Método científico e pesquisas em saúde: orientação para prática profissional

  • Sandra Dircinha Teixeira de Araújo Moraes Hospital Maternidade de Osasco/ Faculdade de Saúde Pública da Universidade de São Paulo
Palavras-chave: pesquisa, saúde, método, prática profissional

Resumo

Na área da saúde a pesquisa é projetada para desenvolver dados fidedignos sobre problemas e necessidades importantes para o indivíduo/comunidade, com foco, em especial, para orientar a prática dos profissionais. Atualmente, devido a inúmeras inovações na área da saúde, a tomada de decisão em saúde necessita estar pautada em princípios científicos que é processo cotidiano integrante do ritmo de vida, produto e motivo de interesses sociais em confronto baseado no aprendizado não resumido à mera reprodução. Nesse contexto, ao considerar que a qualidade das pesquisas está diretamente ligada à apresentação dos resultados, destaca-se a importância da construção de protocolos de pesquisa que apresentem o passo a passo de técnicas de organização e análise dos dados, ao entender que o pesquisador quando de posse de dados coletados, deve ter a certeza de que ao serem trabalhados respeitando a técnica escolhida, indicarão as evidências do estudo, com possibilidades de chegar a um novo conhecimento com o mínimo de viés que pode acontecer. Assim, entende-se a importância de dar ênfase ao método científico como caminho para desenvolvimento da pesquisa cientifica para que assim se alcance os objetivos traçados, propiciando cada vez mais a rigorosidade das pesquisas para dar visibilidade a informações que possibilitem as práticas profissionais conscientes e dentro de critérios que contribuam para tomada de decisão sobre o cuidado com base em informações científicas validadas.

Biografia do Autor

Sandra Dircinha Teixeira de Araújo Moraes, Hospital Maternidade de Osasco/ Faculdade de Saúde Pública da Universidade de São Paulo

Serviço de Residência Médica em Ginecologia e Obstetrícia

Doutora em Saúde Pública

 

Referências

1. Polit DF, Beck CT. Resource Manual for Nursing Research generating and assessing evidence for nursing practice. 9th ed. Philadelphia: Lippincott Williams & Wilkins, 2012.

2. Schmidt M, Duncan B. Epidemiologia clínica e medicina baseada em evidências. In: Rouquayrol MZ. Epidemiologia e saúde. Rio de Janeiro: Medsi, 2003; p.193-227.

3. Galvão CM, Sawada NO, Trevizan MA. Systematic review: a resource that allows for the incorporation of evidence into nursing practice. Rev Latino-Am Enfermagem. 2004;12(3):549-56. DOI: http://dx.doi.org/10.1590/S0104-11692004000300014

4. Pedrolo E, Danski MTR, Mingorance P, Lazzari LSM, Méier MJ, Crozeta K. A prática baseada em evidências como ferramenta para prática profissional do enfermeiro. Cogitare Enferm. 2009;14(4):760-3. DOI: http://dx.doi.org/10.5380/ce.v14i4.16396

5. CM Galvão, Sawada NO, Rossi LA. A prática baseada em evidências: considerações teóricas para sua implementação na enfermagem perioperatória. Rev Latino-Am Enfermagem. 2002;10(5):690-5. DOI: http://dx.doi.org/10.1590/S0104-11692002000500010

6. Domenico EBL, Ide CAC. Enfermagem baseada em evidências: princípios e aplicabilidades. Rev Latino-Am Enfermagem. 2003;11(1):115-8. DOI: http://dx.doi.org/10.1590/S0104-11692003000100017

7. Trivaños ANS. Introdução à pesquisa em ciências sociais: a pesquisa qualitativa em educação. 5. ed. São Paulo: Atlas, 2009.

8. Silva I da, Mettrau MB. Talento acadêmico e desempenho escolar: a importância da motivação no contexto educacional. Est Inter Psicol. 2010;1(2):216-34.

9. Rodwell MK. Um modelo alternativo de pesquisa: o construtivismo. Rev FAEEBA. 1994;3(1):125-41.

10. Rodwel MK. Social work constructivist research. New York: Routledge; 1998.

11. Landim FLP, Lourinho LA, Lira RCM, Santos ZMSA. Uma reflexão sobre as abordagens em pesquisa com ênfase na integração qualitativo-quantitativa. Rev Bras Promoção Saúde. 2006;19(1):53-8. DOI: http://dx.doi.org/10.5020/961

12. Deslandes SF, Assis SG. Abordagens quantitativa e qualitativa em saúde: o diálogo das diferenças. In: Minayo MCS, Deslandes S. Caminhos do pensamento: epistemologia e método. Rio de Janeiro: FIOCRUZ, 2002; p. 195-219.

