Declamação como gênero: definição, origens e prática

Autores

  • Barbara da Costa Silva Universidade de São Paulo

DOI:

https://doi.org/10.11606/issn.2358-3150.v17i2p77-100

Palavras-chave:

Declamação, ensino da oratória, exercícios retóricos, Sêneca o Velho, Filóstrato

Resumo

O presente artigo tem como objetivo o estudo da declamação como gênero literário. Para tanto, três tópicos são abordados: (1) a definição do que seria declamação; (2) as origens da prática até sua consolidação na Roma imperial; e (3) os contextos de performance, as funções sociais e as circunstâncias que definiam a declamação como um gênero literário per se. Por declamação, entende-se o discurso judicial ou deliberativo ambientado em uma situação fictícia, que surgiu no contexto de aprendizado da oratória na escola dos sofistas. Sabe-se que, pelo menos a partir do século I d.C., a prática passou a ter um fim em si mesmo, constituindo-se como o elemento central da demonstração (epideixis) dos sofistas imperiais. Sua origem é, contudo, obscura e já na Antiguidade era motivo de debate.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

2013-11-28

Como Citar

Silva, B. da C. (2013). Declamação como gênero: definição, origens e prática. Letras Clássicas, 17(2), 77-100. https://doi.org/10.11606/issn.2358-3150.v17i2p77-100

Edição

Seção

Artigos