A construção do êthos de orador nas sátiras de Juvenal

  • Rafael Cavalcanti do Carmo Universidade Federal do Espírito Santo
Palavras-chave: Juvenal, sátira latina, voz poética, riso

Resumo

O trabalho parte da ideia de que a sátira latina, por constituir-se em enunciação poética marcadamente pessoalizada, bem como pelo seu propósito moral de censura ao vício, guarda semelhanças com o discurso do orador. Dessa forma, tal qual ocorre na prática oratória, a sátira demanda a construção de uma voz enunciadora que, em Juvenal, se aproxima e se afasta do êthos que o orador constrói para si em seu discurso. O trabalho discute tal procedimento, associando-o à pertinência do riso como elemento integrante da sátira como gênero poético.

Downloads

Não há dados estatísticos.
Publicado
2015-12-10
Como Citar
do Carmo, R. (2015). A construção do êthos de orador nas sátiras de Juvenal. Letras Clássicas, 19(2), 80-89. https://doi.org/10.11606/issn.2358-3150.v19i2p80-89