Epidemia em papel e tinta

a gripe espanhola nos jornais de São Paulo

  • Liane Maria Bertucci Universidade Federal do Paraná
Palavras-chave: Gripe espanhola, imprensa, São Paulo, Epidemia

Resumo

A partir de textos publicados nos jornais da cidade de São Paulo em 1918, este artigo aborda aspectos da narrativa construída pela imprensa sobre a gripe espanhola. Uma narrativa que reeditava a percepção milenar do homem diante do perígo epidêmico e também apontava nuances diante da gripe espanhola. Eram vários os artigos, pontuados por elogios ou críticas, que divulgavam considerações médicas sobre a epidemia e iniciativas médico-governamentais para socorrer os doentes, além difundirem as ações de moradores da cidade para auxiliar os gripados e suas famílias. Da doação de camas até a distribuição de alimentos, foram vários os auxílios individuais e de grupos organizados (civis e religiosos) realizados durante os terríveis dias da gripe espanhola.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Liane Maria Bertucci, Universidade Federal do Paraná

Doutora em História pela Universidade Estadual de Campinas (Unicamp); professora associada de História da Educação no Departamento de Teoria e Fundamentos da Educação da Universidade Federal do Paraná. Atua no Programa de Pós-Graduação em Educação da UFPR – Linha História e Historiografia da Educação. Entre outros, é autora dos livros, Saúde: arma revolucionária (1997), Influenza, a medicina enferma (2004) e, em coautoria, Edward P. Thompson, história e formação (2010).

Publicado
2018-12-19
Como Citar
Bertucci, L. (2018). Epidemia em papel e tinta. Khronos, (6), 11. https://doi.org/10.11606/khronos.v0i6.150677
Seção
Dossiê “História das doenças e artes de curar"