos anos 2000, noir italiano, pulp italiano, Carlo Lucarelli, literatura e cultura visual

Resumo

A literatura italiana dos anos 2000 parece ser caracterizada por um contato cada vez mais próximo com outras mídias, no interior daquela que é definida como so- ciedade pós-mídiática. Com base nas mudanças que ocorreram já a partir dos anos 1980, a contribuição indaga em um dos percursos menos investigados: o que se origina da co- laboração entre romancistas e cartunistas e que, com frequência, se inscreve sob o signo do noir. As experiências do grupo Valvoline assim como a dos Cannibali parecem ser seminais de um emaranhado de linguagens destinado a continuar nas décadas seguintes, dentro de uma experimentação que, mesmo pouco estudada na crítica literária, segue até o presente global dos anos 2000.

Biografia do Autor

Giuliana Benvenuti, Universidade de Bolonha

Professora Associada de Literatura Italiana Contemporânea e Literatura e Mídia. É membro do Conselho Universitário (Senado Acadêmico) da Alma MaterStudiorum – Università di Bologna e vice-diretora do Departamento de Filologia Clássica e Italianística desde 2015. Coordenou a Graduação em Língua e Literatura Italiana para Estrangeiros da Alma Mater Studiorum – Università di Bologna entre 2012 e 2015. Desde 2009 é docente permanente do Programa de Pós-graduação em Culturas Literárias, filológicas e Históricas da UNIBO. Possui doutorado e pós-doutorado em Literatura Italiana do século XIX. Atualmente pesquisa o debate sobre a literatura mundial, sobre as transformações da literatura na era das novas mídias e sobre a construção de imaginários transnacionais (primeiro resultado é o livro publicado com Remo Ceserani, La letteratura nell'età globale. Bologna:Il Mulino, 2012). Dedicou um projeto de pesquisa sobre a re-escritura romanesca da história na literatura italiana contemporânea (primeiro êxito é o livro Il romanzo neostorico in Italia. Storia, memoria, narrazione, Roma: Carocci 2012). Integra o Comitê editorial das revistas Poetiche, Studi Culturali, Scritture Migranti e da revista online TransPostCross, e é membro do comitê científico do selo Les Cahiers d'Italie da Université Paris Nanterre e da coleção Tracciati da Editora Morellini.

Referências

BERNARDI L., LUCARELLI C. Senza rete: le metamorfosi del giallo italiano viste dall’interno. In
DE PAULIS-DALAMBERT, M. P. (org.) L’italie en Jaune et Noir: la littérature policière de 1990 à nos
jours. Paris: Presses Sorbonne Nouvelle, 2010, p. 215-220.
BROLLI, D. (org.) Gioventù cannibale: la prima antologia italiana dell’orrore estremo. Torino: Ei-
naudi, 1996.
COLETTI V. Romanzo mondo: la letteratura nel villaggio globale. Bologna: Il Mulino, 2011.
COSTA P. Il futuro del testo. L’esperienza della lettura nell’epoca postmediale. Milano: Egea, 2016.
DAMROSCH D. Toward a History of World Literature. In: New Literary History. Johns Hop-
kins niversity Press. Vol. 39, no 3, summer 2008, p. 481-495. Disponível em: https://muse.jhu.edu/arti-
cle/259608. Acesso: 26/06/2017.
DE CARLO, A. Treno di panna. Torino: Einaudi, 1981.
GIOVANNETTI P. (org) Almost noir. Indagini non autorizzate su Carlo Lucarelli. Milano: Arcipela-
go Edizioni, 2005.
GIOVANNINI. F. Premessa. In: ___. Grande macello: racconti di horror estremo. Viterbo: Millelire
Stampa Alternativa, 2001, p. 3-4
HUTCHEONL. Teoria degli adattamenti: ipercorsi delle storie fra letteratura, cinema, nuovi media.
Roma: Armando, 2011.
LAGO, P. Una satira menippea a Venezia: una lettura di “Occhi sulla graticola” di Tiziano Scarpa.
Studi novecenteschi, XXXVI, n. 78, 2009, p. 419-430.
LA PORTA F. La nuova narrativa italiana: travestimenti e stili di fine secolo. Torino: Bollati Borin-
ghieri, 1999.
LUCARELLI C. L’ispettore Coliandro. Torino: Einaudi, 2016.
______. Almost blue. Torino: Einaudi, 1997.
______. Il giorno del lupo. Bologna: Granata, 1994.
______. Falange armata. Bologna: Metrolibri, 1993.
______. Carta bianca. Palermo: Sellerio, 1990.
MONDELLO E. Il noir degli anni Zero: uno sguardo sulla narrativa italiana del terzo millennio.
Roma: Perrone Editore, 2015.
MOSCATI, M. (org.) I delitti del gruppo 13: antologia illustrata dei giallisti bolognesi Bologna:
Metrolibri, 1991, quarta capa.
SCARPA, T. Occhi sulla graticola. Torino: Einaudi, 1996.
TONDELLI, P. V. Altri libertini. Milano: Feltrinelli, 1980.
TURCHETTA G. I Cannibali non mordono più. In: SPINAZZOLA, V. (org.) Tirature ’05. Giovani
scrittori e personaggi giovani. Milano: II saggiatore, 2005, p. 10-17.
Publicado
2018-12-30
Como Citar
Benvenuti, G. (2018). Apontamentos sobre a literatura italiana dos anos 2000. Revista De Italianística, (37), 5-16. https://doi.org/10.11606/issn.2238-8281.v0i37p5-16
Seção
Artigos