Da prosa latina ao volgare: O nascimento de uma identidade linguística para além da poesia

  • Emanuel França Brito Universidade Federal Fluminense
Palavras-chave: Vulgarização, Brunetto Latini, Dante Alighieri

Resumo

Neste artigo, busca-se ressaltar o papel da vulgarização de textos latinos, na Firenze do séc. XIII, na formação do panorama cultural em torno da língua volga- re. “Natural” e presente não apenas na oralidade como na poesia, essa língua passa a se afirmar gradualmente em estilo culto na prosa, aparecendo em vários gêneros: seja para a difusão de obras tratadísticas da retórica e oratória clássicas, como para obras filosóficas, morais, científicas, historiográficas, didáticas e ficcionais. A partir de então, o conhecimento teórico e as belas letras se dirigem a um público não apenas versado no idioma erudito da época, caracterizando um novo olhar sobre a comunicação escrita cuja expressão mais explícita e objetiva se encontra no Convívio de Dante. Entre as figuras de relevo em tal operação, destacamos Brunetto Latini e a sua Rettorica que, com uma finalidade assumidamente didática, traz do latim para o volgare parte do De inventione ciceroniano

Biografia do Autor

Emanuel França Brito, Universidade Federal Fluminense

Formou-se em Letras pela Universidade Federal do Paraná, em 2005. Tendo dedicado todo o seu percurso de pesquisa acadêmica à obra de Dante Alighieri, fez Mestrado (2010), Doutorado (2015) e Pós-doutorado (2018) na Universidade de São Paulo, com períodos na Università per stranieri di Siena (2008), Università di Roma “La Sapienza” (2013/14) e na Università degli studi di Pisa (2016/17). Desde 2017 é Professor de Língua e Literatura Italianas na Universidade Federal Fluminense.

Referências

ALIGHIERI, D. Vita Nova. In: ___.Opere. (Org. Guglielmo Gorni). Vol. I. 2 a Ed. Milano: Monda-
dori, 2015, p. 745-1063.
___________. De Vulgari Eloquentia. In: ___.Opere. (Org. Mirko Tavoni). Vol. I. 2 a Ed. Milano:
Mondadori, 2015, p. 1065-1547.
___________. Convivio. In: ___.Opere. (Org. Gianfranco Fioravanti e Claudio Giunta). Vol. II. 1 a
Ed. Milano: Mondadori, 2015, p. 3-805.
BARTUSCHAT, J. “La Rettoricade Brunetto Latini. Rhétorique, éthique et politique à Florence dans
la deuxième moitié du XIIIe siècle”. In Arzanà, Cahiers de littérature médiévale italienne. Paris, n. 8,
2002, p. 33-51.
BEMBO, P. Prose della volgar lingua. (Org. Carlo Dionisotti). Torino: Unione Tipografico-editrice
Torinese, 1966.
ARTIFONI, Enrico. “I podestà professionali e la fondazione retorica della politica comunale”. In:
Quaderni storici. Bari, Vol. 2, n. 63, 1986, pp. 687-719.
___________. “Tra etica e professionalità politica: la riflessione sulle forme di vita in alcuni intellet-
tuali pragmatici del Duecento italiano”. In: TROTTMANN, C. (Org.). Vie active et vie contemplative au
moyen âge et au seuil de la Renaissance. Roma: École Française de Rome, 2009, p. 403-423.
CEVA, Bianca. Brunetto Latini: l’uomo e l’opera. Milano-Napoli: R. Ricciardi, 1965.
CICERONE, M. T.. De inventione. (Org. Maria Greco). Galatina: Mario Congedo Editore, 1998.
CONTINI, G. Poeti del Duecento. Vol. 2. Milano-Napoli: Ricciardi, 1960.
FOLENA, G.. Volgarizzare e tradurre. 2 a ed. Torino: Einaudi, 1994.
LATINI, B. La rettorica. (Org. F. Maggini e Cesare Segre). Firenze: F. Le Monnier, 1968.
QUINTILIANO, M. F. Istituzioni oratorie. (Org. Adriano Pennacini). Vol. 2. Turim: Einaudi, 2001.
SEGRE, C.; MARTI, M. La prosa del Duecento. Milano-Napoli: R. Ricciardi, 1959.
VILLANI, G. Nuova cronica. Org. Giuseppe Porta). Vol. III. Milano: Ugo Guanda, 2007.
Publicado
2018-12-30
Como Citar
Brito, E. (2018). Da prosa latina ao volgare: O nascimento de uma identidade linguística para além da poesia. Revista De Italianística, (37), 87-94. https://doi.org/10.11606/issn.2238-8281.v0i37p87-94
Seção
Artigos