Portal da USP Portal da USP Portal da USP

Adolescência, vida sexual e planejamento reprodutivo de escolares de Serra Pelada, Pará

Néia Schor, Carlos Eduardo P Corbett, Fumika Peres, Patrícia M Pontilho, Luana F Tanaka, Marilena N França, Eduardo B Cardoso, André Nathan Costa

Resumo


As condições de vida em que um adolescente se desenvolve determinam suas escolhas e influenciam sua vida sexual. O presente estudo visou caracterizar o cotidiano e vida sexual de 108 adolescentes entre 11 e 15 anos de idade, residentes em Serra Pelada, município de Curionópolis, PA, através de análise quantitativa e qualitativa de dados, diferenciando-os quanto ao gênero. Os resultados mostraram a forte presença das relações de gênero em alguns casos. Foi encontrada alguma relação entre religião e vida sexual somente no sexo feminino, em que se observa que 58,5% delas eram adeptas a alguma religião e 66,7 % não haviam iniciado a vida sexual aos 12 anos ou menos. Quando questionados se mantinham, ou não, relações sexuais enquanto namoravam, 93,6% das meninas afirmaram que não, enquanto 59,6% dos meninos disseram o mesmo, mostrando que as meninas evitam mais a relação sexual. A grande maioria das meninas afirmou ter feito uso de método para evitar filho na primeira relação, enquanto mais de 50% dos meninos afirmaram o contrário. Essa diferença reflete que a responsabilidade da contracepção é julgada como pertencente ao sexo feminino. Cerca de 70% das meninas afirmam ter a intenção de se casar com a pessoa com quem tem relação sexual atualmente, enquanto 60% dos meninos afirmam o contrário, o que mostra que as meninas se mostram mais receosas quanto a ter filho cedo, em relação aos garotos, e mostram-se mais abertas ao compromisso.

Palavras-chave


Adolescente;Vida sexual;Saúde;Gênero

Texto completo:

PDF

Referências


Companhia Vale do Rio Doce. Desenvolvimento Social e econômico de Serra Pelada: um programa de responsabilidade social da CVRD; outubro 2003.

Pirotta KCM, Schor N. Intenções reprodutivas e práticas de regulação da fecundidade entre universitários. Rev Saúde Pública 2004; 38(4):495-502.

Borges ALV. Adolescência e vida sexual: análise do início da vida sexual de adolescentes residentes na Zona Leste do município de São Paulo. São Paulo; 2004.

Berquó ES, Souza JMP, Gotlieb SLD. Bioestatística. São Paulo: EPU; 1981.

Santelli JS, Lowry R, Brener N, Robin L. The association of sexual behaviours with socioeconomic status, family structure and race/ethnicity among US adolescents. Am J Pub Health 2000; 90 (10): 1582-88.

Wellings K, Nanchahal K, Macdowall W, MacManus S, Erens B, Mercer CH et al. Sexual behaviour in Britain: early heterosexual experience. Lancet 2001; 358:1843-50.

Kiernan KE, Hobcraft J. Parental divorce during childhood; age at first intercourse, paternship and parenthood. Pop Studies. 1997;51:41-55.

Leite IC, Rodrigues RN, Fonseca MC. Fatores associados com o comportamento sexual e reprodutivo entre adolescentes das regiões Sudeste e Nordeste do Brasil. Cad Saúde Pública 2004; 20(2):474-81.

Heilborn ML. A primeira vez nunca se esquece. Rev Estud Fem. 1998; 6(2);394-405.

Schor N. Adolescência e anticoncepção: conhecimento e uso[Tese de Livre Docência].São Paulo(SP): Faculdade de Saúde Pública –USP; 1995.

Pirotta KCM. Não há guarda chuva contra o amor: estudo do comportamento reprodutivo e de seu universo simbólico entre jovens universitários da USP[tese]. São Paulo(SP): Faculdade de Saúde Pública – USP; 2002.

Ministry of Health - Jamaica. Adolescent sexual decision-making counselling protocol. Kingston: Neinisty of health; 2002.

Pirotta KCM, Schor N. Carências e desejos: estudo sobre a opção pela esterilização entre mulheres residentes na Região Sul do Município de São Paulo, em 1992. Saúde Soc. 1999;8(2).




DOI: http://dx.doi.org/10.7322/jhgd.19832

Métricas do Artigo

Carregando métricas...

Metrics powered by PLOS ALM

Apontamentos

  • Não há apontamentos.