Delivery and postpartum care in Rio Branco in the northern state of Acre, Brazil: a population based survey

  • Andréa Ramos da Silva Bessa Enfermeira, Doutora, Universidade Federal do Acre - Rio Branco - AC
  • Leila Maria Geromel Dotto Universidade Federal do Acre
  • Margarida de Aquino Cunha Universidade Federal do Acre
  • Pascoal Torres Muniz Universidade Federal do Acre
  • Suelen de Oliveira Cavalcante Hospital das Clínicas do Acre
Palavras-chave: natural childbirth, cesarean section, postpartum period

Resumo

Introduction: Pregnancy can be associated with health risks for both the mother and infant, and specialised care during the pregnancy, delivery and puerperium periods can help reduce complications for the mother-infant binomial.

Objective: To assess the demographic, social and reproductive aspects of delivery and the postpartum period in Rio Branco, Acre, Brazil.

Methods: A population-based cross-sectional survey was conducted via an interview with 552 mothers with children aged 0 to 5 years between 2007 and 2008. Cluster sampling of the population was performed in two stages (census sectors and domiciles).

Results: The majority of the 552 mothers were multiparous (79.6%). Around 70% of pregnancies occurred in teenage mothers. The proportion of caesarean section deliveries was 38.4% in mothers from urban zones and 28.5% in those from rural areas, and was higher in mothers who attended private clinics, who self-reported as being Caucasian, and who had a higher educational level. With regard to puerperal complications, mothers who underwent caesarean section had a higher prevalence of hypertension (71.1%) with an adjusted prevalence ratio of 3.90 (95% CI [2.00, 7.61]).

Conclusions: The results revealed a high rate of teenage pregnancy, and arterial hypertension was the leading complication during the postpartum period experienced by women who had undergone caesarean section. These findings merit further attention, and should be used to improve the care provided to Rio Branco.

 

Biografia do Autor

Andréa Ramos da Silva Bessa, Enfermeira, Doutora, Universidade Federal do Acre - Rio Branco - AC

Possui graduação em Enfermagem pela Universidade Federal do Acre (2004), Mestrado em Ciências pela Faculdade de Saúde Pública da USP (2009), Doutorado em Ciências pela Faculdade de Saúde Pública da USP (2013). Especialista em Formação Pedagógica (2005) e Enfermagem Obstétrica (2014). Atua na Graduação do Curso de Enfermagem na área de Enfermagem Fundamental e na pesquisa e extensão, na Área de Atenção à Saúde da Mulher, com ênfase na saúde sexual e reprodutiva da mulher e processo de envelhecimento feminino, com destaque para as fases de transição menopausal e pós-menopausa. Atualmente é Professora Adjunto do Centro de Ciências da Saúde e do Desporto e Coordenadora do Programa de Residência em Enfermagem Obstétrica da Universidade Federal do Acre e Docente permanente no Programa de Pós-Graduação em Saúde Coletiva/UFAC.

 
Leila Maria Geromel Dotto, Universidade Federal do Acre

Possui graduação em Enfermagem pela Pontifícia Universidade Católica de Campinas (1985), Mestrado em Educação pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (2002), Doutorado em Enfermagem pela Escola de Enfermagem de Ribeirão Preto da Universidade de São Paulo (2006), e Pós-Doutorado em Enfermagem pela EERP-USP (2011). Atualmente é Professora Associado da Universidade Federal do Acre. Coordenadora do Programa de Pós-Graduação em Saúde Coletiva da UFAC (Mestrado e Doutorado). Atua na área de Saúde da Mulher, nos seguintes temas: gravidez, parto, aleitamento materno, contracepção e prevenção de câncer cervico-uterino.

 

Margarida de Aquino Cunha, Universidade Federal do Acre

Possui graduação em Enfermagem e Obstetrícia pela Universidade Federal de Minas Gerais (1995), mestrado em Medicina e Saúde pela Universidade Federal da Bahia (2002) e doutorado em Enfermagem pela Escola de Enfermagem de Ribeirão Preto da Universidade de São Paulo - USP (2008). Atualmente é Vice-Reitora, Assessora de Cooperação Interinstitucional e Professora Associada da Universidade Federal do Acre. É docente colaboradora do Mestrado em Saúde Coletiva da UFAC. Tem experiência na área de Enfermagem, com ênfase em Enfermagem Obstétrica, atuando principalmente nos seguintes temas: adolescência, gravidez, aleitamento materno e puerpério.