13. Marinho MNASB, Vieira NFC, Ferreira HS, Pequeno AMC, Sousa IC, Pereira AP, et al. Health in school program: from training processes to practice scenarios. J Hum Growth Dev. 2018;28(2):175-82. DOI: http://dx.doi.org/10.7322/jhgd.147219

14. Coutinho BLM, Feitosa AA, Diniz CBC, Ramos JLS, Ribeiro LZ, Amorim SR, et al. Alcohol and drugs in adolescence: work process in health in school program. J Hum Growth Dev. 2017;27(1):28-34. DOI: http://dx.doi.org/10.7322/jhgd.127646

15. Silva RSD, IMP Bezerra, Monteiro CBM, Adami F, Souza HMF Jr, Abreu LC. Nurses’ knowledge and practices in the face of the challenge of using the systematization of nursing care as an instrument of assistance in a first aid in Brazil. Medicina (Baltimore). 2018;97(33):e11509. DOI: http://doi.org/10.1097/MD.0000000000011509

16. Leitão PA, Bezerra IMP, Santos EFS, Ribeiro SL, Takasu JM, Abreu LC. Reducing the average speed of automotive vehicles in the city of São Paulo, Brazil, reduces transit accidents in the period 2010 to 2016. J Hum Growth Dev. 2019;29(1): 83-92. DOI: http://dx.doi.org/10.7322/jhgd.157755

17. Boas ACV, Monteiro QRS, Silva RPM, Meneguetti DUO. Profile of suicide attempts treated in a Public Hospital of Rio Branco, Acre State from 2007 to 2016. . J Hum Growth Dev. 2019; 29(1):57-64. DOI: http://dx.doi.org/10.7322/jhgd.157750

18. Oliveira BM, Lucena KDT, Gomes RGS, Coêlho HFC, Vianna RPT, Meira RMB. Spatial distribution of domestic violence against women. J Hum Growth Dev. 2019; 29(1): 102-9. DOI: http://dx.doi.org/10.7322/jhgd.152305

19. Vincenzi T, Mario DN, Cericato GO, Portilio MN, Rigo L. Emergence of cannabis as the second most commonly used psychoactive substance among students. J Hum Growth Dev. 2017;27(2):244-52. DOI: http://dx.doi.org/10.7322/jhgd.125827

20. Santos SB, Machado APA, Sampaio LA, Abreu LC, Bezerra IMP. Acquired Syphilis: construction and validation of educational technology for adolescents. J Hum Growth Dev. 2019;29(1):65-74. DOI: http://dx.doi.org/10.7322/jhgd.157752

21. Moreira RS, Magalhães LC, Siqueira CM, Alves CRL. Cross-cultural adaptation of the child development surveillance instrument “Survey of Wellbeing of Young Children (SWYC)” in the Brazilian context. J Hum Growth Dev. 2019;29(1): 28-38. DOI: http://dx.doi.org/10.7322/jhgd. 145001

22. Almeida RC, Zachêu PRZ, Diniz MT, Dias MCCPO, Guiguer IC, Almeida RC, et al. Translation and cultural adaptation to the questionnaire Assessment of Burden in Chronic-Venous Disease ABC-V for Portuguese. J Hum Growth Dev. 2018;28(1):89-94. DOI: http://dx.doi.org/10.7322/jhgd.143885

23. Pereira VX, da Silva AP, Carlesso JS, Campos MF. A Rare Case of a Maxillary Fourth Molar: Case Report. J Hum Growth Dev. 2019; 29(1): 125-8. DOI: http://dx.doi.org/10.7322/jhgd.157763

24. Sousa GVG, Lage JB, Guimarães EL. Motor development analysis of three-year-old children born preterm through the Motor Development Scale - Case Report. J Hum Growth Dev. 2019;29(1): 22-7. DOI: http://dx.doi.org/10.7322/jhgd.140229

25. Scalco JC, Coelho R, Mucha FC, Schivinski CIS. Impact of bronchopulmonary dysplasia on pulmonary function during childhood: a systematic review. J Hum Growth Dev. 2017;27(1):109-16. DOI: http://dx.doi.org/10.7322/jhgd.127685
Publicado
2019-05-06
Seção
Editorial