Pascoal Torres Muniz, Universidade Federal do Acre

Possui Graduação em Nutrição pela Universidade Federal da Bahia (1977), Mestrado em Nutrição e Saúde Pública pela Universidade Federal de Pernambuco (1991) e Doutorado em Saúde Pública pela Universidade de São Paulo - USP (2000). Aposentado como Professor Associado do Centro de Ciências da Saúde e do Desporto (CCSD) da Universidade Federal do Acre (UFAC). Foi Vice-Reitor da mesma IFES, Diretor do Departamento de Ciências da Saúde DCS (1986 à 1988), Coordenador do Curso de Enfermagem do CCSD (2009), Diretor do Centro de Ciências da saúde e do Desporto CCSD (1992 à 1996), Coordenador Operacional do Curso Mestrado e Doutorado Interinstitucional em Saúde Pública da Faculdade de Saúde Pública da FSP/USP na UFAC (2008 à 2012). Coordenador da Pós-Graduação em Saúde do CCSD. Foi Diretor Geral da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado do Acre (FAPAC 2012-2014). Atualmente é Secretário Adjunto na Secretaria de Estado de Ciência e Tecnologia do Acre (SECT) e Docente Efetivo do Programa de Mestrado e Doutorado em Saúde Coletiva do CCSD/UFAC. Tem considerável experiência na área de Saúde Coletiva atuando principalmente com Epidemiologia e Nutrição na Amazônia Ocidental Brasileira.

 

Suelen de Oliveira Cavalcante, Hospital das Clínicas do Acre

Possui mestrado em Saúde Coletiva pela Universidade Federal do Acre (2009). Atualmente é enfermeira do Hospital das Clínicas e do Centro de Saúde Ary Rodrigues.

Referências

Lawn JE, Cousens S, Zupan K; Lancet Neonatal Survival Steering Team. 4 million neonatal deaths: When? Where? Why? Lancet. 2005;365(9462):891-900. DOI:

http://dx.doi.org/10.1016/S0140-6736(05)71048-5

World Health Organization (WHO). Health and the milennium development goals. Geneva: World Health Organization, 2005.

Brasil. Centro Brasileiro de Análise e Planejamento. Pesquisa Nacional de Demografia e Saúde da Criança e da Mulher: PNDS 2006. Dimensões do processo reprodutivo e da saúde da criança. Brasília: Ministério da Saúde, 2009.

Leal MC, Pereira APE, Domingues RMSM, Theme Filha MM, Dias MAB, Nakamura-Pereira M, et al. Intervenções obstétricas durante o trabalho de parto e parto em mulheres brasileiras de risco habitual. Cad Saúde Pública. 2014;30(suppl 1):S17-32. DOI: http://dx.doi.org/10.1590/0102-311X00151513

Roberts CL, Tracy S, Peat B. Rates of obstetric intervention among private and public patients in Australia: population based descriptive study. BMJ. 2000;321(7254):137-41. DOI: https://dx.doi.org/10.1136/bmj.321.7254.137

Cecatti JG. Saúde da mulher: Enfoque da evidência científica para a prevenção da morbidade e mortalidade materna. Rev Bras Saude Mater Infant. 2005;5(1):9-11.

World Health Organization (WHO). Mannaging complications in pregnancy and childbirth: a guide for midwives and doctors. Geneva: WHO/ UNFPA/ UNICEF/ World Bank, 2000.

Viggiano MB, Viggiano MGC, Souza E, Camano L. Necessidades de cuidados intensivos em maternidade pública terciária. Rev Bras Ginecol Obstet. 2004; 26(4):317-23. DOI: http://dx.doi.org/10.1590/S0100-72032004000400009

Starrs A. The safe motherhood action agenda: priorities for the next decade. Proceedings. Washington, DC: World Bank, 1997.

World Health Organization. Appropriate technology for birth. Lancet. 1985; 2(84532):436-67. DOI: https://doi.org/10.1016/S0140-6736(85)92750-3

Bofante TM, Silveira GC, Sakae TM, Sommacal LF, Fedrizzi EN. Fatores associados à preferência pela operação cesariana entre puérperas de instituição pública e privada. Arq Catarin Med. 2009;38(1):26-32.

Domingues RMSM, Dias MAB, Nakamura-Pereira M, Torres JA, d'Orsi E, Pereira APE, et al. Processo de decisão pelo tipo de parto no Brasil: da preferência inicial das mulheres à via de parto final. Cad Saude Publica. 2014; 30(suppl1): S101-16. DOI: http://dx.doi.org/10.1590/0102-311X00105113

Félix GMA, Gomes APR, França PS. Depressão no ciclo gravídico-puerperal. Comun Ciencias Saude. 2008;19(1):51-60.

Holmes, DS. Psicologia dos transtornos mentais. 2ed. Porto Alegre: Artmed; 2001.

Queiroz MVO, Jorges MSB, Marques JF, Cavalcante AM, Moreira KAP. Indicadores de qualidade da assistência ao nascimento baseado na satisfação de puérperas. Texto Contexto Enferm. 2007;16(3):479-87. DOI: http://dx.doi.org/10.1590/S0104-07072007000300014

Potter JE, Berquo E, Perpetuo IH, Leal OF, Hopkins K, Souza MR, et al. Unwanted caesarean sections among public and private patients in Brazil: prospective study. BMJ. 2001;323(7322):1155-8. DOI: https://dx.doi.org/10.1136/bmj.323.7322.1155

Gama SGN, Viellas EF, Schilithz AOC, Theme Filha MM, Carvalho ML, Gomes KRO, et al. Fatores associados à cesariana entre primíparas adolescentes no Brasil, 2011-2012. Cad Saude Publica. 2014; 30(suppl 1): S117-27. DOI: http://dx.doi.org/10.1590/0102-311X00145513

Publicado
2018-03-12
Seção
Artigos Originais